Comportamento

Prepare-se para a compra da lista de material escolar 2018

Dezembro e janeiro são meses de presentes, férias, viagens e… Gastos, muitos gastos, incluindo aí a temível LISTA DE MATERIAL ESCOLAR! (dá arrepio só de falar)

material escolar

Foto: Pexels

Começar o ano novo com dívidas e no vermelho não é boa coisa. Só que é aquela história, né? Não tem como fugir dos gastos do material escolar do ano seguinte. O que podemos fazer é tentar diminuir ao máximo o impacto que isso causa no nosso orçamento.

Por isso o planejamento financeiro doméstico é tão importante!

Como contei em outro post sobre mudança de escola, meus filhos estarão em um colégio novo e isso quer dizer:

Lista mais completa de material escolar, uma vez que meu filho mais velho está indo para o primeiro ano do ensino fundamental. Agora começam os gastos com os livros!

Uniforme – Em geral, independente da escola, os uniformes não são nada baratos. Nunca vi alguém falando que o uniforme da sua escola é super em conta.

Ou seja, é puxado!!

Por isso procurei a orientadora financeira Dora Ramos, que nos deu algumas dicas sobre economia. O que podemos fazer para a compra do material escolar doer menos no bolso? Como lidar com tantos gastos de fim de ano?

Para quem está com dívidas, a coisa fica pior ainda! Por isso, Dora Ramos sugere: organizar as finanças, evitar gastos desnecessários e negociar para pagar o menor valor possível aos credores. “Para começar, é fundamental que os endividados não sejam vítimas do bombardeio de ofertas desta época de festas e adquiram novas dívidas de longo prazo”, explica.

Cortar gastos considerados supérfluos pode ser necessário, segundo a especialista: “Aquela viagem de fim de ano pode ser adiada; aquela pizza não é tão fundamental assim durante a semana; seu cachorro pode sobreviver sem aquele brinquedinho; e seu cabelo, com certeza, não precisa visitar o salão de beleza com tanta frequência. Já na ida ao supermercado, opte por marcas mais acessíveis, pois aqueles poucos centavos que nunca foram levados em conta vão fazer sentido nesse período”.

São pequenas economias que podem fazer a diferença na hora de comprar o material escolar.

E apesar das lojas e papelarias incentivarem as compras somente em janeiro, algumas escolas já liberam a lista em dezembro. Portanto, dependendo do seu planejamento, as compras já podem ser feitas desde já.

“Comprar agora em dezembro pode ser uma boa opção, se os pais acompanham os preços e conseguem perceber que, historicamente, no ano seguinte os preços dos materiais básicos – como cadernos, papel sulfite e canetas – não apresentam descontos nos valores. Há, portanto, um estímulo para postergar a compra. É importante observar se, no momento de adquirir os produtos, a compra será feita dentro de um planejamento em que o investimento feito não vá comprometer o orçamento geral”, explica Dora Ramos.

E na hora do pagamento, a orientadora financeira afirma que a melhor opção é comprar à vista e, se possível, com desconto. “O uso do 13º pode contribuir para uma compra economicamente mais viável”, completa.

Comportamento

Estudo revela diferentes tipos de pais e os reflexos que causam na infância. Que tipo de pais vocês são?

criança feliz

Você já parou para pensar que tipo de mãe/ pai é você e como isso pode refletir no comportamento dos filhos? Porque, né, mãe não é tudo igual não…

O canal Gloob, em parceria com a consultoria Play – Pesquisa e Conteúdo Inteligente, a curadoria de conhecimento Inesplorato e o Instituto de Pesquisa Quantas, realizou uma pesquisa para mapear os diferentes tipos de cuidar e os reflexos que causam nas características comportamentais das crianças.

Chamado “Vem de Casa”, o estudo apontou três diferentes tipos de pais em relação ao modo com que cuidam dos filhos. Em qual desses tipos de pais você se identifica?

·         É normal você se identificar e transitar entre um tipo e outro, assim como as crianças também podem expressar mais de um desses comportamentos. A pesquisa foi realizada com mais de 1 mil entrevistas.

Balança (41%)

Os pais “Balança” estimulam a curiosidade e a autoexpressão dos filhos, além de discutirem e os consultarem, com frequência, sobre as decisões. Os filhos dos pais “Balança” são questionadores, colaborativos, independentes e espontâneos.

Sinal Verde (22%)

Os responsáveis do grupo “Sinal Verde” permitem que as crianças regulem suas próprias atividades, são poucos exigentes quanto à ordem e aceitam com mais facilidade os impulsos e desejos das crianças. Os filhos dos pais “Sinal Verde” são curiosos, individualistas e com grande acesso a informações.

GPS (37%)

Já os pais “GPS” apresentam um nível de controle maior em relação aos filhos. As regras, proibições e restrições são nítidas e valorizam o respeito pela autoridade e pela ordem. Entre os pais “GPS” predominam crianças mais obedientes, com características pouco questionadoras e que nem sempre expressam suas vontades

O estudo revelou outro dado importante: apesar de 97% dos pais acreditarem que brincar é importante para o desenvolvimento do filho, apenas 64% brincam às vezes, segundo os filhos.

Confiram outras informações da pesquisa:

Infográfico Dossiê 2017 Gloob

·         Para o “Vem de Casa” foram realizadas mais de 1 mil entrevistas com pais e crianças entre 06 e 09 anos, de diferentes regiões do país, que compõem as classes ABC e que têm acesso aos canais infantis da Tv Paga. O estudo foi realizado em três fases – uma curadoria sobre a infância, comandada pela Inesplorato; uma etapa quantitativa conduzida pela Quantas; e a Home Invasion, realizada pela Play.

Em 2015 o canal Gloob também divulgou uma pesquisa realizada com crianças de 6 a 9 anos revelando o comportamento da geração “on demand“.

Comportamento

Dicas para o desfralde noturno

Acabamos de passar pelo desfralde noturno!

Foto: pexels.com

Foto: pexels.com

É oficial, não temos mais resquícios de bebês em casa… já se foram as chupetas, as mamadeiras e agora, finalmente, posso dizer que acabou a época das fraldas!

O desfralde da Alice durante o dia já havia sido concluído há bastante tempo, mas ela continuava usando fralda à noite.

Nunca tive a menor pressa em tirar a fralda da noite. Aliás, sempre tratamos como dois processos totalmente distintos. Portanto, enquanto trabalhávamos no desfralde do dia, nem passava pela nossa cabeça o desfralde da noite. Com o meu filho mais velho foi igual.

Tudo aqui aconteceu de uma forma natural. Depois de alguns bons meses com o desfralde diurno estabilizado, começamos a pensar no momento da retirada da fralda da noite. Aos poucos, ela foi acordando com a fralda seca, mas ainda assim mantive.

Uma coisa que eu sempre fiz questão era de tirar a fralda assim que acordasse. Nada de deixá-la brincando, curtindo uma preguicinha usando fralda. Acordou, era hora de ir pro banheiro, tirar a fralda e fazer xixi.

Também passamos por uma fase de testes, quando ela adormecia à tarde sem estar usando fralda. Nessas sonequinhas à tarde, acontecerem alguns escapes, molhando roupa, lençol, colchão, tudo. Faz parte, não tem jeito!

De vez em quando ela me questionava e falava que não queria mais usar fralda à noite e eu explicava que precisávamos só de mais um pouquinho de tempo, até ela estar preparada, até ela conseguir acordar quando quisesse fazer xixi de madrugada etc. Ela sempre foi muito envolvida por nós no assunto. Ou seja, não se tratava de uma decisão minha e ponto final. Tentava contextualizar para ela sempre que podia.

Também escolhi o inverno passar e esperar o calor para iniciar o desfralde. Não dá para ficar lavando lençol, colchão, mantas etc nos dias de frio, levando 2, 3 dias para secar. Mas iniciar o desfralde noturno no calor também tem outra teoria: é a época que eles suam mais e fazem menos xixi.

Bem, o calor chegou e um dia fomos surpreendidos: enquanto colocava o pijaminha da Alice me dei conta que a fralda havia acabado e eu não tinha mais nenhuma! Não tinha outra opção: vai dormir sem! E apenas avisei: Alice, hoje você vai dormir sem fralda porque a mamãe esqueceu de comprar. Sem pressão nenhuma! E na outra noite, em vez de comprar fraldas, quisemos repetir a façanha. E deu certo de novo. Já faz 1 mês que tiramos a fralda noturna e até hoje nenhum escape. A Alice está com 3 anos e 9 meses. Mas acho que ainda pode acontecer!

Algumas pessoas precisam acordar no meio da madrugada e levar a criança ainda sonâmbula para fazer xixi. Graças a Deus não precisei fazer isso. Porque, gente, já durmo super pouco, se ainda tiver que colocar despertador para levar filho ao banheiro toda noite… ai não rola não. Mas isso é de cada criança. Nunca levei porque não precisei (ufa!).

Quando ela sente vontade, aí sim, acorda chorando e a levo ao banheiro. Apesar de muitos sugerirem para evitar líquidos 2 horas antes de dormir, não faço nenhuma restrição. Ela já não toma leite antes de dormir há um tempo, mas muitas vezes pede suco ou água e eu dou.

Protetores de colchão

Como ainda acho que pode rolar um escape qualquer dia, uso no colchão da Alice um forro de colchão impermeável que era do berço deles (era do Teodoro, depois passou pra Alice. Já lavei algumas vezes na máquina. Ou seja: dura!). O forro é parecido com este, da Alô Bebê:

protetor de colchão impermeavel

Mas existem outros protetores de colchão para desfralde no mercado e que são descartáveis. A Needs, por exemplo, marca da Droga Raia, comercializa o protetor de colchão baby, descartável e absorvente, que também pode ser usado nas cadeirinhas de carro, sofá etc. O tamanho é de 80 x 60 cm.

protetor de colchão descartavel needs

Também conheço o protetor da marca Baby & Me, no tamanho 70 x 60 cm, descartável e absorvente.

desfralde baby me

Já vi gente recomendar usar tapetinho higiênico de cachorro para usar colchão hahaha Acho desnecessário, sendo que existe o produto para humanos rs. Na falta do protetor para as crianças, vale procurar nas farmácias protetores descartáveis de colchão geriátrico, pois têm a mesma finalidade.

Xixi no colchão no meio da noite, e agora?

E quando você não usou o protetor e aconteceu um incidente? Ter sempre lençóis reserva é necessário, assim como uma mantinha reserva! Para limpar o colchão, a sugestão é colocar jornal em cima da parte molhada para absorver. Eu passo um pano embebido em álcool e depois água oxigenada 10 volumes para tirar o cheiro do xixi. Também gosto de deixar o colchão no sol ou tomando um ar na lavanderia/ quintal.

Xixi na cama depois dos 5 anos

Se você achar que seu filho ou filha já passou da idade do desfralde noturno, vocês já fizeram diversas tentativas e está muito difícil, vale a pena conversar com um especialista. Existe um distúrbio chamado enurese noturna, caracterizado pela perda involuntária de urina durante o sono após os 5 anos. A enurese noturna atinge 15% das crianças acima de 5 anos e tem diversas causas, entre eles a genética. De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia, 44% das crianças cujo um dos pais teve enurese e 77% daquelas que ambos os pais tiveram enurese terão o problema.

Cada família, uma experiência

Gente, esse post serviu para contar como foi o desfralde noturno aqui em casa e passar as dicas que serviram com a gente. Mas tenham em mente que cada família tem o seu tempo, suas facilidades e suas dificuldades. Nada pode ser considerado como uma regra. Mas é importante: ter paciência (novidade, né?! Rs) e não brigar ou penalizar a criança quando rolar um xixi na cama.

Para quem ainda está no processo do desfralde diurno, tem dois posts bem interessantes aqui no blog que leva a assinatura da psicóloga Joana Petrili, que trabalha há 15 anos com crianças e adultos em psicoterapia:

>> Desfralde: seu filho está pronto?

>> Desfralde parte 2: livros que podem ajudar a família