Comportamento

Bate papo com os apresentadores do programa Tem Criança na Cozinha

Você já deve ter notado que, de uns tempos pra cá, os programas culinários e realities de gastronomia estão ganhando cada vez mais espaço na televisão. E o mais legal é que esse tipo de programação está conquistando os nossos pequenos também – estejam eles assistindo de casa ou estrelando por detrás das câmeras.

Nesta semana estreou no canal Gloob a nova temporada do programa Tem Criança na Cozinha. A cada episódio, o trio de apresentadores mirins – Drico, Thiago e Lara – colocam a mão na massa e mostram que cozinhar não é só para adultos. Eu acho o máximo criança cozinhando (com os devidos cuidados e segurança, claro)! Acredito que essa curiosidade que as crianças têm na cozinha pode ajudar bastante a conquistar hábitos alimentares saudáveis.

tem crianca na cozinha

Fiz uma entrevista com o Drico (13 anos) e com o Thiago (10), novos apresentadores desta temporada. Foi um bate papo sobre o programa, alimentação e inspiração na cozinha.

E vou falar uma coisa, viu? Eles têm muito o que ensinar para a gente! Aqui os meninos deram algumas dicas preciosas para nós, mães. Sabe quando o filho enxerga de longe aquele verdinho no prato e já faz cara feia? Eles contaram o segredo de como convencer as crianças a comerem! Também abrem o jogo sobre comidinhas que não podem faltar em uma festa e sugerem receitas para fazer em casa com os pais.

Todas as Mães- Como foi entrar para a nova temporada do programa “Tem Criança Nessa Cozinha?”
Drico: Eu tinha terminado de gravar a novela Império, quando veio a oportunidade de fazer o teste para o programa. Eu adorei!

Thiago: Foi o teste mais tenso e emocionante que eu já fiz até hoje. Foi muito concorrido e foi meu primeiro programa de TV, então minha família toda e eu estávamos torcendo muito. Assim que eu recebi a resposta que eu tinha passado, fiquei muito feliz e comemorei muito. Até esqueci que tive que cancelar minha viagem para a Disney, para onde eu nunca fui, mas a vontade de fazer o programa era maior!

drico gloobTodas as Mães – Como foi entrar para a nova temporada do programa “Tem Criança Nessa Cozinha?”

Drico: Eu tinha terminado de gravar a novela Império, quando veio a oportunidade de fazer o teste para o programa. Eu adorei!

Thiago: Foi o teste mais tenso e emocionante que eu já fiz até hoje. Foi muito concorrido e foi meu primeiro programa de TV, então minha família toda e eu estávamos torcendo muito. Assim que eu recebi a resposta que eu tinha passado, fiquei muito feliz e comemorei muito. Até esqueci que tive que cancelar minha viagem para a Disney, para onde eu nunca fui, mas a vontade de fazer o programa era maior!

thiago gloob

Todas as Mães – Vocês cozinham em casa? Em quem se inspiram?

Drico: Eu ajudo minha mãe na cozinha, agora ela tem deixado mais. Eu me inspiro nas minhas avós, Luisa e Alzira.

Thiago: Me inspiro na minha avó e na minha mãe. Ajudo minha mãe na cozinha, mas sozinho ela ainda não deixa porque sou criança e não posso mexer no fogo. Eu faço as receitas que não representam perigo para mim.

Todas as Mães – Contem pra gente: qual o segredo para as mães fazerem as crianças comerem verduras e legumes?

Drico: Deixar seus filhos conhecerem mais sobre os alimentos, contar uma curiosidade sobre o alimento e deixar que eles ajudem a preparar.

Thiago: O segredo para mim é experimentar sem ver o que estou comendo e depois falar qual eu mais gostei. Por exemplo: cortar os legumes bem pequenininhos e misturar na comida que a criança mais gosta, depois que ela comeu a mãe revela qual o legume que estava no prato.

Todas as Mães – Agora o assunto é festa: quando tem um aniversário, qual comida/ salgado ou doce não pode faltar de jeito nenhum?!

Drico: Brigadeirooooo!!! Amo!!!

Thiago: Para mim o que não pode faltar em uma festa é coxinha de galinha, hamburguinho e pizza. Não ligo muito para doces.

Todas as Mães – A nova temporada do programa promete trazer receitas mais saudáveis: então me digam que lanche considerado saudável as crianças geralmente gostam de levar para a escola?

Drico: Sanduíches de queijo minas e blanquet. Pelo menos eu gosto e é saudável.

Thiago: Um lanche saudável para levar na merenda é um delicioso sanduíche natural e um suco de fruta.

Todas as Mães – Indiquem uma receita para as mães fazerem com seus filhos em casa!

Drico: Brigadeiro. rs…

1lata de leite condensado,

1 colher de sopa de margarina ou manteiga,

3 colheres de achocolatado.

Mexer em fogo baixo até desgrudar do fundo da panela. Esperar esfriar, fazer bolinhas e passar no chocolate granulado.

Thiago: Eu indico uma das receitas que mais gostei de fazer no programa: Macarrão à Bolonhesa de Atum. Eu não comia atum e passei a gostar assim que experimentei no programa. Viu como é bom experimentar antes de falar que não gosta?! Confiram a receita aqui.


O programa Tem Criança na Cozinha passa no Canal Gloob, de segunda a sexta, às 12h45. Pela internet, as crianças de casa também podem enviar uma receita para mundogloob.com.br. A cada semana uma receita será escolhida e publicada na página do programa e nas redes sociais do canal. No tablet, o aplicativo Mega Chef, lançado pelo canal em 2014 e disponível para IOS e Android, ganhará atualização no mês de outubro. O app traz receitas de verdade e desafia o jogador a montar a sequência certa dos ingredientes. Na nova versão, o aplicativo conta com mais seis livros com novas receitas e games.

Comportamento

Páscoa aumenta a procura por coelhinhos (não faça isso!)

Você sabia que nesta época do ano aumenta o número de famílias que querem levar para casa um coelhinho? Pudera, né… estamos na Páscoa e os coelhos são realmente MUITO fofos!

Mas você sabia também que algumas semanas depois da Páscoa muitos coelhos são abandonados? 🙁 Isso porque tem gente que, ao invés de presentear com lembrancinhas ou ovos de Páscoa, dá um coelho, como se fosse um objeto. E depois a pessoa se dá conta que não tem condições de cuidar de um bichinho desses. Lamentável esse tipo de atitude, né?

coelhinhos

Sei também que existe gente que respeita os animais e cuida deles como merecem. Por isso, a médica veterinária Mariana Pestelli, especialista em animais silvestres do Grupo Pet Center Marginal/Petz, alerta sobre alguns cuidados necessários. E quem não conseguir garantir essas condições ao coelhinho, por favor, não o adote. Pense SEMPRE na posse responsável.

– Os coelhos necessitam de espaço para se exercitarem. Como podem atingir 40 cm de comprimento e até 2,5kg kg, é importante que fiquem em gaiolas pelo menos 2 vezes maior que o seu tamanho e sejam soltos pelo menos uma vez por dia para se exercitarem e esticarem as patas;

– Como eles vivem até sete anos, as famílias precisam se preparar para essa convivência duradoura;

– Apesar de se adaptarem bem em todas as famílias, aquelas com crianças pequenas devem ensiná-las a carregá-los da maneira correta para evitar fraturas e quedas. Segure sempre apoiando suas patas dianteiras e traseiras;

– Sensíveis, eles se assustam facilmente e podem enfartar. É ideal que fiquem em locais calmos, sem ruídos. Vale lembrar que coelhos costumam fugir e morrem nas ruas, já que são domesticados e não sabem se proteger, nem se alimentar;

– Há rações específicas, mas é interessante que comam também alimentos frescos, como folhas, legumes e frutas;

– São mastigadores em potencial. Aliás, os dentes dos coelhos nunca param de crescer. É interessante que tenham brinquedos para roer. Evite objetos como papelão por perto, eles vão roer;

– Banhos: pode-se fazer uma limpeza com lenços umedecidos, mas também é aconselhado o banho em centros de estética com experiência em banhos de coelhos. Por serem animais altamente estressáveis, não recomendamos o banho em qualquer local.

E lembre-se: nunca compre ou adote um animal por impulso.

Comportamento

Educadora musical Andréia Lima fala sobre os benefícios da musicalização infantil

Difícil encontrar alguém que não goste de música. Música desperta, acalma, emociona, relaxa, produz endorfina! E nas crianças, você sabe qual efeito que ela pode proporcionar? Para quem estiver procurando por uma atividade extra para os filhos ou até mesmo para entender a importância das aulas de música na escola, esse post foi feito para você!

musicalização infantil

Photo credit: JeremyOK via Visual Hunt / CC BY-NC

E não estou falando de uma criança de 10 anos ir para a aula de bateria, hein? Meu filho mais velho frequentou aula de musicalização infantil quando tinha 8 meses (comigo junto, claro). Ele adorava, era um momento super educativo e divertido ao mesmo tempo. Explorava os instrumentos musicais com muita curiosidade e animava-se com as canções e brincadeiras musicais. E, no meio de uma aula tão lúdica, meu filho, que sempre foi agitadinho, ficava mais concentrado, aprendia a seguir o grupo e a participar das atividades propostas. Isso sem contar com a socialização com outras crianças (ele ainda não ia à escola ainda). Foi enriquecedor, com certeza! E ainda é! Atualmente a música está presente para ele tanto nas aulas de musicalização quanto nas de inglês na escola. Muito mais fácil aprender cantando, não é?

E para falar sobre musicalização infantil, chamei a educadora musical Andréia Lima*, idealizadora do projeto “Musiqueira – produção cultural para bebês e crianças“. Ela me contou que os bebês a partir de 4 meses já podem participar de oficinas de música: “Nesta fase a maioria reage com alegria quando escuta um som que gosta e a mãe se sente mais segura”. Confira abaixo a entrevista completa e leia algumas dicas para fazer brincadeiras musicais em casa com seus filhos:

andreia lima

Quais os benefícios da musicalização infantil?
A musicalização infantil contribui para o desenvolvimento das habilidades como lateralidade, concentração, atenção, raciocínio lógico, socialização, sensiblidade e musicalidade, que colaboram para a formaçao da criança como indivíduo.

A partir de que idade os bebês podem frequentar aulas de música?
Eu trabalho com bebês a partir de 4 meses, pois nesta fase a maioria já consegue conter o choro quando escuta o som de um objeto, reage com alegria quando escuta um som que gosta e a mãe se sente mais segura.

Em geral, como são as atividades para os bebês? E para as crianças?
Quando mais novo o bebê, mais brinquedos musicais, e, para as crianças, mais instrumentos e músicas com movimento. As atividades trabalham as habilidades, mas sempre respeitando a linguagem de cada fase. Posso utilizar a mesma música para todas as fases, mas de uma forma diferente.

Em casa, como podemos “brincar de música” com nossos filhos, além de cantar para eles?
Pode fazer batuque com objetos da casa com panelas  e colheres, sons com o corpo como do beijo, cavalo e chuva – eles adoram! Pode-se criar histórias para as crianças fazerem os sons e também brincar de regência com uma musica clássica, assim se estimula a criatividade e percepção auditiva.

Existe alguma diferença na percepção musical entre meninos e meninas? Pelo que observo, as meninas são mais soltas, gostam de dançar mais… isso existe mesmo?
Essa pergunta é muito interessante! As meninas são consideradas mais afinadas do que os meninos e são também mais estimuladas ao movimento, mas acredito que isso seja uma questão cultural. Raramente os pais estimulam seus filhos a dançarem, mas também temos mais meninos musicistas do que meninas. Então acredito que a diferença perceptiva seja mínima.

* Andreia Lima é educadora musical e idealizadora do projeto “Musiqueira – produção cultural para bebês e crianças”. Realiza oficinas musicais para bebês, crianças e educadores da primeira infância. Contato: https://www.facebook.com/musiqueiraartes e http://musiqueiraartes.com.br