Viagens

Quais remédios levar em uma viagem com crianças

Vai viajar com as crianças? Confiram os remédios que não podem faltar na bagagem!

remedios para viajar

foto: pexels.com

Costumo falar que fazer a mala das crianças para passar um fim de semana na praia ou para passar 15 dias de férias no exterior dá praticamente o mesmo trabalho. O que muda é o volume, mas os itens são os mesmos. E um desses itens que acho que não pode faltar na bagagem é a farmacinha com remédios das crianças, independente se estão fazendo algum tratamento ou não.

Isso não é neura! Não tem coisa pior que precisar de um remédio e você estar longe de uma farmácia ou estar em um horário ruim para sair. Ou pior ainda, estar em outro país e não ter como comprar, uma vez que as prescrições de medicamentos não têm validade em outros países (leia abaixo dicas para levar remédios em viagens internacionais).

Sempre que nós viajamos levo uma malinha de remédios. Já aconteceu de estarmos na fila para fazer o check in para Dubai e eu me lembrar da malinha de remédios que havia ficado no carro! Sorte que o carro estava ali mesmo no aeroporto e saímos correndo para buscar!

Dependendo do destino da viagem dá para levar itens a menos. Ah gente, uma coisa importante: quando temos alguma virose ou imprevisto sempre entro em contato com a pediatra das crianças. Nunca dou remédio por conta própria, ok?

Já passei por perrengues por não ter levado todos os remédios. Quando fomos para o Chile, o Teodoro, na época com quase 2 anos, estava com uma tosse horrível e eu tinha levado só um restinho do xarope. O vidro acabou, a tosse piorou e nós que tivemos que bater perna em Santiago para achar o xarope correspondente. Tudo isso com a pediatra no WhatsApp rs!

farmacinha para viajar

Então aqui está uma listinha de medicamentos básicos que eu geralmente levo. No nosso caso ainda levo mais alguns outros remédios que as crianças usam quando têm crises de asma. Por isso é muito importante falar com o pediatra antes de viajar!

Remédios para levar nas viagens

  • Antitérmico/ antinflamatório – Geralmente levo 2 antitérmicos diferentes. E sim, já precisei usar os 2. Estávamos na Bahia quando meu filho pegou uma virose que dava uma febre alta que não baixava por nada e precisei intercalar:/
  • Antialérgico – Aqui em casa os dois são bem alérgicos e por isso não pode faltar
  • Xarope para tosse – Quando vamos para algum destino mais longe (ou internacional), levo o xarope que eles estão acostumados a tomar, mesmo se não estiverem com tosse. Se o destino for perto e eles não estiverem com tosse, não levo.
  • Primeiros socorros – Curativos, algodão, antisséptico para machucados
  • Termômetro
  • Pomada para picada de insetos
  • Antibiótico – Consulte o pediatra das crianças e pergunte se ele julga necessário levar uma caixa de antibióticos quando fizer uma viagem internacional.
  • Spray de própolis para dor de garganta – Não é essencial, mas pode ajudar no alívio de uma dor. Faço o mesmo que o xarope para tosse: se for destino internacional, levo. Se o destino for perto, tiver estrutura, etc, não levo.
  • Soro fisiológico para pingar no nariz
  • Remédio para diarreia (levo aqueles sachezinhos para reestabelecer a flora)
  • Remédio para gases e enjôo
  • Remédio para dor de ouvido

Será que esqueci de algum?

Como essa pergunta é bem comum quando estamos indo para o aeroporto, sugiro montar a malinha dos remédios com alguns dias de antecedência – dependendo do destino e do tempo de viagem.

Viagens internacionais: despachar os remédios ou não?

Lembre-se que existem regras para levar medicamentos no avião em viagens internacionais.

Se eu fosse levar todos os remédios na bagagem despachada, iria correr o risco de ter a mala extraviada e perder todos os remédios. Então a gente precisa pensar direitinho antes de dividir os medicamentos entre bagagem despachada e bagagem de mão.

No site da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) consta que “medicamentos (com prescrição médica), alimentação de bebês e líquidos de dietas especiais poderão ser transportados na quantidade necessária à utilização no período total de voo (incluídas eventuais escalas) e deverão ser apresentados no momento da inspeção de segurança”.

Existe uma regra para o transporte de líquidos em viagens internacionais que vou citar logo abaixo. Porém, no site da Anac também diz que “medicamentos que precisam ser levados na bagagem de mão em voos internacionais não se enquadram nas restrições para transporte de líquidos, mas deverão estar acompanhados da devida prescrição médica”. Ainda assim, para evitar dor de cabeça desnecessária, sigo a regra do transporte de líquidos na hora de levar os remédios.

Para transportar líquidos na bagagem de mão (incluindo aí os remédios, cremes, géis etc), o limite é de 100 ml por frasco, que deverão estar acondicionados em saquinhos plásticos transparentes do tipo zip, de até 20 x 20 cm. Uma informação importante: só são permitidas um saquinho zip por passageiro! Essas embalagens plásticas devem ser apresentadas na inspeção de embarque. (Clique aqui para ler as informações da Anac sobre bagagem de mão em viagens internacionais).

Então levando em conta todas essas regras, na bagagem de mão levo os remédios mais importantes incluindo o soro fisiológico em spray para espirrar no nariz durante o vôo (o ar condicionado do avião resseca e irrita a mucosa nasal).

Prefiro levar todos os remédios na caixa e, de preferência, fechados.

Sempre carrego a prescrição médica dos remédios – até porque nunca me lembro das doses necessárias. Se for algum remédio de uso contínuo ou tratamento, também é recomendando levar a receita traduzida para o inglês, mas apenas para o caso de fiscalização sanitária. As prescrições de medicamentos não têm validade em outros países. Dependendo do remédio, é necessário passar por um médico de onde você está para ter acesso ao medicamento. Por isso fazer uma lista de farmacinha para levar na viagem é tão importante.

Mesmo levando tanto remédio na mala, ainda assim é essencial fazer um seguro saúde antes de viajar. Vou preparar um outro post sobre isso e contar o dia que meu filho precisou usar esse seguro quando estávamos em Miami!

Boa viagem!

Leia também:

Produtos de farmácia dos EUA para crianças que valem a pena comprar

Para onde viajar no outono com a família

O que fazer em Ilhabela com chuva

 

Viagens

Promoção Dia das Mães no Thermas dos Laranjais (mãe não paga!!)

Atualização em 27/04

O Thermas dos Laranjais, quarto parque aquático mais visitado do mundo, localizado na cidade de Olímpia, preparou uma promoção especial para o Dia das Mães: no dia 13 de maio, as mães que estiverem acompanhadas de seus filhos ou filhas não pagarão entrada!!

Atualização em 27/04

Devido ao sucesso da promoção do Dia das Mães, que concedeu entrada gratuita para mães acompanhadas dos filhos no dia 13 de maio (ingressos esgotados para esta data), o Thermas dos Laranjais, quarto parque aquático mais visitado do mundo, decidiu estender a promoção para todo o mês de maio. Todas as mães que estiverem acompanhadas dos filhos terão entrada gratuita entre os dias 2 e 31 de maio. Os filhos pagam o tarifário vigente durante este período (R$ 60 – Adulto; R$ 30 – Meia entrada; R$ 10 – Crianças de 1 a 6 anos). 

O parque aquático, a 30 minutos do aeroporto de São José do Rio Preto e 438 quilômetros da capital paulista, conta com mais de 50 atrações como montanha-russa aquática, complexos de toboáguas, piscina de surfe, duas praias artificiais, piscinas de sonolência e ressurgência, rio de correnteza e parque infantil, todas abastecidas com água quente natural.

Estivemos lá em um feriado de 7 de setembro e fiquei impressionada com o espaço. Fomos de carro e ficamos em Rio Preto, pois tínhamos familiares por lá. Meus filhos estavam com 3a9m e 1a7m. Ficamos na parte chamada “Praia Azul”, bem gostosinho, com areia no chão, água rasinha e também uma piscina de ondas. Nesta área existem diversas cadeiras, mesas e espreguiçadeiras espalhadas como em uma praia mesmo.

Também brincamos bastante na área chamada “Clube das Crianças“, um espaço bem amplo com tobogã infantil, chafarizes e jatos d’água. Outra atração que faz bastante sucesso com a criançada é a “Bolha Infantil“. Também tem um mini zoológico no parque, mas desta vez não conseguimos ir!

As atrações radicais – que não são poucas – ficaram de fora desta nossa visita, mas estou aqui criando coragem para um dia voltar e me aventurar! É lá que fica a maior montanha-russa aquática da América Latina. Tem coragem?!

Foi um passeio muito especial e que valeu à pena fazer com a família. As crianças se divertiram e voltaram acabadas pra casa! Esse foi o primeiro parque aquático que levei as crianças

Para as mammys que querem participar da promoção do Dia das Mães e garantir a sua entrada gratuita, é necessário apresentar um documento que comprove a relação parental.

Serviço
Endereço: Avenida do Folclore, 1543, Jardim Santa Ifigênia, Olímpia, São Paulo.
Telefone: (17) 3279-3500 | Site: www.termas.com.br
Funcionamento: segundas, das 9h às 20h. Terça ao domingo: das 8h às 20h

Leia também:

Os melhores hotéis para se hospedar com crianças

8 ciladas que você pode evitar nas viagens com crianças

A difícil tarefa de arrumar a mala das crianças para viajar

Viagens

Férias no Chile: Santiago com crianças

Eu já relatei aqui no blog a minha experiência de neve quando fomos para Farellones, centro de esqui próximo a El Colorado e ao Valle Nevado. Além de passar alguns dias nas montanhas, passamos outra parte da viagem conhecendo Santiago. E é sobre a capital do Chile que vou contar aqui neste post: Santiago com crianças!

A chegada em Santiago já é um show à parte com a vista da Cordilheira dos Andes da janelinha do avião. É uma vista impressionante por quase 1 hora de vôo! A dica que sempre dão para apreciar essa paisagem é sentar-se nas poltronas do lado esquerdo do avião na ida e no lado direito na volta.

Fomos em agosto, bem no inverno. Depois de ficarmos 3 dias em Farellones, voltamos para a capital, onde passamos mais 2 dias. Foi tempo suficiente para passear bastante e conhecer muitos lugares na capital chilena.

Nos hospedamos no charmoso hotel Orly, que fica no bairro de Providencia. Só de dar uma voltinha pela cidade já nos surpreendemos com a paisagem: prédios altos contrastando com os picos de neve nas montanhas. Visual lindo, diferente de tudo o que eu já tinha visto em um centro urbano.

Não alugamos carro… nos locomovemos pela cidade apenas de metrô e táxi e foi super ok! Levamos um carrinho guarda-chuva para o Teodoro, fácil de abrir e fechar, e foi ótimo!

Pela manhã fomos conhecer a Casa de Pablo Neruda chamada La Chascona, construída em 1953 em homenagem à terceira e última mulher do poeta, Matilda Urrutia. A visita é guiada e bastante dinâmica. Hoje, a casa virou um museu que procura difundir a vida do poeta, que morreu em 1973. Alguns ambientes de Neruda estão conservados, como sua sala de jantar com pratos originais e talheres. Adorei conhecer tudo o que o poeta viveu nesta casa e um pouco de sua história.

Foi um passeio muito tranquilo de fazer com criança pequena! Só não dá para entrar com o carrinho, pois a casa tem muitas divisões e andares, cheia de escadas. Mas é possível deixar o carrinho na recepção.

Um passeio que não tivemos tempo suficiente para fazer foi o Zoológico de Santiago, que dizem ser imperdível para crianças!

A manhã do dia seguinte foi reservada para conhecer o Parque Bicentenario de La Infancia, que foi inaugurado em 2012. É um parque bem gostoso, pensado nas crianças, com parquinho, instalações divertidas e, claro, muito espaço para brincar e passear. As bolas de concreto na entrada do parque que jorram água fazem o maior sucesso!

Depois do parque, fomos conhecer o Mercado Central de Santiago, equivalente ao nosso Mercadão e parada obrigatória! Declarado monumento histórico nacional, o prédio foi construído em 1872. O Mercado Central possui inúmeros restaurantes, que inclusive ficam abordando os turistas para entrarem. A comida é deliciosa! Também vimos alguns artesanatos logo na entrada do Mercado.

Aproveitamos para dar uma voltinha pelo centro da cidade, observando os prédios históricos ao redor.  Caminhamos na Plaza de Armas, onde estão a Catedral de Santiago, o Museu Historico Nacional, a Prefeitura e o Edifício do Correio Central.

Voltamos para o hotel para o Teodoro descansar e, à noite, curtimos um jantarzinho no Bar Liguria, que ficava bem ao lado do hotel. No dia seguinte, nos restava poucas horas para passear e, portanto, optamos por explorar o bairro da Providência a pé.

Foi uma viagem deliciosa e muito rica! Pra mim, sem dúvida, o que mais me marcou foi a vista das montanhas com neve mesclada com a paisagem urbana de Santiago! Na mala, além de lembranças, trouxemos alguns bons vinhos chilenos. Compramos no supermercado mesmo (e outros valiam mais a pena comprar no free shop). Aliás, eu nunca tinha visto vinho em embalagem Tetra Pak!!

Ah, não deixe de ler a primeira parte desta viagem ao Chile sobre a nossa estadia em Farellones, estação de esqui. É só clicar aqui!

Leia também:

Férias de inverno: neve com crianças no Chile

Para onde viajar com a família no outono

Os melhores hotéis para se hospedar com crianças