Desabafo

Eu volteeeeiii: relato de uma mãe que sobreviveu às férias escolares

Seja bem-vindo, agosto!

Seja bem-vindo, agosto! Não temos meias limpas, comemos macarrão e ovo por 30 dias e ainda tem massinha grudada no chão da sala! Mas tá tudo bem por aqui, gente! / Photo via VisualHunt

Deu para reparar que estive um pouco distante do blog nos últimos dias, né? Além das férias escolares, que me deixaram beeeeem ocupada no mês de julho, passei por um susto de saúde (que agora posso dizer foi só um susto mesmo, ufa) que me atrasou um pouco na rotina do Todas as Mães. Inclusive o meu susto de saúde foi tema de post (clique aqui para ler) e será tema de uma continuação, pois MERECE uma continuação, affff!

Além disso, na véspera da volta às aulas, no último domingo de julho, o que acontece? Filha doentinha com tosse e febre! Pelamordi, ninguém merece! Resultado: nada de volta às aulas! Passamos o dia 1o de agosto no hospital fazendo exames :/// Diagnóstico: broncoespasmo, com atestado de repouso domiciliar de 3 dias. Bom, sem contar que esses zilhões de remédios e xaropes têm deixado a menina ligada nos 220 V. Então soninho aqui só depois das 22h e olhe lá. Tá-pu-xa-do-viu? (E como toda mãe que usa Nosefrida nos filhos – aquele aspirador nasal que você puxa com o seu próprio ar, como se fosse um canudo – eu também fiquei resfriada :/)

E eu na correria porque fiquei sem diarista durante todo esse mês de férias. Aí escolhia: ou saía/ brincava com as crianças ou cuidava da casa. Escolhi a opção número 1 e agora não temos meias limpas, comemos macarrão e ovo por 30 dias e ainda tem massinha grudada no chão da sala! Mas tá tudo bem por aqui, viu, não precisa se preocupar, não!

Eu, nas férias de julho!

Eu, nas férias de julho! Olhando na foto, até que tava uma baguncinha organizada!

E outra novidade é que dentro de alguns dias farei a minha primeira viagem sem os filhos. Aliás, pela primeira vez, em quase cinco anos de maternidade, passarei a noite fora. Tô nervosa, tô tensa, tô elaborando uma lista de 50 (mil) cuidados e recomendações, que vão desde os macetes com o chuveiro elétrico da nossa casa, passando pela temperatura que o filho gosta de (aceita) tomar o leite, até a caixinha com a seleção de remédios que pode ser utilizada *mediante consulta materna, com todas as indicações!

Óbvio que essas minhas “mini-férias sem os filhos” serão relatadas aqui, aguardem!

Ufa, julho não foi fácil, não! E que seja bem-vindo agosto, mês do bom gosto! Porque tudo vai melhorar… já está melhorando!! Um ótimo mês para você também, porque a gente merece!

Desabafo

Carta de uma mãe: “Me desculpe! Desculpe por ter te julgado”

Esse texto foi escrito pela minha irmã, mãe de uma linda menininha de quase 2 anos de idade. Muita gente está se emocionando com esse texto e tenho certeza que vocês irão se identificar também! Afinal, antes de ser mãe, quem nunca torceu o nariz para a enxurrada de fotos que as outras mães publicavam de suas crias nas redes sociais?

Eu já fui dessas! Dessas que revirava os olhos quando você postava fotos dos filhos, só fotos dos filhos. Era filho brincando, filho andando, filho na festa, filho mandando beijo, selfie com filho fazendo bico, bla bla bla bla!

Acho até que cheguei a parar de seguir algumas de vocês por causa disso. 

As fotos que eu postava? Eram fotos legais. Selfies com os amigos (que você não conhecia), fotos de mais amigos (que você também não conhecia) nos esquentas e nas milhares de festas, fotos da multidão dos festivais, fotos de gente que eu tinha acabado de conhecer e depois nunca mais vi… 

Agora, pensando bem, talvez você não tenha visto nenhuma delas porque geralmente eram postadas quando você já estava no décimo sono ou na vigésima tentativa de fazer seu filho dormir tentando fazer a febre baixar.

Talvez seja por isso que você não tenha deixado de me seguir também. Nem teve tempo. 
Me desculpe! Desculpe por ter te julgado, desculpe por ter revirado meus olhos. Me desculpe por ter sido tão ignorante.

Hoje ‘curto’ fotos dos filhos do fundo do meu coração. Não faço isso por hipocrisia, mas porque hoje sei o quão importante foi aquele momento que seu filho se lambuzou inteiro de chocolate ou a primeira vez que ele subiu no triciclo. Sei o quanto foi difícil conseguir tirar aquela foto dele fantasiado, sei que você deve ter vomitado um arco íris de fofura quando você viu seu filho dançando quadrilha com os amiguinhos. Quando ele abraçou o primo de saudade pois fazia tempo que não o via e você conseguiu fotografar. O caminhão de orgulho que você carregou quando seu filho colocou o uniforme da escolinha pela primeira vez. Imagino que deve cair uma lágrima quando você vê todas essas fotos, mesmo que seja pela milésima vez.

Hoje eu entendo e hoje sou eu que estou aqui chorando litros ao acompanhar minha filha no primeiro dia de escolinha e … postando uma foto dela!!”

Por Luciana Noronha

© Pro777 | Dreamstime.com - Early Education Photo

© Pro777 | Dreamstime.com – Early Education Photo

  • ·Por conta da privacidade, substituí a foto da minha sobrinha por uma outra retirada de uma banco de imagens.
Desabafo

A difícil tarefa de arrumar a mala das crianças para viajar

Roupa de calor caso faça calor, roupa de frio caso faça frio, mantinha, travesseiro, roupa de banho, fralda, fralda para nadar, roupão, farmacinha com os remédios mais importantes, nécessaire com escova de dente, pente e até uma tesourinha de unha (nunca se poder uma oportunidade de cortar a unha rs), shampoo e sabonete infantil, meias, tênis, chinelinhos, leite em pó, mamadeira, biscoitinhos para comer no caminho, frutas (banana sempre é mais fácil), aquele brinquedo preferido do momento ou qualquer outro objeto que mantenha a criança entretida por alguns minutos e…. UFA… ACHO que a mala está pronta!

Olha, eu adoro viajar com meus filhos, mas não posso negar que dá um trabalhão arrumar a mala!  Aí sempre aparece alguém falando: “ai que exagero, é ‘só’um fim de semana”. Só que gente… arrumar uma mala de bebê/ criança para um fim de semana dá o mesmo trabalho para uma viagem de 10 dias! A única coisa que muda nesse caso é a quantidade de roupas (e o tamanho da mala), pois os itens são os mesmos citados no começo do post!

Oi, alguém disse “arrumar as malas”?

giphy (1)

Eu, pelo menos, tenho uma baita preguiça de arrumar a mala dos meus filhos, ainda que muuuuitos itens não preciso levar mais. Hoje, por exemplo, o horário de alimentação deles é mais flexível – diferente do bebê que está em fase de introdução alimentar (e aí soma-se à mala uma lancheira térmica com papinha, colherzinha, mil guardanapos, babador, paninho de boca etc). Também não preciso mais me preocupar em esterilizar mamadeiras!

Mas mesmo assim, não abro (e nunca abri) mão de um rápido fim de semana na praia com as crianças, mesmo que eu leve um dia inteiro para arrumar as malas (2 dias, caso eles me ajudem haha) e 1 semana para desarrumar (rs).

E sim, sempre haverá um item que você esquecerá em casa, é fato! Ou então você vai ter colocado muita roupa de calor ou muita roupa de frio… sempre o contrário da temperatura que está fazendo.

Mas vale à pena? Siiiimmmm, vale muito!! Então bora arrumar essa mala e pé na estrada!

giphy (2)