Desabafo

Um livro, um filho imaginário e hoje, 17 anos depois

Era o ano de 2001. Eu, recém formada em jornalismo e atuando na área havia um tempinho – e já produzindo conteúdo para a internet. Trabalhava como redatora freelancer no site Clubinho Net, um site infantil criado para os filhos dos assinantes da NET.

Eu tinha 23 anos e não tinha namorado, filhos e muito menos amigas com filhos. Nem pensava naquela época em formar uma família, eu estava curtindo outro momento. Fase de trabalho, bastante trabalho e amigos.

Eu amava esse meu trabalho voltado para as crianças (tanto que fiquei até o fim da vida do Clubinho). Entre as diversas áreas que escrevia para o site, uma delas era sobre as novidades literárias para os pequenos. Dicas de livros! As assessorias de imprensa das editoras me enviavam alguns exemplares para eu conhecer, resenhar etc.

Todos os livros infantis que eu recebia das editoras (lia todos!) eram levados mais tarde para doação. Só que um deles, e APENAS um, eu me apeguei. Sem explicação nenhuma, não tive coragem de doar.

Era o livro “O ABZ do Ziraldo”, da Melhoramentos. É um livro com textos, poemas e ilustrações do Ziraldo que gira em torno das letras. Cada letra é um capítulo. Para cada letra do alfabeto, um texto. Esse livro é tão legal, tão completo, tão poético, lúdico e colorido, que resolvi guardar. Guardar pros meus futuros filhos que sabe-se lá quando eu os teria. Pensei: “Ah vou guardar!! Vai que um dia eu tenha filhos!” (Até hoje eu não entendo, porque eu realmente estava muito longe de alguma possibilidade de ter filhos na época hahah)

Mudei de casa algumas vezes. E o livro ali, sempre separado para o meu futuro filho. Não tenho apego material, muitas vezes gosto de fazer a rapa aqui em casa e doar tudo, me desfazer do velho, abrir espaço. Livros? Eu conto em 1 mão os livros que tenho. Passo tudo pra frente. Mas esse livro nunca.

Hoje eu estou beirando os 40 anos e tenho 2 lindos filhos: 6 e 4 anos. E 17 anos depois de receber esse livro, finalmente o dia que eu tanto profetizei chegou!

O mais velho, o Teodoro, no primeiro ano do ensino fundamental, em plena fase de alfabetização, conheceu “O ABZ do Ziraldo” e reconheceu as letras, se interessou pelos poemas que ali estavam. Quantas vezes eu folheei esse livro imaginando esse dia, o dia que eu me sentaria ao lado do meu filho (até então imaginário) contando uma historinha sobre cada letrinha. Foi realmente muito emocionante o dia que sentei com os dois filhos e li as poesias do Ziraldo para eles!

Voem, meus filhos, voem! O processo de alfabetização é a coisa mais linda de se ver numa criança. A descoberta da junção das letras, o som das sílabas, a alegria de saber que conseguiu ler uma palavra! É um universo que está à tua espera!!! Saboreiem cada palavrinha nova que aprender porque elas são mágicas!

E você, já guardou algum objeto para mostrar para os seus filhos antes mesmo de tê-los?

Leia também:

Como escolher o livro ideal para bebês

Como montar um cantinho da leitura na sua casa

 

Deixe seu comentário!