Saúde & Alimentação

6 alimentos que não podem faltar na dieta das crianças: eles fazem parte do dia a dia dos seus filhos?

Outro dia postei no meu perfil do Instagram a foto de um prato do almoço que fiz para as crianças, com arroz e cação com molho de tomate e pimentão. Super fácil de fazer e as crianças adoram o peixe (sem contar que não tem espinhas). Eu queria ter achado uma explicação sobre a importância de oferecer peixe às crianças, mas na correria do almoço não encontrei e postei só a foto.

No mesmo dia me deparo com um release super interessante listando 6 alimentos que não podem faltar na alimentação das crianças. E, bingo, o peixe está nesta lista.

Quem selecionou esses alimentos foi o médico especialista e pesquisador da área da nutrição Patrick Rocha, que acompanha diariamente em seu consultório crianças que sofrem com sintomas como pressão alta, colesterol alto, e diabetes tipo 2 precocemente, em virtude, principalmente, de um histórico de má alimentação.

“Tenho orientado pais e mães sobre hábitos alimentares saudáveis, que incluem principalmente alimentos naturais, que não passaram pela indústria. Alimentos processados em geral são ricos em açúcar, conservantes, trigo, contém excesso de sal refinado, gorduras trans e óleos vegetais industrializados, que são péssimos para o organismo. Com a mudança de hábitos é perfeitamente possível mudar essa situação, pois as crianças de uma forma geral possuem o metabolismo excelente”, destaca o médico Patrick Rocha.

De acordo com o Dr. Patrick Rocha, esses são os 6 alimentos fundamentais que podem ocupar o lugar dos pães, salgadinhos e biscoitos, na dieta diária e colaboram com o bom desenvolvimento físico e cognitivo das crianças:

Photo credit: ruurmo via VisualHunt.com / CC BY-SA

Photo credit: ruurmo via VisualHunt.com / CC BY-SA

1) Ovos
Depois do leite materno esse é o alimento mais saudável que existe. Prefira os ovos caipiras que são mais nutritivos e saborosos.

2) Abacate
É uma fruta excelente para crianças. É rica em vitaminas e gorduras saudáveis.

3) Coalhada ou Iogurte Natural Integral
Vai ajudar e desenvolver uma flora intestinal saudável, melhorando a absorção de nutrientes e prevenindo o sobrepeso e a obesidade infantil. Se for adoçado, o indicado é consumir batido com alguma fruta doce como banana ou mamão.

4) Coco
Nas suas variadas formas, o coco seja a água de coco, a polpa, o coco ralado (não adoçado), o óleo de coco é um alimento muito benéfico para a saúde infantil. Rico em gorduras saudáveis ele ajuda a combater até infecções (gripes, verminoses, bactérias), sendo um alimento funcional excelente.

5) Peixes
De preferência frescos e criados naturalmente (mar ou rio), os peixes são ricos em proteínas e gorduras saudáveis e também são ricos em ômega 3, fundamental para a saúde do cérebro da criança, melhorando seu crescimento e desenvolvimento.

6) Hortaliças e Legumes
São ricos em vitaminas e fibras principalmente. Quanto mais variedade nas cores melhor para a saúde da criança.

Bom gente, essa lista não é nenhum bicho de 7 cabeças, né? Super fácil de colocar em prática (mas não é pra criança viver à base disso… você pode equilibrar junto com outros alimentos)! Até me senti aliviada em saber da importância do ovo. Aqui em casa, quando estou sem disposição nenhuma de cozinhar (ou quando não deu tempo de fazer compras), vou no arroz-com-ovo mesmo e dá super certo! Mas ainda preciso batalhar mais na aceitação de legumes e hortaliças!

E na sua casa, como está a alimentação?

P.S. Caso ainda não tenha introduzido algum destes alimentos na dieta dos filhos, consulte o pediatra. A clara do ovo, por exemplo, só deve ser oferecida à criança após 1 ano de idade.

Comportamento

A vida depois de largar a chupeta (não tá fácil!)

Meu filho usou chupeta até 3 anos e 9 meses. Foi uma decisão dele, sem choros, sem traumas. Estávamos vendo TV, passou uma propaganda de brinquedo e ele disse que queria. Eu, pela milésima vez, disse que o dia que ele largasse a chupeta ele ganharia um patinete. Ele tirou a chupeta da boca, levantou do sofá e disse: não vou mais usar pepeta, vou jogar fora. Com medo de perder uma chupeta novinha (e, consequentemente, 25 reais), me ofereci para “jogar”, mas meu filho insistiu e disse que ele mesmo faria isso. Jogou e não falou mais sobre o assunto.

Largar a chupeta

À noite, na hora de dormir, ficou se revirando bastante na cama, mas finalmente caiu no sono. A madrugada agitada, com choros saudosos da chupeta ficou na minha imaginação, porque ele teve uma noite muito tranquila. E desde então nada mais de chupeta!

MAS a história termina aí? Nããão, claro que não! E é isso que não te contam!!

Para o filho largar a chupeta, a gente encontra centenas de textos por aí com dicas e mais dicas. Até tentei usar algumas, como a famosa foto do mendigo, dizendo que ele usava chupeta e ficou assim :/ Não adiantou nada e ainda fez meu pequeno ter pesadelo, tadinho. Morri de remorso… Ele ficou 1 semana falando nessa foto (#menasmae).

mendigo

Mas e o pós adeus-pepeta? Aqui, pelo menos, não foi fácil!

Apesar de ter sido uma decisão dele e de o assunto “chupeta” ter simplesmente desaparecido do vocabulário dele, meu filho está passando por uma fase emocional complicada. Eu diria que é uma fase de aprendizado emocional, pois ele não tem mais aquele “porto seguro”, representado pela chupeta.

Antes de largar a chupeta, bastava alguns minutinhos deitada do lado para ele engatar o soninho. Hoje ele luta bastante contra o sono e demora muito mais tempo para dormir.

Quando fica de mau humor ou bravo com alguma coisa, é muito difícil acalmar os ânimos. Muito compreensível, afinal, nesses momentos a chupeta o acalmava. E agora ele tem que aprender a se acalmar sozinho. Só que os dias de mau humor estão bem frequentes e, muitas vezes, durante essas crises, eu já teria oferecido a chupeta a ele.

Aos poucos ele vai se acostumando com esse novo “ele”, vai aprendendo a se acalmar sem o uso da chupeta e, principalmente, reaprendendo a dormir. Enquanto isso, repito o mantra: “paciência, é uma fase, vai passar”.

Se você está passando pela mesma crise que nós, sinto muito, eu não posso te dar “10 dicas infalíveis”.  A única coisa que posso te dizer é: “Tamo junto”.

Quero ressaltar que ele não largou a chupeta assim, “do nada”.

Por muito tempo, cerca de 1 ano, nós (o pai e eu) vínhamos falando sobre a chupeta com ele. Que é só bebê que usa, que ele ia ganhar um presente, que os dentes iam ficar tortos, que era para entregar pro Papai Noel, pro coelhinho da Páscoa… enfim, usamos todos os artifícios. Em todos os momentos achei que não estava adiantando de nada. A única coisa que me amparava era saber que ninguém usa chupeta pra sempre, com exceção do Adalto, da novela Avenida Brasil hihihi.

Então tenha paciência e continue insistindo, que uma hora vai! Eu, particularmente sou contra tirar a chupeta da criança sem o consentimento dela. Do tipo: “acabou, a partir de hoje você não tem mais chupeta”. Acho que tem que partir da criança. Mas cada mãe sabe o que é melhor para o(a) filho(a)

Tomara que toda essa experiência sirva com a minha caçula, pois muito em breve terei que tirar dela também. Segundo a fonoaudióloga que atende meu filho (sim, ele teve um pequeno atraso na pronúncia de alguns sons devido ao uso da chupeta), o limite de uso é até os 2 anos.

E aí na sua casa, como foi tirar a chupeta dos filhos? Fácil? Muito choro? Compartilhe a sua experiência!


Atualização:

Escrevi esse texto há algumas semanas e é com muita felicidade que conto que essa fase de sono ruim, mau humor e dificuldade para se acalmar está passando de verdade! 🙂

Leiam também:

Fono explica os prejuízos causados pela mamadeira e pela chupeta após os 2 anos de idade

Desfralde: seu filho está pronto?

Dicas para o desfralde noturno

Recomendo

Tem Criança na Cozinha – Culinária Divertida: livro de receitas voltado para crianças

Baseado no programa infantil de culinária Tem Criança na Cozinha, do canal Gloob, a editora Ciranda Cultural acaba de lançar o livro “Culinária Divertida”, com receitas, dicas sobre alimentos, utensílios e eletrodomésticos, além de adesivos para marcar os pratos preferidos.

crianca-na-cozinha

O livro traz um passo a passo simples, com fotos dos pratos e ilustrações de ingredientes e quantidades.

Pizza, pastel de forno e Ratatouile são algumas receitas que os leitores vão encontrar na seção “Pratos Salgados para Saborear”. Já a seção de doces ensina pratos como suflê de doce de leite, rocambole de morango e pudim. Na última parte, chamada de “Lanches para reunir os Amigos”, os chefs mirins ensinam sugestões clássicas como bolinho de chuva, cookie e biscoitinhos amanteigados.

Para a criançada de casa que adora colocar a mão na massa, é um presente bem bacana!

Ah gente, aproveitem e leiam a entrevista que fiz com os apresentadores mirins da nova temporada do programa Tem Criança na Cozinha clicando aqui.