Destinos

Dicas de como montar um roteiro para a Disney

Planejar uma viagem pode ser um pouco trabalhoso, mas vale muito a pena, pois as férias podem ser bem mais proveitosas! O planejamento da nossa viagem para a Disney começou com cerca de 8 meses de antecedência, entre a decisão (OK, vamos pra Disney!! uhuuu), compra das passagens, burocracia de passaporte e vistos, definição e reserva de hotel, compra dos ingressos e finalmente a ida!

Fomos em um grupo de amigos (além de nós, mais 2 famílias com filhos da mesma idade) e isso demandou também uma atenção maior, já que as datas e expectativas tinham que estar alinhadas!

O roteiro do planejamento foi assim:

  • Definição de datas
  • Passagens
  • Passaportes e vistos
  • Hotel
  • Ingressos e jantares dentro da Disney
  • Roteiros de parques

Quando ir para a Disney

Para saber a melhor época para viajar para a Disney descobri um site ótimo chamado Undercover Tourist, que vende ingressos para todos os parques de Orlando e ainda mostra o “Crowd Calendar”, um calendário que aponta os melhores e os piores dias de visitação dos parques. Neste calendário estão relacionadas algumas datas que interferem na lotação dos parques, como feriados, eventos internos e temporadas de férias. O calendário é bem intuitivo e dá para entender mesmo não sendo fluente em inglês.

Também já tínhamos excluído de cara a ideia de viajar para os EUA durante a temporada de furacões do Atlântico, que atinge principalmente os EUA e as ilhas do Caribe. Segundo o portal consular do Itamaraty, a época de furacões vai de 1° de junho a 30 de novembro de cada ano. Visto isso, decidimos viajar em abril para a Disney e foi uma decisão acertadíssima! Por outro lado, já li relatos que o mês de setembro é ótimo para ir porque é super vazio…

Passagens e pacotes

Nós fizemos todas as reservas separadamente, mas se você prefere comprar um pacote já fechado com passagem, hospedagem e ingressos, recomendo checar as ofertas para a Disney com o Hotel Urbano, agência online de viagens parceira do blog. Eles estão sempre com ótimas promoções de aéreo + hospedagem!

Clique e confira as ofertas do Hotel urbano

Como na época que viajei não tinha uma promoção bacana com essa, acabamos comprando tudo separadamente mesmo.

Se você quiser fazer um comparativo no valor das passagens com outras companhias, recomendo o Submarino Viagens, que apresenta as melhores tarifas das companhias aéreas e tem um sistema de busca super inteligente para encontrar o voo que se encaixa no que você precisa! As passagens no Submarino Viagens podem ser parceladas em até 12 x sem juros.

Hotel na Disney

Nos hospedamos em um hotel dentro do complexo Disney. Ficamos na linha de hotéis mais “barata” da rede, que é o All Star (o nosso era o All Star Music Resort). A reserva do hotel, assim como a compra de todos os ingressos dos parques Disney foi feita pelo site disneyworld.disney.go.com (algumas opções são inválidas se você entrar na versão brasileira do site, então sugiro entrar na versão americana. Basta ir no topo da página e alterar para “English”).

A vista da piscina do All Star Music Resort

Para quem não vai viajar com pacote fechado e quer pesquisar outros hotéis fora do complexo Disney em Orlando, recomendo fazer a reserva pelo Hotel Urbano ou pelo Booking.com. São dois sites que já usei e uso bastante! 

Mas voltando ao site da Disney. Mesmo se hospedando fora do complexo Disney, faça o cadastro no site (é necessário um cartão de crédito internacional) para agendar um monte de coisa, como os fast pass (“fura-fila” dos brinquedos) e as refeições com os personagens. Marcamos duas: um café da manhã no Hollywood & Vine com os personagens do canal Disney Jr (Princesinha Sofia, Dra Brinquedos, Jake e os Piratas da Terra do Nunca) e o tão concorrido jantar no Castelo da Cinderela (Cinderella’s Royal Table). Marcamos esse jantar com 5 meses de antecedência e quase não conseguimos mais horário! Falarei mais sobre o Castelo da Cinderela em um próximo post!

No app My Disney Experience (disponível para Android e IOS) também é possível agendar as refeições, assim como os fast pass.

Os parques

Fizemos a compra dos ingressos para os parques juntamente com a reserva do hotel no complexo Disney. Mas esses ingressos também podem ser adquiridos através de agências e operadoras no Brasil e muitos oferecem condições especiais, como parcelamento (o que não é o caso quando você compra pelo site da Disney). Pesquise bastante a idoneidade da agência que irá te vender. Na agência online Hotel Urbano, por exemplo, tem pacotes de ingressos para os parques da Disney e pode ser parcelado em até 12x sem juros.

Sobre o roteiro, não foi fácil montar a ordem dos parques. Para o planejamento, consultei muito o site Vai Pra Disney e o grupo do Facebook Coisas de Orlando. A maioria das pessoas recomenda assim: 1 dia de parque – 1 dia livre – 1 dia de parque – 1 dia livre e assim sucessivamente para poder descansar dos dias de parque, principalmente com crianças. Mas a gente não tinha tantos dias assim em Orlando e, portanto, foi parque atrás de parque! Não achamos exaustivo. Não ficávamos até o parque fechar. Respeitamos o tempo das crianças. E todo mundo ficou feliz!

Tem um post aqui no blog que eu falei justamente sobre as crianças na Disney, sobre como lidamos com os brinquedos e as atrações que eles não podiam ir e se existe idade ideal para viajar para a Disney. Do Brasil, eu já tinha todo o roteiro pronto da maioria das atrações que iríamos em cada parque. Pesquisei antes os brinquedos mais legais, assim como a altura mínima para descartar qualquer perda de tempo ou frustração com as crianças dentro do parque. Assim o nosso tempo foi totalmente otimizado!

Nos parques da Disney (Magic Kingdom, Hollywood Studios, Epcot e Animal Kingdom), não deixe de marcar o Fast-Pass, que é tipo o “fura-fila” dos brinquedos. Por exemplo, enquanto um brinquedo super concorrido estava com 1h30 de fila, com o fast pass marcado ficamos apenas 20 minutos e às vezes até menos.

Roteiro de parques e passeios em Orlando

Reservei o primeiro dia de viagem para compras de 1ª necessidade no WalMart: água, petiscos/ comidinhas para guardar no hotel e para levar para os parques, protetor solar, além de itens pessoais. Também compramos um carrinho estilo guarda-chuva para o Teodoro no WalMart por U$ 26! O carrinho da Alice nós levamos do Brasil mesmo (que também era guarda-chuva).

Lembrando mais uma vez que consultei muito o Crowd Calendar do site Undercover Tourist que mostrava os dias mais lotados de cada parque.

Nossa programação ficou assim:

Sexta-feira (chegada à tarde): Disney Springs à noite

Sábado: Wal Mart/ piscina do hotel/ Disney Springs – jantar T-Rex

Domingo: Universal Studios/ jantar HardRock Café

Segunda-feira: Hollywood Studios

Terça-feira: Magic Kingdom/ jantar Castelo da Cinderela

Quarta-feira: Magic Kingdom

Quinta-feira: Legoland

Sexta-feira: Animal Kingdom/ almoço no Rainforest Café

Sábado: dia livre para descansar, fazer compras e curtir o hotel

Domingo: check out

Ou seja, ao todo foram 10 dias em Orlando muuuito bem aproveitados. No domingo, último dia, fomos de carro para Miami, onde ficamos por mais 6 dias!

Também preparei outro post sobre os restaurantes mais legais para ir com as crianças nos EUA, incluindo o jantar com as princesas no castelo da Cinderela!

No Instagram, acompanhe as fotos de viagens em família usando a #TodasAsMaesEmViagem

Leia também:

Viagem para a Disney: qual a idade ideal para levar os filhos?

Itens de farmácia que valem a pena comprar nos EUA para crianças

Clique e confira a oferta do Hotel Urbano para a Disney

Clique e confira as ofertas do Hotel urbano

Destinos

Produtos de farmácia nos EUA para crianças que valem a pena comprar

Em abril deste ano fomos com as crianças para a Disney e Miami. A viagem foi incrível e contei um pouquinho como foi neste outro post. Mas ficou faltando um texto com as dicas de produtos de farmácia para crianças que valem a pena comprar nos EUA. Ahhhh, as farmácias, como amo! Rs É sério, gente, impossível não enlouquecer!

As redes de farmácia mais conhecidas são Wallgreens e CVS. Eu já tinha feito uma listinha do que queria trazer de lá, então para economizar tempo (fazer compras com crianças pequenas é sempre muita bagunça e difícil de se concentrar rs) comprei alguns itens pela internet e mandei entregar no hotel. Também comprei alguns produtos de farmácia nas nada breves passadinhas no WalMart.

Clique na imagem para conferir os pacotes para Miami pelo Hotel Urbano

Band-aid
Você encontra de vááários personagens que ainda não encontramos aqui no Brasil. Mas além de curativos de personagens, trouxe uma versão que já vem com antibiótico direto no curativo, ajudando a evitar a infecção e a cicatrizar melhor o machucado. Eu estranhei no começo, mas já usei em alguns machucados maiores no meu filho e gostei bastante do resultado. Na embalagem não há nenhuma restrição, a não ser em pessoas alérgicas. Na dúvida, pergunte ao pediatra.

Band-Aid com antibiótico U$ 5,29 na CVS

Band aid com antibiótico

P.S. Vejam só que ironia! Lendo a embalagem da caixinha de Band-Aid com Neosporin (pomada antibiótica) que trouxe dos EUA, acabei descobrindo que esse produto, apesar de não ser vendido nas farmácias do Brasil, é fabricado aqui! 

"Made in Brazil", mas nunca vi esse produto nas farmácias nacionais :/

“Made in Brazil”, mas nunca vi esse produto nas farmácias nacionais :/

Mas voltando às farmácias dos EUA, nas lojas físicas do Wallgreens também achei curativo de marca própria antibacteriano 100% a prova d’água:

Curativo com antibiótico a prova d'água

Curativo com antibiótico a prova d’água

Band-Aid de personagens U$ 3,99 no Walgreens:

Neosporin First Aid Antiseptic – Foaming Liquid
Um líquido antisséptico para primeiros socorros em crianças a partir de 2 anos. O líquido forma uma espuma instantânea que limpa pequenos ferimentos e arranhões e ajuda a matar germes e bactérias, prevenindo infecções. Achei ótimo para levar em viagens e passeios. Na CVS está U$ 5,29

neosporin for kids

Pomada After Bite
Pomada para picadas de insetos bastante conhecida por aqui e recomendada para quem vai fazer o enxoval nos EUA. Possui uma fórmula suave para crianças (a partir de 2 anos) que alivia e acalma a pele após a picada. Esse também foi um dos produtos que perguntei para a pediatra dos meus filhos se eles podiam usar. U$ 3,99 no Walgreens

after bite

Boogie Wipes
Feitos com solução salina natural, os lenços Boogie Wipes servem para limpar o nariz do bebê ou da criança quando estão resfriados e até para dar aquela aliviada quando o tempo está muito seco. Uso bastante aqui quando o nariz não aguenta mais lenço de papel e a pele já está ressecada e vermelha de tanto assoar. Ou quando fica aquele aspecto de secreção nasal já seco em torno do nariz (rs). A solução nasal contida no lencinho é natural, hipoalergênica e alivia o nariz congestionado. U$ 4,76 no Wallmart

boogie wipes

Protetor solar infantil em bastão
Protetor solar nos EUA já vale a pena comprar de qualquer jeito. Mas quando eu vi essas versões para crianças em bastão, não resisti e trouxe na mala! Trouxe de duas marcas: Neutrogena e Coppertone, mas você encontra de várias outras marcas. Pode ser usado no corpo inteiro, mas acho mais fácil para passar no rosto. Para os meus filhos foi um achado, pois eles mesmos aplicam o protetor. É fácil, prático de levar em qualquer lugar e muito útil! Esse foi o produto que mais fiquei satisfeita em adquirir!

Neutrogena wet skin Beach & Pool (para aplicar em peles molhadas ou secas). U$ 19,32 no WalMart (pacote com 2)

neutrogena wet skin kids

Coopertone kids U$ 4,84 no WalMart

coopertone kids

Capa para braços e pés quebrados
Bem, obviamente não foi um item que eu gostaria de ter comprado. Mas como contei no post com as dicas da Disney, o meu filho caiu durante a nossa estadia em Miami e fez uma lesão no pulso. Voltou para o Brasil com o braço engessado e assim ficou por 30 dias. Uma amiga nossa, que também já teve a infelicidade de quebrar o pé durante uma viagem nos EUA, disse que na farmácia eu poderia achar uma capa para não molhar o braço. Dá para substituir por um saquinho de supermercado e algumas voltas de fita crepe? Dá! Mas eu quis experimentar essa capa e foi totalmente aprovada! Muito simples de colocar, não tem que ficar embrulhando o braço e super seguro, não entrou nada de água no gesso do meu filho, pois a abertura é elástica e se ajusta ao bracinho. É reutilizável. Foi realmente muito útil! Espero não ter que usar mais (apesar de meu filho ter apenas 5 anos e ter sido a segunda vez que engessou o braço por conta de suas traquinagens). US 14,99 no Walgreens

Capa para braço quebrado

Não valeu a pena

Lysol Desinfetante Spray To Go (de bolso)
Eu não procurei por esse produto, comprei de última hora quando estava já no caixa. Na embalagem diz que mata 99,9% dos vírus e bactérias. Enfim, é um desinfetante normal, só que de bolso. Eu quis levar porque já tinha lido em algum blog uma mãe recomendar esse produto, pois era muito útil durante o desfralde das crianças, quando precisavam usar banheiro público. Comprei por impulso. Na prática, não faz o menor sentido carregar um desinfetante na bolsa para fazer a faxina no banheiro da rodoviária ou do shopping hahaha Hoje deixo num cantinho do banheiro (beeeem longe do alcance das crianças) para quando preciso fazer uma limpeza rápida, com lencinho umedecido e esse Lysol. U$ 6,97 no WalMart o pacote com 2.

lysol to go

 

Esses foram alguns dos produtos de farmácia para crianças que eu achei por lá e aprovei, mas tenho certeza que existem muitos outros itens que valem à pena. Se você quiser aumentar a lista, fique à vontade para deixar a sua dica aqui embaixo nos comentários!

Importante ressaltar que é necessário checar os rótulos sempre, principalmente para ver se a criança pode ter alergia a alguma substância do produto em questão. Uma dica bem interessante para te ajudar na tradução de rótulos (e cardápios rs) ali bem na hora da compra é usar o aplicativo Google Tradutor no celular (disponível na Apple Store e no Google Play). Abrindo o app, não escreva nada e clique no ícone da câmera fotográfica à esquerda, logo abaixo do campo para digitar. O aplicativo vai ter acesso à câmera fotográfica. Agora é só focar no rótulo que o aplicativo vai traduzir instantaneamente as palavras que você alinhar! Não é mágica, é tecnologia (rs)!

google translator app

google translator app_rotulo traduzido

Leia também:

Viagem para a Disney: qual a idade ideal para levar os filhos?

Disney: 10 dicas para comprar as passagens e marcar a sua viagem

Máquina de fazer papinha: vale a pena?

América do Norte

Viagem para a Disney: qual a idade ideal para levar os filhos?

Disney com crianças

Todo mundo que vai ou pretende ir para a Disney com os filhos fica se perguntando: mas será que já é a hora? Será que não é muito cedo? Será que ele(a) vai se lembrar de tudo?

Afinal, quando é a hora certa de levar os filhos para conhecer a Disney??

Vou contar a minha experiência! Fui em abril para Orlando com marido e filhos: Teodoro, com 5 anos e Alice, com 3 anos. Fomos acompanhados por mais dois casais com filhos de idades bem próximas aos meus, o que tornou a viagem bastante animada!

Conhecemos todos os parques do Complexo Disney (Magic Kingdom, Hollywood Studios, Epcot e Animal Kingdom), além da Universal Studios e do Legoland.

Apesar das idades serem muito próximas (5 e 3), ainda assim há uma certa diferença quando o assunto são atrações. O Teodoro, com 1,08 m já podia entrar em muitos dos brinquedos e simuladores mais concorridos, como a Seven Dwarfs Mine Train (a montanha russa dos 7 anões) no Magic Kingdom e o Harry Potter and the Escape from Gringotts na Universal (apesar de ainda ficar de fora dos brinquedos muito radicais).

Já o acesso para a Alice era mais restrito por causa dos seus 95 cm de altura. Para evitar a frustração de não poder entrar em um determinado brinquedo, fiz todo o roteiro de atrações antes de viajar, consultando no site da Disney a altura permitida. Assim, pelo menos na grande maioria dos brinquedos que a levamos, não havia a expectativa de passar ou não pelo limite de altura. Algumas vezes nos separamos em duplas – pai e filho/ mãe e filha para conseguirmos lidar com essas diferenças de atrações. Mas a maior parte do tempo passamos juntos e curtindo muito!

Existem muuuitos brinquedos que não tinham limite de altura e que a Alice e o Teodoro amaram ir juntos. Além dos brinquedos, as crianças (e os pais também hihi) se encantaram com os personagens – seja nas filas para tirar fotos, nos shows ou nas refeições com personagens.

Se eles vão se lembrar da viagem pra Disney quando forem maiores? Sinceramente, eu não sei… talvez não se lembrem, talvez tenham vagas lembranças. Mas sei que os encontros da Alice com a Bela, a Branca de Neve, a Jasmine, a Elsa e a Ana, a Cinderela e a Aurora foram muito reais naquele momento. A Alice as abraçava com tanto amor, tanta verdade no coração, que parecia que se conheciam há muito tempo. Foi emocionante!

A total entrega da Alice ao abraçar a Jasmine! Muito amor!

A total entrega da Alice ao abraçar a Jasmine! Muito amor!

O Teodoro, com aquela agitação peculiar de uma criança de 5 anos, quase pulou no colo dos Stormtroopers que passaram por nós no Hollywood Studios. Até levou uma “bronca” do soldado, que falou para ele se acalmar (no tom de brincadeira, claro) hahaha

Os Stormtroopers dando uma bronca de brincadeirinha no meu filho: "Se acalme, garoto!"

Os Stormtroopers dando uma bronca de brincadeirinha no meu filho: “Se acalme, garoto!”

Observar os olhinhos dos meus filhos brilhando e o sorriso no rosto a cada nova aventura, a cada abraço na princesa ou no Mickey, a cada nova descoberta fez tudo valer à pena! Também teve choro, teve birra e teve mau humor. Mas isso nem de longe conta.

Na Disney você vê pessoas de todas as idades, todas mesmo: de bebezinhos a velhinhos. E todos aproveitando do seu jeito! Não acredito muito em idade ideal para aproveitar a Disney, porque todos conseguem se divertir!

A idade ideal é a que você consegue ir!!

Mais algumas dicas que posso dar da Disney:

Disney com crianças

– Para o planejamento de todo o roteiro, consultei muito o site Vai Pra Disney e o grupo do Facebook Coisas de Orlando;

– Reservei o primeiro dia de viagem para compras de 1ª necessidade no WalMart: água, petiscos, protetor solar e outros produtos para levarmos para os parques, além de itens pessoais. Também compramos um carrinho estilo guarda-chuva para o Teodoro no WalMart por U$ 26! O carrinho da Alice nós levamos do Brasil mesmo (que também era guarda-chuva).

Não vá sem seguro viagem. No final da viagem, já em Miami, o Teodoro caiu do parquinho, trincou o pulso e teve que engessar o braço. Leia a importância de contratar um seguro saúde.

– Usei o chip da http://www.easysim4u.com. Comprei ainda no Brasil e recebi em casa. Assim que o avião chegou em Orlando, já liguei o celular com o chip funcionando! Como nos dividíamos para levar as crianças em atrações diferentes algumas vezes, compramos 2 chips para estarmos sempre comunicáveis. Mas os parques contam com Wi-Fi, então dá para se virar bem sem um chip. Foi mais indispensável para dirigir, já que usávamos o Waze.

– Nos parques da Disney (Magic Kingdom, Hollywood Studios, Epcot e Animal Kingdom), não deixe de marcar o Fast-Pass, que é tipo o “fura-fila” dos brinquedos. Por exemplo, enquanto um brinquedo super concorrido estava com 1h30 de fila, com o fast pass marcado ficamos apenas 20 minutos e às vezes até menos.

– Baixe o aplicativo My Disney Experience no seu celular. Você visualiza o mapa do parque, marca e desmarca os fast-pass, consegue ver o tempo de espera de cada brinquedo e muito mais!

– As refeições com os personagens são bastante concorridas. Então marque com muita antecedência! O jantar no Castelo da Cinderela, por exemplo, marquei 6 meses antes (a Disney permite fazer reservas em 180 dias antes do dia pretendido).

Golpe de sorte: no jantar no Cinderella’s Royal Table pegamos uma mesa bem na janela e vimos o show de fogos!

Golpe de sorte: no jantar no Cinderella’s Royal Table pegamos uma mesa bem na janela e vimos o show de fogos!

– Não é exatamente uma dica, e sim um estalo que me deu lá na Disney. Estávamos na fila para tirar foto com o Mickey no Magic Kingdom. Falei para a minha filha dar um beijinho no nariz do Mickey na hora de tirar a foto. E ela fez. Só que depois me dei conta que praticamente TODO MUNDO beija o nariz do Mickey. Não é nem questão de nojinho não, é questão de saúde, vírus e bactérias (ok ok, sou um pouco neurótica).

MK_TSTHEATERCCHAR_20170425_8018142186

– Por falar em fotos, comprei o Memory Maker, que é o pacote de fotos profissionais dentro dos parques da Disney. É um valor bem salgadinho, mas achei que valeu muito a pena!

– Compras: além de fazer todo o roteiro dos parques, também fiz o roteiro de compras. Já saí do Brasil com uma tabela de numeração de calçados de cada um, calça, camisa etc. Claro, é sempre bom provar, mas já ter à mão o número ajuda bastante! Para economizar tempo também fiz algumas compras pela internet (Carter’s, GAP e Amazon) e mandei entregar no hotel.

– Fiquei no All Star Music Resort, dentro do complexo Disney. É um pouco mais caro que os hotéis fora da Disney, mas ele oferece algumas vantagens também, como o ônibus gratuito para os parques. Usamos o carro apenas 1 dia para ir para o Magic Kingdom. Nos outros dias, incluindo o Magic Kingdom novamente, fomos com o ônibus da Disney. Era muuuito mais prático!

All Star Music resort

Minha nossa, são tantas dicas que não consigo parar de escrever hehehe. Espero que tenham gostado do meu relato! Se quiserem saber mais, podem perguntar à vontade, ficarei super feliz em ajudar!

Leia também:

Realize o sonho de viajar para a Disney pela metade do preço

Dicas de como montar um roteiro para a Disney

Itens de farmácia que valem comprar nos EUA para crianças

Viaje com desconto

Clique e confira as ofertas do Hotel urbano