Comportamento

Descomplica Mãe

Hoje foi um dia muito especial! Participei do nascimento do Descomplica Mãe, no qual a Mariana Ferrão (apresentadora do Bem Estar e mãe de 2 meninos) é madrinha. Estou muito honrada em ter sido convidada para ser embaixadora deste lindo projeto, ao lado de outras mães blogueiras talentosíssimas – muitas das quais eu já conhecia e era fã!

Descomplica Mãe

Além de criar conteúdo diferenciado com a colaboração das embaixadoras, o projeto culminará em um grande evento no dia 21 de outubro que contará com palestras gratuitas, talk show, feira de exposições e venda de artigos, além de ação social. Será o maior evento do Brasil para mães e terá nomes de peso, como Mariana Ferrão, Dra. Ana Escobar, Maria Luiza Petty, Luiz Hanns, Dr. Fernando Gomes Pinto, Rosely Sayão, entre outros.

Descomplica Mãe

Ela é linda e muito simpática! Me emocionei com os relatos que a Mariana Ferrão fez sobre a maternidade, mostrando que todas nós, mães, temos muito o que ensinar e o que aprender!

Muito obrigada pelo convite, farei parte do #descomplicamaeoficial com o maior prazer! Afinal de contas, tudo o que a gente quer mesmo é descomplicar, não é?!

Comportamento

10 pautas para blogs de maternidade daqui a 30 anos

Em um dos seminários da Pais&Filhos que estive presente, a Mônica Figueiredo, diretora editorial da revista, brincou sobre a quantidade de blogueiras de maternidade que existe hoje em dia: “nasce um bebê, nasce um blog”. Todas nós rimos, pois essa é a mais pura verdade! Existem centenas ou milhares de blogs de maternidade que falam sobre a experiência de ser mãe. E não é à toa que as mães blogueiras viraram novas influenciadoras digitais.

blog materno

Neste mês, a agência Youpper publicou um estudo inédito sobre mães, influência e consumo. De acordo com a pesquisa, 75% das mães brasileiras que acessam a internet, buscam informações sobre experiências reais que envolvem o universo maternal, os blogs, fóruns, redes sociais etc. O estudo apontou que não são as marcas diretamente que influenciam as mães, mas principalmente as vivências das mães com as marcas que determinam o consumo de produtos pelas mulheres que vivenciam a maternidade.

O difícil, para nós, blogueiras, não é criar um blog. O difícil é manter um blog, e com qualidade! Faço o Todas as Mães com o maior carinho e respeito, com o objetivo de fazê-lo crescer a cada ano. Escrevo pensando nas mães leitoras, sem deixar a minha essência e meu objetivo, que é compartilhar experiências, desabafos e novidades. É um trabalho de formiguinha, com muita paciência e perseverança. Não quero ganhar seguidoras… quero conquistar amigas. Por isso, sigo meu caminho, escrevendo com muito amor e dedicação, pois é isso que me faz feliz! AMO, amo demais quando leio um comentário de alguma mãe dizendo que meu texto a ajudou de alguma forma! Ou quando uma entrevistada/especialista convidada recebe elogios através do blog. AMO o que faço porque eu aprendo também, e ainda tenho muito o que aprender – tanto sendo mãe quanto blogueira rs

blogs de maternidade

Esse é o pôster que fica na minha mesa representando o meu amor pela escrita <3

E hoje, conversando com a minha mãe sobre me dedicar a um blog de maternidade, perguntei:

“Eita, e quando meus filhos crescerem? Minha carreira vai acabar hahaha?”

É claro, que não, respondeu minha mãe. “A gente sempre tem o que falar quando o assunto são filhos, não importa a idade. Não é porque sou avó que deixei te ver como minha filha”, disse a sábia da minha mãe . Então tá! Mãe e filha decidiram já deixar prontas algumas pautas para o meu blog daqui uns 20, 30 anos. Porque pelo que estou entendendo da maternidade, a preocupação com os filhos não acaba nunca, nem com o passar dos anos…

10 pautas para blogs de maternidade daqui a 30 anos

  1. Explicando para os filhos que não existia internet, Netflix e nem celular quando você nasceu.
    Sim, filho, eu já fui xóvem
  2. Educação e aulas de história: vale a pena contratar professor particular?
    Porque né… com a situação do Brasil fica difícil ter nota acima da média sem aula de reforço
  3. Síndrome do ninho vazio, como enfrentar 🙁
    Nossa hora vai chegar 🙁
  4. Almoçando com a nora (especial com 3 posts e entrevistas com especialistas)
    Não gostei dela…
  5. Dicas infalíveis para acabar com a farra do sumiço do tupperware
    Quem nunca?
  6. Almoço de domingo: sim, eles podem lavar a louça mesmo estando na sua casa!
    Vamo botar esses marmanjo pra trabalhá!
  7. “Quando serei avó?” e outras perguntinhas que meus filhos não gostam que eu faça.
    Mãe sendo mãe
  8. Ela não me ligou no fim de semana …será que minha filha está se afastando de mim?”
    Essa “pauta” foi sugerida pela minha mãe. Não, mãe, não estamos nos afastando rs
  9. Posso apresentar A Galinha Pintadinha aos netos? Sempre fiz isso com meus filhos e eles aí, criados e vivos!
    Na dúvida, a gente pergunta
  10. Transmissão 7D e holografia: confira a lista com os 5 melhores apps para estar em contato com os filhos e netos à distância
    Acho que vou publicar essa em 5 anos

É, gente… mães quando se juntam tem assunto de sobra, mesmo daqui  20, 30 anos!

Comportamento

Estudo revela que animais de estimação ajudam no desenvolvimento infantil

Os filhos andam pedindo um bichinho de estimação em casa? Quer uma dica? Pense com carinho nesta ideia! Você sabia que crianças com animais de estimação tendem a ter autoestima mais elevada, se sentem menos sozinhas e têm mais habilidades sociais? Não sou eu quem está dizendo isso… (mas até poderia, já que tenho 1 cachorro e 2 gatas em casa rs).

crianças e animais de estimação

Crianças com animais de estimação tendem a ter autoestima mais elevada

Em março deste ano a Universidade de Liverpool publicou um estudo no International Journal of Environmental Research and Public Health (Jornal Internacional de Pesquisa Ambiental e Saúde Pública), financiado pelo WALTHAM Centre for Pet Nutrition, sobre os efeitos de se ter animais de estimação no desenvolvimento emocional, educacional e comportamental de crianças e adolescentes.

“As idades críticas para o impacto da presença de animais de estimação na autoestima parecem ser mais expressivas em crianças com menos de seis anos e também em pré-adolescentes e adolescentes com mais de 10. Em geral, cães e gatos são considerados os melhores provedores de suporte social, talvez em função de um nível maior de interação e reciprocidade em comparação com outros animais de estimação”, diz a autora principal do estudo Rebecca Purewal. “Nas culturas ocidental e não-ocidental os animais de estimação podem agir como uma forma de apoio psicológico, ajudando as crianças a se sentirem melhor sobre si mesmas e criando uma autoimagem positiva”, afirma.

Aqui no blog eu já fiz dois posts bem legais sobre crianças e animais de estimação! Confiram:

>> Cães e gatos x crianças: mitos e verdades

>> Raças de cães mais adequadas para famílias com crianças