Planejar a viagem

Perrengues de viagem: xi, perdi o voo de conexão!

Se tem um perrengue muito chato que pode acontecer em uma viagem é perder um voo de conexão. Claro que é muito melhor fazer viagens com vôo direto, mas em algumas vezes essa possibilidade não existe (ou o bolso não permite).

Você pode salvar no Pinterest e ler depois:

conexao

A conexão é quando o seu avião faz uma parada em um aeroporto e os passageiros descem da aeronave – alguns ficarão neste destino e outros seguirão viagem pegando um outro avião. Já em um vôo com escala, o avião também faz uma parada, mas os passageiros que seguirão viagem não precisam descer. Este avião vai reabastecer ou receber novos passageiros antes de decolar novamente.

Quando a gente compra a passagem aérea, é possível ver qual o tempo de conexão entre a chegada do avião e a partida do outro. Algumas conexões podem ser de até 24 horas, então é sempre importante ficar atento a este detalhe.

Um vôo atrasa, perde-se o outro

Quando fomos para o Canadá, em 2018, tínhamos que fazer conexão nos EUA. Só que o tempo entre a chegada do avião e a partida do próximo era muito curto, de apenas 2 horas. Esse foi um detalhe que a gente não prestou atenção na hora de aprovar as passagens que a agência reservou para nós. Resultado: o nosso voo que saía do Brasil atrasou cerca de 1 hora. A conexão era em Houston, no Texas, e chegando lá, nos restava apenas 1 hora para pegar as malas, despachá-las novamente e passar por todos os trâmites burocráticos da imigração. Resultado óbvio: perdemos o voo da conexão para o Canadá!

Palavra de especialista

De acordo com a AirHelp, empresa líder mundial em remuneração de voos, em 2018, quase 15 milhões de passageiros estiveram em voos atrasados no Brasil. Para 2019, a AirHelp prevê que o número será ainda maior, por volta de 16,5 milhões de pessoas, ou seja, mais de 45.000 pessoas podem ser afetadas por dia. são as datas em que os aeroportos estão mais lotados. No Brasil, de acordo com a estatística de quatro dos últimos cinco anos, o mês de dezembro, mais precisamente próximo dos feriados do fim do ano, é o período em que os passageiros devem ter cuidado redobrado com a superlotação dos aeroportos – a exceção é 2016 onde o período do carnaval foi mais cheio.

E agora, o que fazer?

No nosso caso, assim que nos informaram que não daria mais tempo de pegar o avião, fomos direto para o balcão de atendimento da cia aérea e explicamos o ocorrido para conseguirmos embarcar no próximo voo com destino a Calgary, no Canadá! Conseguimos!! Só que detalhe: esse próximo voo sairia dentro de 12 horas. Isso mesmo, 12 horas!!

OMG o que fazer em 12 horas dentro de um aeroporto com crianças?

A nossa viagem estava só começando! Poderíamos sair do aeroporto para tentar conhecer rapidamente a cidade texana? Até teríamos um tempo hábil para isso, uma vez que estávamos sem as nossas malas (elas tiveram a sorte de pegar o voo rs). Mas não tínhamos planejado isso e não queríamos arriscar!

12 horas de espera no aeroporto com crianças: momentos de cansaço misturados com euforia, tédio e impaciência

Sala VIP

Dentro de muitos aeroportos existem as salas VIPs, que são lounges criados pelas companhias aéreas ou por programas de cartão de crédito para oferecer mais conforto para os seus passageiros na espera. Geralmente são oferecidas para quem voa na classe executiva e primeira classe ou ainda portadores de determinados cartões (o que não era o nosso caso rs). A maioria das salas VIPs oferecem comidinhas, bebidas e em algumas até espaço com cama. Também é possível pagar para ficar em uma destas salas. No aeroporto de Houston fomos procurar a Centurion Loung, sala VIP da American Express. Como não éramos clientes da American Express, o nosso acesso só seria permitido mediante o pagamento de US$ 50 por pessoa. Isso sairia R$ 400 no total para uma viagem que mal tinha começado. Respiramos fundo e decidimos encarar 12 horas no saguão do aeroporto. Quem já assistiu o filme O Terminal? Então (rs)…

12 horas de rolê no aeroporto!

Resumindo: passamos muitas horas no aeroporto depois de 10 horas de viagem dentro do avião! Passeamos pelo aeroporto, sentamos, passeamos de novo…. Apesar do cansaço, as crianças se saíram muito bem. Desde o princípio conversamos e explicamos o que estava acontecendo. A conversa é importante para lidar com expectativa x frustração. Celulares, tablets, brinquedinhos e livros de colorir que eu havia levado para o avião foram essenciais para passar o tempo.

Celulares e tablets para tanta espera no saguão do aeroporto!

Vouchers de alimentação

Neste meio tempo, em conversa com a nossa agência de viagem, fomos instruídos a procurar o balcão da cia aérea novamente e perguntar por nossos direitos de alimentação. Nos deram vouchers de US$ 20 por pessoa, o que foi suficiente para fazer uma refeição completa. Mas veja bem: só nos deram porque voltamos lá e questionamos, porque da primeira vez ninguém falou nada! É pra ficar com raiva, né?

Aqui no Brasil a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) regulamenta os procedimentos que as cias aéreas devem seguir em casos de atraso ou cancelamento de voo:

A partir de 1 hora: comunicação (internet, telefonemas, etc).
A partir de 2 horas: alimentação (voucher, lanche, bebidas, etc).
A partir de 4 horas: acomodação ou hospedagem (se for o caso) e transporte do aeroporto ao local de acomodação. Se você estiver no local de seu domicílio, a empresa poderá oferecer apenas o transporte para sua residência e desta para o aeroporto.

Hotel dentro do aeroporto

Assim como as salas VIPs, muitos aeroportos internacionais possuem hotéis no mesmo prédio. Estávamos em Vancouver, no Canadá, e agora retornando para o Brasil. Nosso vôo de conexão era em Chicago, nos EUA. Mais uma vez tínhamos um intervalo de 12 horas entre um vôo e outro. A diferença é que esse longo período de conexão já era sabido e estava em nossos planos. Na hora de comprar as passagens, fizemos as contas e a nossa hospedagem no Hilton Chicago O’Hare Airport entre um voo e outro ficaria mais em conta do que se a gente pegasse uma conexão mais curta. #FicaADica

Nosso quarto no Hilton Chicago O’Hare Airport foi uma ótima alternativa para conexões longas

Isso sem contar que, antes de chegarmos nos EUA, ainda no Canadá, o check out do hotel tinha sido às 11h da manhã e o vôo para Chicago somente às 22h. Deixamos as malas na recepção do hotel e batemos perna o dia inteiro por Vancouver até, finalmente, no início da noite, seguir rumo ao aeroporto. estávamos só o pó! Chegar no aeroporto de Chicago para tomar um belo banho e dormir por horas fez uma grande diferença para a gente encarar mais 10 horas de viagem, principalmente por estarmos com as crianças também bem cansadas.

12 horas em Chicago e isso foi tudo o que vimos da cidade: preferimos descansar no quarto do hotel

Foi a primeira experiência em um hotel de aeroporto e, por ser uma viagem cansativa, com vôos longos e conexão com crianças, achei a hospedagem uma excelente alternativa. O Hilton Chicago O’Hare Airport possui três restaurantes, serviço de quarto 24 horas e o Athletic Club com piscina coberta. Também possui transporte de cortesia de ônibus para todos os terminais (não foi o nosso caso, pois o nosso embarque era bem pertinho), além de quartos com TV e Wi-Fi. Clique para a página do Hilton Chicago O’Hare Airport no Booking.com

Então a lição que fica quando perderem um vôo de conexão é:

  • Procure o balcão da companhia e questione sobre seus direitos;
  • Procure as Salas Vips
  • Pesquise os hotéis dentro dos aeroportos
  • Sempre viaje com uma mala de bordo com trocas de roupas e itens pessoais
  • Respire fundo e tenha muita paciência! Lembre-se que a gente não pode controlar tudo!

Depois da hospedagem no hotel do aeroporto, descansada e pronta para encarar mais 10 horas de voo até o Brasil!

Leia também:

Mais posts da série #PerrenguesDeViagem

Viagem com crianças de avião: o que levar na bagagem de mão?

Quais os remédios levar em uma viagem com crianças

Saiu a lista dos 25 melhores hotéis para ir com a família

Clique e confira as ofertas do Hotel Urbano

Deixe seu comentário!