Viagens

Quais remédios levar em uma viagem com crianças

Vai viajar com as crianças? Confiram os remédios que não podem faltar na bagagem!

remedios para viajar

foto: pexels.com

Costumo falar que fazer a mala das crianças para passar um fim de semana na praia ou para passar 15 dias de férias no exterior dá praticamente o mesmo trabalho. O que muda é o volume, mas os itens são os mesmos. E um desses itens que acho que não pode faltar na bagagem é a farmacinha com remédios das crianças, independente se estão fazendo algum tratamento ou não.

Isso não é neura! Não tem coisa pior que precisar de um remédio e você estar longe de uma farmácia ou estar em um horário ruim para sair. Ou pior ainda, estar em outro país e não ter como comprar, uma vez que as prescrições de medicamentos não têm validade em outros países (leia abaixo dicas para levar remédios em viagens internacionais).

Sempre que nós viajamos levo uma malinha de remédios. Já aconteceu de estarmos na fila para fazer o check in para Dubai e eu me lembrar da malinha de remédios que havia ficado no carro! Sorte que o carro estava ali mesmo no aeroporto e saímos correndo para buscar!

Dependendo do destino da viagem dá para levar itens a menos. Ah gente, uma coisa importante: quando temos alguma virose ou imprevisto sempre entro em contato com a pediatra das crianças. Nunca dou remédio por conta própria, ok?

Já passei por perrengues por não ter levado todos os remédios. Quando fomos para o Chile, o Teodoro, na época com quase 2 anos, estava com uma tosse horrível e eu tinha levado só um restinho do xarope. O vidro acabou, a tosse piorou e nós que tivemos que bater perna em Santiago para achar o xarope correspondente. Tudo isso com a pediatra no WhatsApp rs!

farmacinha para viajar

Então aqui está uma listinha de medicamentos básicos que eu geralmente levo. No nosso caso ainda levo mais alguns outros remédios que as crianças usam quando têm crises de asma. Por isso é muito importante falar com o pediatra antes de viajar!

Remédios para levar nas viagens

  • Antitérmico/ antinflamatório – Geralmente levo 2 antitérmicos diferentes. E sim, já precisei usar os 2. Estávamos na Bahia quando meu filho pegou uma virose que dava uma febre alta que não baixava por nada e precisei intercalar:/
  • Antialérgico – Aqui em casa os dois são bem alérgicos e por isso não pode faltar
  • Xarope para tosse – Quando vamos para algum destino mais longe (ou internacional), levo o xarope que eles estão acostumados a tomar, mesmo se não estiverem com tosse. Se o destino for perto e eles não estiverem com tosse, não levo.
  • Primeiros socorros – Curativos, algodão, antisséptico para machucados
  • Termômetro
  • Pomada para picada de insetos
  • Antibiótico – Consulte o pediatra das crianças e pergunte se ele julga necessário levar uma caixa de antibióticos quando fizer uma viagem internacional.
  • Spray de própolis para dor de garganta – Não é essencial, mas pode ajudar no alívio de uma dor. Faço o mesmo que o xarope para tosse: se for destino internacional, levo. Se o destino for perto, tiver estrutura, etc, não levo.
  • Soro fisiológico para pingar no nariz
  • Remédio para diarreia (levo aqueles sachezinhos para reestabelecer a flora)
  • Remédio para gases e enjôo
  • Remédio para dor de ouvido

Será que esqueci de algum?

Como essa pergunta é bem comum quando estamos indo para o aeroporto, sugiro montar a malinha dos remédios com alguns dias de antecedência – dependendo do destino e do tempo de viagem.

Viagens internacionais: despachar os remédios ou não?

Lembre-se que existem regras para levar medicamentos no avião em viagens internacionais.

Se eu fosse levar todos os remédios na bagagem despachada, iria correr o risco de ter a mala extraviada e perder todos os remédios. Então a gente precisa pensar direitinho antes de dividir os medicamentos entre bagagem despachada e bagagem de mão.

No site da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) consta que “medicamentos (com prescrição médica), alimentação de bebês e líquidos de dietas especiais poderão ser transportados na quantidade necessária à utilização no período total de voo (incluídas eventuais escalas) e deverão ser apresentados no momento da inspeção de segurança”.

Existe uma regra para o transporte de líquidos em viagens internacionais que vou citar logo abaixo. Porém, no site da Anac também diz que “medicamentos que precisam ser levados na bagagem de mão em voos internacionais não se enquadram nas restrições para transporte de líquidos, mas deverão estar acompanhados da devida prescrição médica”. Ainda assim, para evitar dor de cabeça desnecessária, sigo a regra do transporte de líquidos na hora de levar os remédios.

Para transportar líquidos na bagagem de mão (incluindo aí os remédios, cremes, géis etc), o limite é de 100 ml por frasco, que deverão estar acondicionados em saquinhos plásticos transparentes do tipo zip, de até 20 x 20 cm. Uma informação importante: só são permitidas um saquinho zip por passageiro! Essas embalagens plásticas devem ser apresentadas na inspeção de embarque. (Clique aqui para ler as informações da Anac sobre bagagem de mão em viagens internacionais).

Então levando em conta todas essas regras, na bagagem de mão levo os remédios mais importantes incluindo o soro fisiológico em spray para espirrar no nariz durante o vôo (o ar condicionado do avião resseca e irrita a mucosa nasal).

Prefiro levar todos os remédios na caixa e, de preferência, fechados.

Sempre carrego a prescrição médica dos remédios – até porque nunca me lembro das doses necessárias. Se for algum remédio de uso contínuo ou tratamento, também é recomendando levar a receita traduzida para o inglês, mas apenas para o caso de fiscalização sanitária. As prescrições de medicamentos não têm validade em outros países. Dependendo do remédio, é necessário passar por um médico de onde você está para ter acesso ao medicamento. Por isso fazer uma lista de farmacinha para levar na viagem é tão importante.

Mesmo levando tanto remédio na mala, ainda assim é essencial fazer um seguro saúde antes de viajar. Vou preparar um outro post sobre isso e contar o dia que meu filho precisou usar esse seguro quando estávamos em Miami!

Boa viagem!

Leia também:

Produtos de farmácia dos EUA para crianças que valem a pena comprar

Para onde viajar no outono com a família

O que fazer em Ilhabela com chuva

 

Casa & Decoração

Como organizar brinquedinhos e miudezas

Brincar é bom demais, mas e quando chega a hora de guardar? Confiram as ideias e inspirações que separei para organizar brinquedinhos e miudezas em casa sem stress!

Organizar os brinquedos das crianças (e manter a casa ajeitada) é um desafio e tanto. Mas, além da organização em si, o que mais me tira do sério da bagunça aqui em casa são os brinquedinhos e miudezas. É sapatinho pra cá, mini acessório pra lá, pecinha pequena aqui, bonequinho de lanchonete ali, lembrancinha de chocolate… É tamanha miudeza que não tem fim!

Minha casa está sempre zoada, mas nem por isso desisto de colocar ordem no caos. Orientar as crianças a arrumarem os brinquedos já é um padrão por aqui. Inserir na rotina deles a organização do cantinho dos brinquedos eu também já faço. O problema é que todas essas miudezas acabam sendo amontoadas em qualquer lugar e depois fica difícil até para eles acharem os brinquedinhos que estão usando. Então eu separei algumas ideias que fiz em casa e também busquei no Pinterest algumas imagens para inspirar na organização de miudezas.

Mas temos que ser realistas tá, gente?! Vi algumas fotos no Pinterest que são ideais e lindas, mas sinceramente não daria certo aqui em casa – pelo menos não agora, com as crianças com 4 e 6 anos. A foto abaixo, por exemplo, com tudo bem separadinho, é algo que não duraria nem 1 dia aqui. Ao longo do texto explico o motivo.

foto: Pinterest

CAIXAS PEQUENAS

Com as miudezas em específico, caixas podem ser ótimas para guardar. Mas nos demos melhor por aqui com caixas pequenas, pois nas caixas muito grandes os brinquedinhos ficam muito perdidos.

Então a regra (se é que existem regras hahah) é: miudezas em caixas pequenas e brinquedos grandes em caixonas. Só que aí tem que ensinar e insistir que tem que guardar os brinquedinhos e TAMPAR a caixa depois.

Esse é o meu problema com as caixinhas! Quando percebo, a caixa está transbordando de brinquedo e a tampa sabe-se lá aonde. Então na verdade tenho usado caixinhas com moderação. Porque não adianta ter um monte de caixa e eles não saberem aonde estão os brinquedos. Ah, melhor se as caixas forem transparentes.

DEIXE À VISTA

Exatamente pelos brinquedinhos se perderem em meio a tantas caixinhas que eu resgatei aqui em casa uma mini estante de plástico que estava sendo usada para outra função. Deixei ao lado da mesinha deles para colocarem os brinquedinhos que estão usando naquele momento, naquela semana, naquele dia. Assim ficam sempre à mão e é super fácil de guardar, não tem desculpa. Quando começar a ficar muito cheio, é só guardar as miudezas excedentes nas caixinhas.

É bonito de se ver? Não exatamente! Mas é prático!

Quem gostou dessa alternativa, vi que a Etna lançou um carrinho multifunções bem lindinho e perfeito para organizar as miudezas! Tem nas cores rosa, azul e branca.

Essa ideia das cestinhas penduradas na parede também é uma ótima alternativa!

foto: Pinterest

PARA LEVAR

Outra ideia que dá para colocar em prática fácil fácil é usar aqueles nécessaires de viagem com vários compartimentos. De preferência de plástico, para ter uma visualização mais fácil. Dá para deixar pendurado na parede ou na porta e, quando forem brincar em outro cômodo e até em outro lugar, é só tirar da parede e carregar junto!

TUDO JUNTO E MISTURADO NÃO É BAGUNÇA

As personal organizer que não me ouçam, mas uma coisa que eu desisti é separar os brinquedinhos de acordo com categoria. Já tentei fazer uma caixinha só de miniatura de princesas/ bonequinhas; outra caixinha só com os bonequinhos da Peppa; outra caixinha só com bichinhos e mini dinossauros. Acho inútil porque as crianças gostam de brincar com tudo junto: A LOL vai visitar a casa dos Sylvanian Families, que por sua vez andam na bicicletinha da Merida, que vai sentar na poltrona do Papai Pig.  Então já que vai misturar tudo mesmo, não vale o stress depois para guardar cada coisinha em sua caixinha.

Adorei essa imagem do Pinterest com cestinhas dentro da gaveta, mas sei que na realidade (pelo menos aqui em casa) as princesinhas estariam juntas com os pôneis. Acho que também não precisa ser tão metódica (apesar de ser mais agradável visualmente). A ideia é separar miniaturas de brinquedos grandes e organizá-los de maneira prática de modo que as próprias crianças consigam praticar a organização no dia a dia sem stress.

foto: Pinterest

LEGOS

Alguns brinquedos, claro, são exceção, como Lego e blocos de montar. Aí eu já acho que tem que guardar em um local separado mesmo. Essa ideia de usar um pufe baú para guardar os Legos achei genial e super simples de reproduzir em casa, já que é um móvel bem fácil de encontrar nas lojas.

COLEÇÕES

Aqui em casa vira e mexe meu filho inventa que está colecionando algo. Já foi carrinho, dinossauros, bichinhos, Pokémons, melecas e por aí vai. Aí neste caso acho legal dar um destaque maior para coleção e nada melhor do que isso do que prateleiras e nichos.

foto: Pinterest

A coleção desta semana (rs) aqui em casa é de bonequinhos de Pokemon, Mas eu sei que muito em breve esses bonequinhos estarão dentro de uma das caixas ou na estantezinha que montei. Mas por enquanto, estão na “prateleira das coleções” (rs).

EXPECTATIVA X REALIDADE

E para encerrar, fica uma foto e uma pergunta:

foto: Pinterest

Será que algum dia meus filhos serão organizados assim? Creio que não, porque nem os MEUS sapatos são tão arrumadinhos quanto esses da Barbie hahaha. Mas não custa tentar né? Acho que o mais importante é sempre buscar uma solução nova que se encaixe na rotina dos seus filhos, da sua família. O que não deu certo é só deixar para trás e se adaptar a um novo jeito de organização.

O que você achou deste post? Escreva para mim nos comentários! 😉

Leia também:

10 ideias para organizar as fantasias das crianças

11 ideias para organizar os bichinhos de pelúcia

Micaela Góes, do GNT, ensina a organizar a bagunça das crianças

Festas

Festa de aniversário infantil: dá para fazer de um jeito diferente siiimm

Mãe adora inovar no aniversário dos filhos, seja na decoração, seja no entretenimento ou no local da festa. Às vezes a gente quer fazer uma festinha diferente, mas não sabe como fazer de outro jeito. Mas quer saber? Andei pesquisando e achei um monte de ideias para fazer uma festa diferente!

foto: pexels.com

Eu já falei aqui do Start Arte + Glitz, que inaugurou um espaço para festas dentro do shopping VillaLobos (leia o post clicando aqui). Lá é possível fazer uma festa de aniversário no salão de beleza Glitz, incluindo penteado, maquiagem infantil, manicure e desfile. Também é possível adicionar no pacote brincadeiras do Start Arte, como oficina e atrações.

Festa Salão de Beleza. Foto: Dea Fraga Fotografia

Outra sugestão de festa diferente é mudar o horário. Que tal um café da manhã? Sério, eu não entendo por que as pessoas não têm o costume de fazer festas na parte da manhã, já que é aquela hora que as crianças (em especial as menores) estão ligadas no 220V. E aí imaginem que delícia ao invés de coxinhas e croquetes, servir um delicioso café da manhã daqueles bem reforçados com pães, bolos, frutas e sucos? O local pode ser um parque, aproveitando que na parte da manhã os parques e praças são mais tranquilos. Alguns espaços de brincar e festas também oferecem a opção de café da manhã/ brunch.

Comemorar o aniversário praticando esportes radicais ao lado dos amigos também é uma ótima ideia. Alguns parques de trampolins, como o Impulso Park e o Urban Motion oferecem pacotes especiais para festas. O Impulso Park, o maior parque de trampolim de São Paulo, conta com diversas atrações, como o free jump nas camas elásticas, a arena dodge ball (jogo tipo queimada, só que na cama elástica), escalada, piscina de espuma, slackline e até parkour.

Foto: Impulso Park

O Urban Motion, parque com 3 unidades em São Paulo, também oferece pacotes de festas para comemorar com a criançada. Nas atividades, parkour de trampolins, piscina de espuma, basquete e queimada.

O Pop Haus é outro parque onde dá para comemorar com muita atividade radical, como guerra de cotonetes, bubble soccer, além de brinquedos molhados em dias de calor.

E que tal festa na academia? Sim, é possível! A academia Competition, por exemplo, tem uma proposta de festa para crianças de 03 a 15 anos seguindo diversos temas, como Dia do Craque (festa de futebol no campo de society), Acquafest (festa na piscina), Acrobacias (festa de circo) e ainda a festa para dançar.

E para radicalizar geral, também é possível comemorar o aniversário com uma turminha de amigos voando! A iFly é um túnel de paraquedismo indoor que permite que a pessoa viva a experiência de queda livre em um túnel de vento vertical. A idade mínima para voar é de 3 anos. Além de vôos individuais, a iFly recebe grupos e festas de até 100 pessoas!

foto: iFly

Mas se o(a) aniversariante quiser comemorar de outra maneira, ainda há a opção de fechar uma sala de cinema e convidar a turminha toda para assistirem a um filme e ainda cantar parabéns! Quem oferece essa experiência é o Cinemark, que inclui 3 horas de locação, opções de combo com pipoca e espaço para cantar parabéns.

E não pensem que acabou por aí! Na minha pesquisa também conheci a Casa das Idéias, misto de escola, oficina e ateliê de construção de brinquedos com tecnologia, na Vila Madalena. Durante a festa, as crianças vão construir brinquedos e robôs exclusivos com motorzinho, pilhas, luzes, etc, além de brincar, é claro!

Aiiinnn já estou com coceira na mão pra organizar o próximo aniver daqui de casa!

Serviço:

Start Art + Glitz – clique aqui

Impulso Park – clique aqui

Urban Motion – clique aqui

Pop Haus – clique aqui

Competition – clique aqui

IFly – clique aqui

Cinemark – clique aqui 

Casa das Ideias – clique aqui

Leia também

As principais tendências para festas infantis em 2018, por Lilian Ruas

Festa infantil: tema Moana

Festas infantis e intimistas: por que amamos?