Viagens

O que fazer em Ilhabela com chuva e crianças

Se o tempo não ajudou para pegar uma praia, saiba que há passeios bem legais para fazer com a criançada em Ilhabela. Conheça a rica programação histórica e cultural da ilha

Praias, banhos de cachoeira, trilhas, mergulho, passeios de barco, de jipe ou de bike… Sem dúvidas, Ilhabela, no litoral norte de São Paulo, é um dos lugares mais belos e interessantes para visitar. Mas e quando o tempo não ajuda e a chuva estraga os planos do dia? E se você estiver com crianças? O que fazer? Ficar trancafiado no hotel?? Sacar o baralho da mala? De jeito nenhum!

Eu já fiz um post com dicas para curtir Ilhabela no verão com crianças e neste texto vou contar como é possível curtir uma programação cultural com as crianças. Eu contei todo esse roteiro pelo meu perfil do Instagram durante nossas férias de janeiro, mas aqui vou detalhar mais.

O passeio cultural foi todo feito no Centro Histórico, a charmosa Vila.

Para começar, visitamos o antigo prédio da Cadeia e Fórum, construído em 1803, hoje transformado no Centro de Exposição do Parque Estadual da Ilhabela. Conferimos uma exposição sobre a fauna e a flora da Ilhabela, além da história e da cultura tradicional caiçara. O passeio ganha ares de mistério nas salas das exposições, que ainda mantém preservadas as grades das antigas celas.

Clique nas imagens abaixo para visualizar as fotos.

Depois visitamos a Igreja Matriz Nossa Senhora D’Ajuda, a padroeira de Ilhabela. Construída no final do século XVII, ela é linda por dentro e por fora. No alto da escadaria, uma visão panorâmica do centro histórico. Dentro da igreja há ainda uma lojinha onde vende-se alguns souvenirs. Não resisti e trouxe de lembrança uma pequena imagem de Nossa Senhora D’Ajuda.

Ainda na vila, conhecemos o Museu Waldemar Belisário, que possui um acervo permanente do artista e outras exposições temporárias, entre elas uma sobre a folclórica Congada da Festa de São Benedito de Ilhabela, com bonecos em tamanho real (o que obviamente fez com que as crianças ficassem vidradas!)

No mesmo local visitamos uma exposição impressionante sobre os navios naufragados ao redor da Ilhabela. Não tem 1 fotinho sequer pois nesta sala era proibido fotografar. Mas é possível ver fotos e maquetes dos principais navios que afundaram por ali, como o Príncipe das Astúrias, o maior naufrágio da costa brasileira, conhecido como o Titanic brasileiro. Também tem objetos achados nesses naufrágios, como louças e até uma boneca! As crianças amaram essa exposição dos navios, foi realmente muito surpreendente!

O Príncipe de Astúrias era considerado o transatlântico mais luxuoso da Espanha. Em 5 de março de 1916, o navio se dirigia ao porto de Santos, fazendo sua sexta viagem à América do Sul. Chovia forte e a visibilidade era baixíssima, quando durante a madrugada, o navio bateu violentamente na laje submersa da Ponta da Pirabura. Pouco depois o navio estava totalmente submerso. Oficialmente 445 pessoas morreram e apenas 143 sobreviveram, porém, o navio teria centenas de clandestinos que viajavam nos porões. Estima-se que mais de mil pessoas morreram neste naufrágio. Em uma outra versão da história, o navio teria feito uma parada próximo à Ilha dos Búzios, pertencente ao Arquipélago de Ilhabela, onde a carga de ouro teria sido desviada para outra embarcação, de maneira que o naufrágio teria ocorrido de forma premeditada. (Trecho extraído do site www.ilhabela.sp.gov.br)

Foto: http://www.ilhabela.sp.gov.br

Foto: http://www.ilhabela.sp.gov.br

Ah, e no mesmo prédio, ainda é possível fazer uma visita às novas instalações da Biblioteca Pública Municipal “Dr. Renato Lopes Corrêa”. Choveu? Que tal levar a criançada para ler um livro na biblioteca?!

biblioteca municipal ilhabela

Seguindo o passeio pela vila, pausa para a tradicional fotinho nos históricos canhões da artilharia portuguesa próximos ao píer (quando criança brinquei muito nesses canhões). A história dos canhões, que datam do século XVI, e foram restaurados recentemente, remete à defesa da Ilha contra a intensa atividade de piratas ingleses e holandeses na região.

O píer também vale a visita. Antiga porta de entrada da cidade, hoje conta com um mosaico belíssimo da artista plástica Ana Canale. É neste píer que moradores pescam e que turistas do mundo inteiro desembarcam dos tenders dos navios de cruzeiro que atracam na Ilha.

Claro que depois de andar e conhecer tanto lugar, todos nós merecemos um almoço delicioso pela região e depois a parada obrigatória na Sorveteria Rocha, na Rua do Meio.

Enfim, já deu para notar que Ilhabela também é muito rica em cultura e história! As crianças adoraram o passeio (e os adultos também!!)

Leia também:

Dicas para curtir Ilhabela com crianças

Os melhores hotéis para se hospedar com crianças

Férias: 10 dicas para viajar com as crianças de carro

Viagens

Dicas para curtir Ilhabela com crianças

Os posts com dicas de viagens com crianças têm feito sucesso aqui no blog, então decidi escrever sobre um destino que amo de paixão: Ilhabela, no litoral norte de São Paulo. Mas atenção, esse post não é um guia… Existem inúmeros passeios, praias e atividades na ilha. Vou sugerir apenas um roteiro bem bacana para curtir com os pequenos, mas que dá para combinar com várias outras dicas, ok? (Leiam também meu mais recente post sobre O que fazer em Ilhabela com chuva e crianças)

Dicas para curtir Ilhabela com crianças

Dicas para curtir Ilhabela com crianças

A mala

Sim, Ilhabela tem muitos borrachudos. São uns mosquitinhos chatonildos que atacam nossas pernas e pés, principalmente de manhã e no final da tarde. Mas sinceramente, foram poucas as vezes que a situação estava insuportável de borrachudo, a ponto de ter que deixar o local. Geralmente era final de tarde em praias mais isoladas. Os pernilongos que estão dominando as noites de verão de São Paulo estão mais irritantes, eu garanto! Mesmo assim, leve repelente na mala – e um xarope antialérgico receitado pelo pediatra, caso o(a) filho(a) for alérgico a picadas. Eu sempre levo! No comércio local você vai encontrar alguns repelentes à base de citronela, que garantem manter o borrachudo bem longe!

Praias

Quando eu era “xófem”, frequentava bastante a famosa praia do Curral, ao sul da ilha. Aí vieram os filhos e fui atrás de uma praia mais calma, com menos movimento e menos trânsito para chegar em épocas de alta temporada. Me encontrei na Praia da Armação, no lado norte da ilha, com águas calmas e cristalinas, perfeitas para crianças. Mas ela não é tão vazia assim! A praia abriga a escola de vela BL3, possui um estacionamento na frente, tem alguns quiosques com aluguel de cadeiras e guarda-sóis e abriga um restaurante/ bar mara chamado Vila Salga. O Vila Salga tem uma estrutura ótima, com mesas e sofás de pallets, cardápio variado (com menu kids) e banheiro LIMPÍSSIMO com trocador (e isso eu sei que conta bastante para quem vai com criança para praia). Mas o restaurante só está abrindo nas temporadas de verão, então é melhor ligar antes para saber se ele estará aberto na época que vocês forem. Para quem não quer ficar em restaurante nenhum, tem uma árvore centenária belíssima no final da praia que oferece uma sombra perfeita, logo ao lado do Vila Salga, com uma capelinha ao fundo e ainda com um parquinho de madeira.

Praia da Armação

Praia da Armação

Outra praia propícia para ir com crianças pequenas é a Praia da Siriúba, também ao norte da Ilha (pouco antes das praias do Sino). O mar é tranquilo e raso, daqueles que você nada, nada e ainda dá pé na maré baixa. Também tem restaurante na praia, o Balleno Beach Bar (um pouco mais caro que da Armação), ducha e banheiro (do outro lado da rua). Não vi estacionamento da última vez que fui, mas conseguimos vaga na rua sem problemas.

Praia da Siriúba

Praia da Siriúba

Passeios

Dependendo de onde vocês estiverem hospedados, uma óóótima dica é alugar uma bike com cadeirinha e pedalar pela ciclovia à beira mar. Gente, o passeio é incrível, a paisagem é maravilhosa e, de quebra, você ainda pode parar em uma das praias da avenida principal e dar um belo mergulho! Em toda a orla do bairro do Perequê tem praias com parquinhos de madeira, com balanço, escorregador, etc. A região onde mais se concentra lojas de passeios e aluguéis de bicicletas é entre o Perequê e a Vila.

Parquinhos de madeira nas praias do Perequê

Parquinhos de madeira nas praias do Perequê

Paisagem da ciclovia de Ilhabela

Paisagem da ciclovia de Ilhabela

Fim de tarde na ciclovia: eu, o super carrinho e as crianças na charrete

Fim de tarde na ciclovia: eu, o super carrinho e as crianças na charrete

Pôr do sol em Ilhabela

Pôr do sol em Ilhabela

Cachoeira

A Ilhabela possui inúmeras cachoeiras para serem visitadas, mas a última que eu fui com os meus filhos e indico bastante é a Cachoeira dos Três Tombos, próxima à praia da Feiticeira, ao sul. São três quedas em meio à Mata Atlântica. É um passeio rápido, sem firulas. Ficamos apenas na primeira queda, pois li que a segunda não é muito indicada para crianças por conter pedras muito escorregadias. Dá para estacionar o carro pertinho da cachoeira, pegar uma rápida trilha e chegar ao destino. A água é rasinha e dá para as crianças darem um mergulho! Delícia!

Cachoeira dos 3 tombos: foto da primeira queda

Cachoeira dos 3 tombos: foto da primeira queda

Banho de cachoeira: quem resiste?

Banho de cachoeira: quem resiste?

Restaurante

Tratando-se de restaurantes com pratos (PF) bom e justo, acho que o mais conhecido da Ilha é o Cheiro Verde, na Vila. Mas no Perequê também tem um restaurante muito bom e que não tem só a opção do almoço executivo. É o Pimenta de Cheiro, que ainda conta com uma vista agradabilíssima para o mar. Mas dependendo do calor, é melhor ficar no salão interno com ar condicionado. Tem trocador pros bebês no banheiro? Teeem! Tem até um bercinho de vime para os babies que tirarem uma soneca durante o almoço dos pais 😉

Vista do restaurante Pimenta de Cheiro, no Perequê

Vista do restaurante Pimenta de Cheiro, no Perequê

berço de vime Pimenta de Cheiro

Isso que é restaurante baby friendly: tem até berço de vime para os bebês!

Pizza

Para a noite, é muito gostoso dar uma voltinha na vila, tomar um sorvete com as crianças e conhecer as lojinhas do centro. Mas uma pizza também é uma ótima pedida. No sentido balsa-vila (mais perto da vila), você cruza com uma placa de “O Caminho da Pizza”. Siga a placa e vai chegar em uma pizzaria bem gostosa, que serve pizza cortada em finas fatias (come-se com a mão e guardanapos, sem pratos e talheres). No fundo do estacionamento tem ainda um parquinho para as crianças (que na verdade é de uma pousada).

Bom, espero que minhas dicas possam ser aproveitadas! Confiram, também, os outros posts de viagens que já fiz. Clique aqui para ler!

Leia também:

O que fazer em Ilhabela com chuva e crianças

Os melhores hotéis para se hospedar com crianças

8 ciladas que você pode evitar nas viagens com crianças

Férias: 10 dicas para viajar com as crianças de carro

 

Viagens

Quais remédios levar em uma viagem com crianças

Vai viajar com as crianças? Confiram os remédios que não podem faltar na bagagem!

remedios para viajar

foto: pexels.com

Costumo falar que fazer a mala das crianças para passar um fim de semana na praia ou para passar 15 dias de férias no exterior dá praticamente o mesmo trabalho. O que muda é o volume, mas os itens são os mesmos. E um desses itens que acho que não pode faltar na bagagem é a farmacinha com remédios das crianças, independente se estão fazendo algum tratamento ou não.

Isso não é neura! Não tem coisa pior que precisar de um remédio e você estar longe de uma farmácia ou estar em um horário ruim para sair. Ou pior ainda, estar em outro país e não ter como comprar, uma vez que as prescrições de medicamentos não têm validade em outros países (leia abaixo dicas para levar remédios em viagens internacionais).

Sempre que nós viajamos levo uma malinha de remédios. Já aconteceu de estarmos na fila para fazer o check in para Dubai e eu me lembrar da malinha de remédios que havia ficado no carro! Sorte que o carro estava ali mesmo no aeroporto e saímos correndo para buscar!

Dependendo do destino da viagem dá para levar itens a menos. Ah gente, uma coisa importante: quando temos alguma virose ou imprevisto sempre entro em contato com a pediatra das crianças. Nunca dou remédio por conta própria, ok?

Já passei por perrengues por não ter levado todos os remédios. Quando fomos para o Chile, o Teodoro, na época com quase 2 anos, estava com uma tosse horrível e eu tinha levado só um restinho do xarope. O vidro acabou, a tosse piorou e nós que tivemos que bater perna em Santiago para achar o xarope correspondente. Tudo isso com a pediatra no WhatsApp rs!

farmacinha para viajar

Então aqui está uma listinha de medicamentos básicos que eu geralmente levo. No nosso caso ainda levo mais alguns outros remédios que as crianças usam quando têm crises de asma. Por isso é muito importante falar com o pediatra antes de viajar!

Remédios para levar nas viagens

  • Antitérmico/ antinflamatório – Geralmente levo 2 antitérmicos diferentes. E sim, já precisei usar os 2. Estávamos na Bahia quando meu filho pegou uma virose que dava uma febre alta que não baixava por nada e precisei intercalar:/
  • Antialérgico – Aqui em casa os dois são bem alérgicos e por isso não pode faltar
  • Xarope para tosse – Quando vamos para algum destino mais longe (ou internacional), levo o xarope que eles estão acostumados a tomar, mesmo se não estiverem com tosse. Se o destino for perto e eles não estiverem com tosse, não levo.
  • Primeiros socorros – Curativos, algodão, antisséptico para machucados
  • Termômetro
  • Pomada para picada de insetos
  • Antibiótico – Consulte o pediatra das crianças e pergunte se ele julga necessário levar uma caixa de antibióticos quando fizer uma viagem internacional.
  • Spray de própolis para dor de garganta – Não é essencial, mas pode ajudar no alívio de uma dor. Faço o mesmo que o xarope para tosse: se for destino internacional, levo. Se o destino for perto, tiver estrutura, etc, não levo.
  • Soro fisiológico para pingar no nariz
  • Remédio para diarreia (levo aqueles sachezinhos para reestabelecer a flora)
  • Remédio para gases e enjôo
  • Remédio para dor de ouvido

Será que esqueci de algum?

Como essa pergunta é bem comum quando estamos indo para o aeroporto, sugiro montar a malinha dos remédios com alguns dias de antecedência – dependendo do destino e do tempo de viagem.

Viagens internacionais: despachar os remédios ou não?

Lembre-se que existem regras para levar medicamentos no avião em viagens internacionais.

Se eu fosse levar todos os remédios na bagagem despachada, iria correr o risco de ter a mala extraviada e perder todos os remédios. Então a gente precisa pensar direitinho antes de dividir os medicamentos entre bagagem despachada e bagagem de mão.

No site da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) consta que “medicamentos (com prescrição médica), alimentação de bebês e líquidos de dietas especiais poderão ser transportados na quantidade necessária à utilização no período total de voo (incluídas eventuais escalas) e deverão ser apresentados no momento da inspeção de segurança”.

Existe uma regra para o transporte de líquidos em viagens internacionais que vou citar logo abaixo. Porém, no site da Anac também diz que “medicamentos que precisam ser levados na bagagem de mão em voos internacionais não se enquadram nas restrições para transporte de líquidos, mas deverão estar acompanhados da devida prescrição médica”. Ainda assim, para evitar dor de cabeça desnecessária, sigo a regra do transporte de líquidos na hora de levar os remédios.

Para transportar líquidos na bagagem de mão (incluindo aí os remédios, cremes, géis etc), o limite é de 100 ml por frasco, que deverão estar acondicionados em saquinhos plásticos transparentes do tipo zip, de até 20 x 20 cm. Uma informação importante: só são permitidas um saquinho zip por passageiro! Essas embalagens plásticas devem ser apresentadas na inspeção de embarque. (Clique aqui para ler as informações da Anac sobre bagagem de mão em viagens internacionais).

Então levando em conta todas essas regras, na bagagem de mão levo os remédios mais importantes incluindo o soro fisiológico em spray para espirrar no nariz durante o vôo (o ar condicionado do avião resseca e irrita a mucosa nasal).

Prefiro levar todos os remédios na caixa e, de preferência, fechados.

Sempre carrego a prescrição médica dos remédios – até porque nunca me lembro das doses necessárias. Se for algum remédio de uso contínuo ou tratamento, também é recomendando levar a receita traduzida para o inglês, mas apenas para o caso de fiscalização sanitária. As prescrições de medicamentos não têm validade em outros países. Dependendo do remédio, é necessário passar por um médico de onde você está para ter acesso ao medicamento. Por isso fazer uma lista de farmacinha para levar na viagem é tão importante.

Mesmo levando tanto remédio na mala, ainda assim é essencial fazer um seguro saúde antes de viajar. Vou preparar um outro post sobre isso e contar o dia que meu filho precisou usar esse seguro quando estávamos em Miami!

Boa viagem!

Leia também:

Produtos de farmácia dos EUA para crianças que valem a pena comprar

Para onde viajar no outono com a família

O que fazer em Ilhabela com chuva