Viagens

8 ciladas que você pode evitar nas viagens com crianças

Férias escolares chegando e muitas famílias estão se preparando para viajar com os filhos! Férias, viagens, bagunça, sair da rotina, dormir tarde… amo! Mas não podemos negar que viajar com as crianças dá um baita trabalhão e requer um certo planejamento, né?

férias com crianças

Foto: freeimages.com

Eu mesma já caí em algumas furadas e por isso fiz uma relação das ciladas mais comuns em férias com crianças. Conversei também com algumas amigas e leitoras, que me ajudaram a criar essa lista! A Marcela, por exemplo, mãe da Ana (5) e da Gabi (2), evita pegar estrada em datas muito concorridas: “Viajar com crianças em datas críticas, tipo Ano Novo, e ficar horas no congestionamento… É meu terror, confesso”.

Já para Luciana, mãe da Malu, de 2 anos, furada é sair de férias com antigos amigos que não têm filhos e que esperam ser uma viagem como nos velhos tempos: “Quando todos ainda estão tomando café da manhã, você já está pensando no almoço”, brinca sobre a mudança de horários que sofremos quando os filhos nascem.

E você já passou por alguma cilada com as crianças em viagens?

  1. Deixar para fazer a mala em cima da hora
    Não precisa fazer a mala com uma semana de antecedência, mas também deixar para arrumar tudo 1 hora antes é pedir para se estressar ou esquecer de alguma coisa. Especialmente se seu filho for bebê, quando levamos o triplo de bagagem!
  2. Viajar sem a cadeirinha no carro
    Furada, cilada, roubada! Perigosíssimo transportar crianças sem a cadeirinha do carro! Além de tudo, é lei, é obrigatório! Até, pelo menos, um ano da idade, bebê conforto; entre um e quatro anos, pode passar para a cadeirinha de segurança; entre quatro e sete anos e meio, assentos de elevação. Na dúvida entre qual modelo usar atente-se ao peso e altura da criança juntamente com as recomendações do equipamento fornecidas pelo fabricante.
  3. Viajar por muitas horas de avião com bebê no colo
    É uma decisão difícil ($$)! Se por um lado a economia de não pagar um assento para o bebê de colo faz uma bela diferença no orçamento, por outro lado ficar com um bebê no colo sentada (e imóvel para não acordar o filho) no assento do avião por várias horas seguidas é beeeeem, mas beeeem incômoda. Já fui para Miami com filho de 11 meses no colo e meu braço quase gangrenou (rs).
  4. Não levar água e lanchinho
    Criança entediada na viagem já é difícil. Criança entediada e com fome/ sede, aí é osso! Tem que fazer uma lancheirinha para levar na viagem, não tem jeito! Outra dica é levar chupetas extras! Quantas vezes no meio da estrada eu pirei porque a filha tacava a chupeta no meio do estofamento e ninguém conseguia achar!
  5. Não levar farmacinha
    Farmacinha, carteirinha do plano de saúde, telefone da pediatra e doses recomendadas… Tudo sempre à mão. Infelizmente pode aparecer uma virose, uma dor de barriga ou mesmo uma alergia a picadas. Passar por uma febre inesperada e estando fora de casa, é muita roubada não ter à mão um remédio que a criança já esteja acostumada a usar.
  6. Não saber nada sobre o destino ou o hotel
    Eu até gosto do movimento “Deixa a vida me levar”, mas com filhos pequenos tudo muda, né? Talvez a desinformação não chegue a estragar a viagem, mas pode gerar um certo desconforto. Por exemplo, vocês chegam no hotel com toda a criançada e descobrem que o lugar é considerado o “melhor resort da América do Sul para curtir a dois e passar a lua de mel”! “Você acaba se sentindo com aquela obrigação de sair falando aquela frase bem conhecida entre as mães: ‘desculpe pela bagunça, desculpe qualquer coisa’”, comentou Luciana, a mãe da Malu. Não que isso não possa acabar virando uma piada depois…
  7. Fotos, poses e vídeos
    Preocupar-se em registrar tooodos os detalhes da viagem, tirando fotos o tempo inteiro para postar no Instagram, no Facebook, fazer lives ou stories e esquecer-se de curtir o momento AO VIVO é uma das maiores ciladas de viagem!
  8. Esquecer a paciência em casa
    E caso algo não saia como o planejado (que é o que geralmente acontece mesmo hahah), não caia na cilada de perder a paciência! Faz parte também! Aproveitem!!

E você, também já passou por alguma cilada em viagem com filhos? Qual a maior furada em férias que vocês já se encontraram?

Entretenimento

Dicas para curtir Ilhabela com crianças

Os posts com dicas de viagens com crianças têm feito sucesso aqui no blog, então decidi escrever sobre um destino que amo de paixão: Ilhabela, no litoral norte de São Paulo. Mas atenção, esse post não é um guia… Existem inúmeros passeios, praias e atividades na ilha. Vou sugerir apenas um roteiro bem bacana para curtir com os pequenos, mas que dá para combinar com várias outras dicas, ok?

Dicas para curtir Ilhabela com crianças

Dicas para curtir Ilhabela com crianças

A mala

Sim, Ilhabela tem muitos borrachudos. São uns mosquitinhos chatonildos que atacam nossas pernas e pés, principalmente de manhã e no final da tarde. Mas sinceramente, foram poucas as vezes que a situação estava insuportável de borrachudo, a ponto de ter que deixar o local. Geralmente era final de tarde em praias mais isoladas. Os pernilongos que estão dominando as noites de verão de São Paulo estão mais irritantes, eu garanto! Mesmo assim, leve repelente na mala – e um xarope antialérgico receitado pelo pediatra, caso o(a) filho(a) for alérgico a picadas. Eu sempre levo! No comércio local você vai encontrar alguns repelentes à base de citronela, que garantem manter o borrachudo bem longe!

Praias

Quando eu era “xófem”, frequentava bastante a famosa praia do Curral, ao sul da ilha. Aí vieram os filhos e fui atrás de uma praia mais calma, com menos movimento e menos trânsito para chegar em épocas de alta temporada. Me encontrei na Praia da Armação, no lado norte da ilha, com águas calmas e cristalinas, perfeitas para crianças. Mas ela não é tão vazia assim! A praia abriga a escola de vela BL3, possui um estacionamento na frente, tem alguns quiosques com aluguel de cadeiras e guarda-sóis e abriga um restaurante/ bar mara chamado Vila Salga. O Vila Salga tem uma estrutura ótima, com mesas e sofás de pallets, cardápio variado (com menu kids) e banheiro LIMPÍSSIMO com trocador (e isso eu sei que conta bastante para quem vai com criança para praia). Para quem não quer ficar em restaurante nenhum, tem uma árvore centenária belíssima no final da praia que oferece uma sombra perfeita, logo ao lado do Vila Salga, com uma capelinha ao fundo e ainda com um parquinho de madeira.

Praia da Armação

Praia da Armação

Outra praia propícia para ir com crianças pequenas é a Praia da Siriúba, também ao norte da Ilha (pouco antes das praias do Sino). O mar é tranquilo e raso, daqueles que você nada, nada e ainda dá pé na maré baixa. Também tem restaurante na praia, o Balleno Beach Bar (um pouco mais caro que da Armação), ducha e banheiro (do outro lado da rua). Não vi estacionamento da última vez que fui, mas conseguimos vaga na rua sem problemas.

Praia da Siriúba

Praia da Siriúba

Passeios

Dependendo de onde vocês estiverem hospedados, uma óóótima dica é alugar uma bike com cadeirinha e pedalar pela ciclovia à beira mar. Gente, o passeio é incrível, a paisagem é maravilhosa e, de quebra, você ainda pode parar em uma das praias da avenida principal e dar um belo mergulho! Em toda a orla do bairro do Perequê tem praias com parquinhos de madeira, com balanço, escorregador, etc. A região onde mais se concentra lojas de passeios e aluguéis de bicicletas é entre o Perequê e a Vila.

Parquinhos de madeira nas praias do Perequê

Parquinhos de madeira nas praias do Perequê

Paisagem da ciclovia de Ilhabela

Paisagem da ciclovia de Ilhabela

Fim de tarde na ciclovia: eu, o super carrinho e as crianças na charrete

Fim de tarde na ciclovia: eu, o super carrinho e as crianças na charrete

Pôr do sol em Ilhabela

Pôr do sol em Ilhabela

Cachoeira

A Ilhabela possui inúmeras cachoeiras para serem visitadas, mas a última que eu fui com os meus filhos e indico bastante é a Cachoeira dos Três Tombos, próxima à praia da Feiticeira, ao sul. São três quedas em meio à Mata Atlântica. É um passeio rápido, sem firulas. Ficamos apenas na primeira queda, pois li que a segunda não é muito indicada para crianças por conter pedras muito escorregadias. Dá para estacionar o carro pertinho da cachoeira, pegar uma rápida trilha e chegar ao destino. A água é rasinha e dá para as crianças darem um mergulho! Delícia!

Cachoeira dos 3 tombos: foto da primeira queda

Cachoeira dos 3 tombos: foto da primeira queda

Banho de cachoeira: quem resiste?

Banho de cachoeira: quem resiste?

Restaurante

Tratando-se de restaurantes com pratos (PF) bom e justo, acho que o mais conhecido da Ilha é o Cheiro Verde, na Vila. Mas no Perequê também tem um restaurante muito bom e que não tem só a opção do almoço executivo. É o Pimenta de Cheiro, que ainda conta com uma vista agradabilíssima para o mar. Mas dependendo do calor, é melhor ficar no salão interno com ar condicionado. Tem trocador pros bebês no banheiro? Teeem! Tem até um bercinho de vime para os babies que tirarem uma soneca durante o almoço dos pais 😉

Vista do restaurante Pimenta de Cheiro, no Perequê

Vista do restaurante Pimenta de Cheiro, no Perequê

berço de vime Pimenta de Cheiro

Isso que é restaurante baby friendly: tem até berço de vime para os bebês!

Pizza

Para a noite, é muito gostoso dar uma voltinha na vila, tomar um sorvete com as crianças e conhecer as lojinhas do centro. Mas uma pizza também é uma ótima pedida. No sentido balsa-vila (mais perto da vila), você cruza com uma placa de “O Caminho da Pizza”. Siga a placa e vai chegar em uma pizzaria bem gostosa, que serve pizza cortada em finas fatias (come-se com a mão e guardanapos, sem pratos e talheres). No fundo do estacionamento tem ainda um parquinho para as crianças (que na verdade é de uma pousada).

Bom, espero que minhas dicas possam ser aproveitadas! Confiram, também, os outros posts de viagens que já fiz. Clique aqui para ler!

 

Entretenimento

Disney: 10 dicas para comprar as passagens e marcar a sua viagem

Então tá, a família decidiu realizar o sonho e embarcar para a Disney! Ebaaaa! Mas e agora, por onde começar?

parques disney

Primeiramente, o básico: passaporte e vistos para os EUA!

Em seguida vem o planejamento da viagem: roteiro, passagens, hospedagens e tickets! Para saber a melhor época para viajar para a Disney descobri um site ótimo chamado Undercover Tourist, que vende ingressos para todos os parques de Orlando e ainda mostra o “Crowd Calendar”, um calendário que aponta os melhores e piores dias de visitação dos parques. Neste calendário estão relacionadas algumas datas que interferem na lotação dos parques, como feriados, eventos internos e temporadas de férias. O calendário é bem intuitivo e dá para entender mesmo não sendo fluente em inglês.

Depois de definir a data da viagem, vem a primeira facada: a compra das passagens! Para encontrar passagens aéreas promocionais para Disney, a agência Decolanet separou algumas curiosidades que eu achei bem interessantes! Por exemplo, você sabia que voos que saem na quarta ou quinta-feira podem ser mais baratos? Isso pode fazer toda a diferença no seu planejamento! Confiram todas as dicas:

wing-plane-flying-airplane-sky-airplanes-clouds

1 – Comprar com antecedência não é sinônimo de passagens aéreas baratas. Você pode perder promoções que aparecerão em datas próximas da sua viagem;

2 – O período de baixa temporada são nos meses de abril, maio, setembro e outubro. Se possível, aproveite esse período;

3 – As passagens aéreas promocionais do período de baixa temporada costumam aparecer com 30 a 60 dias de antecedência;

4 – O período de alta temporada são nos meses de dezembro, janeiro, junho e julho;

5 – As passagens aéreas mais baratas do período de alta temporada costumam aparecer com 60 a 120 dias de antecedência;

6 – As redes sociais das principais companhias aéreas costumam oferecer descontos e promoções durante o ano, já que Orlando é um dos principais destinos turísticos. Fique de olho!

7 – Quanto menor for o tempo de viagem, maior é o preço da passagem. Escolha voos com conexões.

8 – Experimente voos que saem na quarta ou quinta-feira. Evite os finais de semana, que costumam ser mais caros;

9 – Utilize pontos ou milhas do seu cartão de crédito ou companhia aérea;

10 – Os voos para Miami costumam ser mais baratos do que para Orlando. Analise se vale a pena viajar para Miami e de lá dirigir até a Disney. A maioria das pessoas faze isso, aproveitando para passar uns dias nas duas cidades.

Outros sites que você pode pesquisar passagens aéreas são: www.kayak.com.brwww.viajanet.com.brwww.decolar.com

Depois das passagens, está na hora de pesquisar hospedagem! E isso é assunto para o próximo post! Aguardem! 🙂