Saúde & Alimentação

Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher: confiram os principais exames preventivos para as mulheres de acordo com a faixa etária

Dia 28 de maio é uma data importantíssima para nós, mulheres. 28 de maio marca o Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher e o Dia Nacional de Redução de Mortalidade Materna.

Dia da Luta pela saude da mulher

De acordo com o Ministério da Saúde, a data existe para alertar e conscientizar a sociedade dos diversos problemas de saúde e distúrbios comuns na vida das mulheres. Por isso, a importância de manter os exames preventivos sempre em dia.

É preciso seguir um calendário de exames preventivos que começa a partir da primeira menstruação, com a realização de exames fundamentais que monitoram a saúde e o bom funcionamento de todo o corpo”, afirma Dr. Harley De Nicola, gerente médico da FIDI (Fundação Instituto de Pesquisa e Estudo de Diagnóstico por Imagem), provedora de exames diagnósticos do país para a área pública.

A FIDI preparou uma relação dos principais exames de rotina de acordo as fases da vida da mulher e eu compartilho aqui com vocês. Lembrando que os exames devem ser solicitados por um médico, após consulta e avaliação. Em que fase você está?

Lista de exames preventivos para as mulheres de acordo com a faixa etária

A partir da menstruação
Anual
Mamas (auto exame, detecção de nódulos mamários e prevenção do câncer)
Papanicolau (coleta de material do colo uterino e exame físico anual da pélvis, diagnóstico precoce de câncer de colo do útero e outras doenças ginecológicas)
Sangue (diagnóstico de doenças: diabetes, hipertensão e da tireoide)

A partir dos 30 anos
Além dos exames anteriores
Anual
Mamografia (quem possui histórico de câncer na família)

A partir dos 40 anos
Além dos exames anteriores
Anual
Densitometria óssea (detecção de osteoporose)
Ultrassonografia pélvica e transvaginal (avalia ovários e útero e são solicitados a critério do médico)
Avaliação cardiológica (eletrocardiograma e controle da pressão arterial)
Verificar carteira de vacinação (tríplice viral e dupla adulto)

A partir dos 50 anos
Além dos exames anteriores
Colonoscopia (avaliação intestinal)
Exame de fundo de olho (detecção de problemas oculares)
A periodicidade dos exames pode ser alterada de acordo com os resultados de exames ou a critério dos médicos.

Chama-se de morte materna o óbito de uma mulher durante a gestação ou até 42 dias após o término da gestação, causada por qualquer fator relacionado ou agravado pela gravidez ou por medidas tomadas em relação a ela. As cinco principais causas de morte materna são hipertensão, hemorragia, infecções puerperais, doenças do aparelho circulatório complicadas pela gravidez, parto e puerpério e o aborto. 

A vida corrida de mãe, mulher e profissional faz com que a gente deixe para trás a nossa saúde. Não pode! Sempre digo: nossos filhos precisam da gente com saúde! Então, meninas, planejem-se e organizem-se! Tirem alguns dias para realizar consultas médicas e exames preventivos! Sei que é chatinho, sei que dá preguiça, mas é a melhor coisa que vocês podem fazer por vocês mesmas!

Já contei aqui no blog o susto que levei quando foi detectado um nódulo no meu seio ao realizar exames de rotina. Não deixem de ler o meu relato, pois serve para alertar as mulheres da importância de nos cuidarmos!

Será que você está se cuidando como deveria?

Leia também:

Cuidados com a saúde após o parto: entrevista com Dr. Paulo Nowak, da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Estado de São Paulo

A saúde da mãe sempre para trás e o dia que descobri um nódulo no seio

Um susto em minha vida: o resultado da mamografia

Saúde & Alimentação

Quando levar as crianças ao oftalmologista

teste do olhinho


Photo credit: .craig via VisualHunt / CC BY-NC-ND

A pediatra dos meus filhos me pede anualmente um exame oftalmológico deles… Só para checagem e acompanhamento. Não posso negar, acho um “pé” ter que levar os 2 no oftalmo, principalmente por não ter encontrado ainda uma clínica legal para crianças. Demora no atendimento e clínicas cheias sempre me fazem pensar em postergar esse tipo de consulta. Mas mesmo com essa preguiiiiça, não deixo de levá-los ao oftalmologista.

Alguns podem achar um tanto quanto precoce, mas saibam que é muito importante esse controle da saúde ocular das crianças. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada 10 casos de perda de visão, oito poderiam ser evitados se tivessem sido detectados precocemente!

Ainda na maternidade, os recém-nascidos passa pelos primeiros testes, como o caso do “Teste do Olhinho”, recomendando pelo Ministério da Saúde nas primeiras 24 horas de vida do bebê. Porém, somente alguns Estados brasileiros que garantem o exame em hospitais públicos e privados.

O teste do olhinho é rápido, indolor e não necessita de colírio. Nele, uma fonte de luz é direcionada ao olho do bebê a uma distância de 20 centímetros, que deve refletir um tom vermelho semelhante ao observado em fotografias com flash. Caso a cor seja opaca, branca ou amarelada, significa que o recém-nascido possui alguma patologia e que deve ser tratada.

Só que depois que a gente “passa” no Teste do Olhinho, a gente relaxa e esquece (CONFESSO: nem me lembro se meus filhos realizaram esse teste na maternidade). Um erro! Muitos pais não sabem, mas os bebês estão sujeitos a diversas doenças visuais, como retinopatia, ambliopia, estrabismo, obstrução do canal lacrimal, conjuntivite, miopia, astigmatismo, etc. Segundo o oftalmologista Richard Yudi Hida, o ideal é que a primeira consulta a um especialista aconteça ainda nos primeiros meses de vida para detectar tais doenças. ”A maioria dos problemas nos olhos pode ser percebidas desde muito cedo e, quanto mais rápido o tratamento for iniciado, maiores serão as probabilidades de cura ou correção da patologia”, explica.

Temos que estar sempre atentos a quaisquer sinais estranhos nos olhos dos bebês, como lacrimejamento constante, coloração fora do normal, inchaço e secreção. Com meu filho mais velho, tivemos que ir ao especialista quando ele tinha menos de 1 mês, pois seus olhinhos lacrimejavam bastante, o tempo todo! Foi diagnosticado  obstrução do canal lacrimal e uma massagem ensinada pela médica resolveu o problema. Depois, voltamos quando ele completou 1 ano para consulta de rotina.

Na infância, também é importante estarmos alertas com a visão das crianças e o andamento no aprendizado na escola é um ótimo termômetro: “Se a criança se queixar com frequentes dores de cabeça após as aulas e dificuldade em enxergar longe, é possível que tenha sido acometido por alguma doença visual”, adverte Dr. Hida. “Apertar os olhos para enxergar, aproximar-se muito da televisão, coceira, caspas nos cílios e lacrimejamento excessivo são fortes evidências de que há algo errado”, completa.

SINAIS DE ALERTA

• Lacrimejamento excessivo mesmo sem choro – o ponto lacrimal por onde passa a lágrima pode estar fechado quando o bebê ainda é recém-nascido. A maioria dos casos se resolve espontaneamente ou com massagens especiais. Alguns casos necessitam de cirurgia.

• Vermelhidão – os olhos vermelhos indicam irritação, inflamação ou infecção na superfície ou dentro do olho. Exame mais específico é necessário para esclarecer a causa.

• Não conseguir seguir objetos com os olhos – após alguns meses de vida, os bebês já conseguem seguir objetos coloridos e pessoas com os olhos (sem fazer estímulo sonoro). A falta desta habilidade pode ser um problema.

• Dor de cabeça – se a criança se queixar frequentemente de dores de cabeça após a aula ou durante a lição de casa, é importante investigar as causas.

• Proximidade da TV – crianças que se sentam muito próximas à televisão ou qualquer objeto acima de 6 metros, podem ser míopes.

• Olho “apertado” – apertar um dos olhos é sinal de que a criança não está enxergando bem e pode estar sofrendo de ambliopia, ou seja, deficiência no desenvolvimento visual de um ou de ambos os olhos.

• Coceira – um dos principais sinais de que pode haver uma patologia. Pode ser oriunda de algum problema de visão ou a popular conjuntivite aguda ou crônica.

• Leitura – o fato de se perder no texto durante a leitura pode ser um sinal de alguma deficiência nos olhos.

• Sensibilidade à luz – crianças com sensibilidade excessiva em ambientes iluminados ou sob a luz solar podem ter alguma doença nos olhos.

• Histórico familiar – muitas doenças são hereditárias, por isso é importante levantar o histórico familiar para saber se alguém já foi acometido por alguma patologia ocular

 

* Post publicado originalmente em fevereiro/ 2015 e atualizado em maio/2017

Saúde & Alimentação

Primeiros casos de gripe A já são registrados

Campanha de vacinação começa em abril

vacina contra a gripe 2017

Pergunte para qualquer mãe: qual a pior estação do ano? Tenho certeza que a maioria responderá que é o outono! É nessa época do ano que a temperatura muda, o tempo fica mais seco, aparecem as alergias respiratórias e as gripes! Só que o verão nem terminou e já tem muita criança ficando ruinzinha 🙁

O verão termina mesmo no dia 20 de março. Mas alguns casos da gripe A já começam a ser registrados no Brasil.

De acordo com o Ministério da Saúde, até 4 de março, foram registrados 96 casos de influenza de todos os tipos no Brasil. Deste total, 8 foram por influenza A do tipo H1N1. Existem ainda os casos de influenza A do tipo H3N2, além da influenza B e outros vírus respiratórios, como VSR, Parainfluenza e Adenovírus. Os dados constam do Boletim Epidemiológico de Influenza do Ministério da Saúde.

Rafael, de apenas 3 anos, foi diagnosticado com gripe A no início deste mês. De acordo com a mãe, Renata Saka, os sintomas foram brandos. “Ele teve coriza, começou a espirrar bastante e teve febre”, conta. “Eu que insisti para fazer o teste de influenza de novo. Ele tinha feito duas semanas antes porque estava com chiado no peito”, completa. O Rafael já se recuperou 🙂

Neste ano a Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza será realizada no período de 17 de abril a 19 de maio.

E vamos torcer para que este ano não aconteça aquele caos e desespero na vacinação contra a gripe como foi no ano passado. Em 2016 a Campanha Nacional começou no dia 30 de abril, mas antes disso as clínicas particulares já tinham a vacina e registravam horas e mais horas de filas. Isso quando não esgotava. Tudo isso devido ao surto antes da hora do H1N1 que deixou as pessoas em pânico (incluindo a mamãe aqui).

Vale ressaltar que a prevenção é muito importante também. E principalmente com as crianças, que vivem colocando a mão na boca, olhos e nariz, temos que ficar mais atentas ainda. Medidas de higiene, como lavar sempre as mãos e evitar locais com aglomeração de pessoas que facilitam a transmissão de doenças respiratórias, são algumas das medidas sugeridas pelo Ministério da Saúde.

Aqui, além de lavar as mãos sempre, outra medida que tomei é andar sempre com álcool em gel na bolsa. Ajuda bastante!

Confiram também outros posts de saúde aqui no blog:

# Mitos e verdades sobre a febre nas crianças

# Como manter a saúde dos filhos na volta às aulas

# Crises alérgicas e resfriados nas crianças

# 10 ocasiões essenciais para lavar as mãos