Comportamento

Coaching de mães: descubra como ele pode te ajudar!

Desorganização, inquietamento, insatisfação, vontade de mudar … Quem nunca se sentiu assim depois que tornou-se mãe? Sabe aquela vontade de pedir ajuda, mas sem saber para quem? Talvez a solução seja procurar uma coach de mães!

A tradução de coaching é “treinamento”. O Instituto Brasileiro de Coaching define como “uma metodologia nova que busca atender as seguintes necessidades humanas: atingir metas, solucionar problemas e desenvolver novas habilidades no ambiente pessoal ou profissional”. O termo vem sendo bastante utilizado para segmentos diversos, inclusive a maternidade. “Coach” é o profissional que exerce a profissão.

Foto: dreamstime free

Foto: dreamstime free

Mas o que faz exatamente uma coach de mães?

De acordo com Vanessa Ribeiro, administradora de empresas especializada em Gestão de Projetos e coach há 2 anos, o coaching é um processo de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal que ajuda as mães a tomarem decisões mais assertivas e reorganizarem a vida após a maternidade. Ela explica que o coaching pode ser útil em uma transição de carreira, no empreendedorismo materno, nas dúvidas e dificuldades na criação dos filhos, nos problemas de relacionamentos e até mesmo nos problemas com a autoestima. “Não é possível separar vida profissional e vida pessoal, porque quando uma área não vai bem automaticamente outras áreas acabam sendo afetadas”, alerta.

Evelyse Modesto, que atua como coach de mães há um ano, formada em Coaching Integral Sistêmico, aponta que é muito comum as mães perderem o controle do tempo, da saúde, da alimentação e da rotina após a chegada dos filhos. “Todas as mães precisam. É sempre possível ser melhor. Tudo que está bom pode melhorar. E tudo que está ruim, pode piorar. No coaching é sempre buscado o estado desejado, sempre resultados melhores”, completa.

Qual o perfil das mulheres que procuram por uma coach?

“Mulheres que buscam sua melhor versão. Que buscam melhor performance profissional, sem abandonar a família. Mulheres que buscam mais disciplina, organização, conhecimento e inteligência emocional para lidar com trabalho, marido, filhos”, afirma Evelyse Modesto.

Vanessa Ribeiro, que também é mentora do projeto online Mamãe de Sucesso (voltado para as mães com menos tempo e menor potencial de investimento), afirma que as mulheres que a procuram são, em sua maioria, mães que buscam uma forma de empreender seus conhecimentos e habilidades para ter maior flexibilidade de tempo com os filhos. “Muitas mães que já empreendem também me procuram por se sentirem improdutivas e não conseguirem alavancar os negócios”, diz.

coaching_vanessa ribeiro

“Além da carreira, trabalhamos a família e a saúde como um todo”, diz a coach Vanessa Ribeiro.

Foi o caso da professora de inglês Aline Fonseca, mãe de Gael, de 10 meses. Aline não estava satisfeita com os resultados financeiros de sua carreira dos últimos 4 anos em que atuava em regime de ME (Micro Empresa). “Me esgotou monetária, física e mentalmente”, diz. Quando o filho estava com 4 meses, no final da licença maternidade, Aline foi atrás da coach Vanessa Ribeiro no intuito de clarear as ideias em relação ao desenvolvimento pessoal e ao empreendedorismo materno. “Percebi possibilidades onde antes eu não havia visto”.

Patricia Alves, de 38 anos, com filhas de 21, 18 e 8 anos procurou a coach Evelyse Modesto para as sessões de coaching no início desse ano para se organizar e descobrir formas de voltar a trabalhar fora sem culpa, sem deixar a família de lado. “O sonho de me realizar profissionalmente é enorme, mas para a realização dele eu precisei de ajuda, dicas e orientação de como aproveitar o meu tempo da melhor forma possível”, revela. “O que mudou foi que minha coach me fez dar o primeiro passo, me fez ver que eu cumpro meu papel de mãe e sou muito feliz por isso, mas que agora chegou a hora de conciliar meu mundo mãe com meu mundo profissional, mulher”.

Evelyse Modesto

“O coaching está ligado a todas as áreas da vida”, afirma a coach Evelyse Modesto.

Pode ser comum algumas pessoas confundirem o coaching com sessões de psicoterapia, uma vez que em ambas as atividades existe o processo de autoconhecimento. A psicóloga e palestrante Mariana Bonnás passou recentemente pelo processo de coaching com Vanessa Ribeiro. Ela explica que psicoterapia e coaching são bem diferentes e que, inclusive, uma mesma pessoa pode passar por ambos, caso veja esta necessidade. “A psicoterapia trata de transtornos psicológicos, visando a melhora e/ou cura do indivíduo. Ela se baseia no passado e presente para que seja possível um trabalho profundo. A psicoterapia também não tem prazo, em alguns casos pode ser rápido e em outros ser necessária por toda vida. Já o coaching é um processo breve e com foco nas metas e desejos da pessoa. Ela busca conhecer melhor suas habilidades e dificuldades para aprender como trabalha-las da melhor forma”, esclarece Mariana Bonnás, que também é autora do blog Vida de Gestante e Mãe e dá dicas de maternidade em seu canal do Youtube.

Mais sobre as coaches da reportagem:

Leia também:

>> Você já se sentiu perdida após a maternidade?

Comportamento

Passeios escolares na educação infantil: você já autorizou?

Para algumas mães, passeios escolares são sinônimo de preocupação e ansiedade.

Photo credit: anna carol via VisualHunt / CC BY

Photo credit: anna carol via VisualHunt / CC BY

Logo que minha filha Alice entrou na escolinha, em 2015, participei de uma reunião de pais e professores sobre o ano letivo daquela turminha. Eis que um pai, visivelmente empolgado, pergunta para a orientadora quando as crianças participariam de um passeio fora da escola. Meu corpo gelou, senti uma tremedeira e engoli seco. Como assim, passeio? Mas jááá?? Ela estava com 2 anos…

Naquele momento me senti uma mãe estranha. Sempre fui meio neura, reconheço. Tive a sensação que eu era a única ali naquela sala de pais e mestres que não se sentia à vontade em autorizar a filha a ir em uma excursão – ou vivências/ estudos do meio, como também são chamados. A impressão é que todo mundo saberia lidar tranquilamente com esse assunto, menos eu. Mas não me preocupei a princípio. Até o dia que o bendito comunicado do passeio escolar chegou pela agenda. Eu tinha que tomar uma decisão! E aí? Deixar ou não deixar?

Descobri que eu não era a única mãe “estranha” que se sentia insegura com esses passeios. O que me ajudou bastante na ocasião foi deixar a vergonha de lado, ligar para a escola e fazer todas as dezenas de perguntas que rondavam a minha cabeça. É importantíssimo que os pais se sintam seguros e confortáveis, até mesmo para passar esse sentimento para a criança. Minha dica é que você exponha para a escola quais são suas dúvidas, angústias e receios. Por mais absurdo que pareça, não tenha vergonha de perguntar!  A escola – não se esqueça – é a sua aliada!

E para ajudar outras mães que também perdem o sono quando o assunto é passeio escolar, conversei com duas educadoras sobre a importância das vivências fora da escola e quais os cuidados que devemos ter na hora de autorizar o passeio.

Katarina Bergami, coordenadora educacional da Faces Bilíngue, escola sócio-construtivista situada no bairro de Higienópolis, destaca alguns itens que os pais devem checar junto à coordenação da escola: “Deve-se levar em consideração o objetivo do passeio, se há infraestrutura apropriada no local, se o local é seguro, se o transporte é seguro e apropriado, se a equipe que acompanha as crianças é suficiente para garantir a segurança e os cuidados necessários”.

Patricia Caram Miranda, diretora e orientadora educacional da Escola Meu Castelinho, acredita que essa experiência fora da escola é tão rica para a criança, quanto para os pais, pois temos que lidar com nossos medos e receios. A escola, localizada em Pinheiros, realiza passeios e estudos do meio para alunos com idade a partir de 2 anos “Os pais devem se informar muito bem sobre o lugar onde será o passeio, refletir sobre o quanto a experiência poderá agregar, consultar a intuição e decidir se estão prontos e seguros para proporcionarem para si e seus filhos esta experiência. Claro, uma certa insegurança faz parte no primeiro passeio do filho, mas ela deve ser em uma dose saudável e suportável. Cada um deve saber o seu limite e respeitar o seu tempo”, afirma.

É interessante compreender que o passeio em si não diz respeito apenas ao destino final – o museu, o teatro, o parque. Toda a experiência da saída da escola pode ser benéfica ao aluno. “Envolve desde o meio de transporte até a vivência do lugar onde irão. Apenas a experiência de sair da escola e fazer um passeio já traz para o aluno a oportunidade de se ‘ver’ longe dos pais e ‘dar conta’, desenvolvendo autonomia, independência e autoconfiança”, explica Patricia Caram. “Geralmente escolhemos locais que agregarão para os alunos experiências e vivências pertinentes à faixa etária, que geralmente relacionam aquilo que aprendem dentro da escola, servindo também de ferramenta de aprendizagem. Na escolha dos lugares para se passear, a equipe também considera as linguagens das crianças e quais as probabilidades de ampliação de repertório linguístico e cultural”, completa.

Segundo Katarina Bergami, da Faces Bilíngue, tudo o que a criança pode observar, traz uma experiência.

Segundo Katarina Bergami, da Faces Bilíngue, tudo o que a criança pode observar, traz uma experiência.

Katarina Bergami, da Faces Bilíngue, destaca o estímulo à exploração e à observação nos passeios escolares: “Tudo o que ela pode observar, traz uma experiência, um estímulo, um interesse diferente sobre um assunto específico. E se considerarmos apenas o fato de estarem em um lugar diferente, que não conhecem, já os estimula à observação de tudo à sua volta – o que sempre é benéfico. A vontade de explorar aparece imediatamente”.

E o que eu decidi sobre o passeio escolar da filha citado logo no início deste texto? Não deve ser levado em conta aqui, pois sempre será uma decisão muito pessoal, de cada família e que diz respeito a cada filho. Por exemplo, na primeira saída do meu filho mais velho, o meu maior medo era ele sair correndo e escapar do grupo, de tão peralta que é esse meu menino. Algo totalmente impensável para a minha caçulinha, que chora de medo quando se sente sozinha.

Acredito que o mais importante é você entender a proposta da escola, tirar todas as dúvidas para sentir-se confiante e respeitar a sua decisão, seja ela qual for.

“Na hora de autorizar os seus filhos, os pais devem levar em consideração a experiência que proporcionarão para eles versus a escuta do próprio coração, no sentido de consultarem para saber se a família toda está preparada para tal desafio. O que garanto é que, após a experiência, a satisfação de aluno, família e escola é recompensadora”, finaliza a diretora e coordenadora Patricia Caram.

Comportamento

Leitoras do blog têm 20% de desconto para o evento Descomplica Mãe

Guarde a data na sua agenda: dia 21 de outubro, das 8h às 18h, o Espaço Hakka, no bairro da Liberdade, em São Paulo, vai receber o maior evento do Brasil para mães, o Descomplica Mãe.

Será um dia inteirinho de informações e conteúdo, com palestras, exposições de marcas e um Talk Show com especialistas de peso, como Mariana Ferrão, Dra. Ana Escobar, Maria Luiza Petty, Luiz Hanns, Dr. Fernando Gomes Pinto, Rosely Sayão, entre outros. Para conferir a programação e o perfil dos palestrantes, clique em descomplicamae.com.br

Descomplica Mãe

Palestrantes já confirmados para o Descomplica Mãe

As vagas para o Talk Show são limitadas e o primeiro lote dos ingressos já está à venda. A boa notícia é que eu, como embaixadora deste lindo projeto, tenho um voucher de desconto de 20% no valor da inscrição para o Talk Show para as leitoras do Todas as Mães.

O desconto só será válido para as 100 primeiras inscritas no evento. Para usar faça o seguinte:

– Entre no site descomplicamae.com.br;

– Clique em “Inscreva-se” no menu superior

– No carrinho de compras, digite descomplica20off no campo “código do cupom”

talk show descomplica mãe

Já a entrada apenas para a feira é gratuita, sendo necessário o prévio credenciamento pelo site e a doação de 1kg de alimento não perecível.

O evento faz parte da plataforma Descomplica Mãe, da qual fui convidada para ser embaixadora, ao lado de outras mães blogueiras talentosíssimas (leia neste outro post). Baseado em quatro pilares: INOVAR, EDUCAR, CUIDAR E NUTRIR, este projeto surge para inovar o mundo materno com conteúdo, informações e dicas.

Inclusive você pode encontrar algumas das matérias e posts produzidos aqui no Todas as Mães no blog do Descomplica Mãe! Todo o conteúdo do Descomplica Mãe é feito por mães e profissionais renomados, que entendem que a vida materna tem problemas sim, mas que com empatia e ZERO julgamentos, dá pra maternar sem complicar.

E aí, nos vemos no evento?