Comportamento

Terapia de casal após a chegada dos filhos

terapia de casal após filhos

Se existe um casal que não teve dificuldades na adaptação da nova rotina após a chegada do bebê, eu não conheço, nunca vi! Cansaço, noites mal dormidas, rotina nova, falta de tempo e de espaço são algumas das queixas no consultório da Dra. Cristiane M. Maluf Martin, psicanalista, especialista em terapia de casais.

Aqui em casa me lembro muito bem dos tempos de crise quando as crianças nasceram. Um exemplo: em ambos os filhos, meu marido que dava banho neles, pois eu morria de medo de machucá-los. No Teodoro comecei a dar banho depois dos 3 meses só. Já com a Alice, depois dos primeiros dias, comecei a ficar irritada e muito impaciente quando meu marido chegava atrasado do trabalho. Então cortei aquela dependência que tinha dele e assumi o banho quando ele se atrasava. Até aí estava tudo bem… Mas no dia que ele “botou as manguinhas de fora” e resolveu voltar a jogar tênis (esporte que ele sempre praticou durante a semana após o trabalho), virei uma fera!! Como assim ele ia retomar a rotina dele? Da simples partida de tênis até a cervejinha pós-jogo (como ele também sempre fazia) foi questão de poucas semanas. Assim como a minha ira!

Foram tempos difíceis no nosso relacionamento. Mas com muita conversa, acordos e também jogo de cintura conseguimos superar esse momento tão difícil (e comum) na vida do casal. Ele também me mostrou que eu podia contar com ele para eu fazer as minhas coisas, ter um tempo só pra mim. Assim como, aos poucos, fomos redescobrindo qual seria o tempo só nosso, do casal. É difícil, mas a gente acaba encaixando!

Na época, não procuramos uma terapia de casal, mas acho que poderia ter sido muito benéfico para a gente! Fiz essa entrevista com a Dra. Cristiane para mostrar um pouco do que acontece no consultório de uma psicanalista e quais as principais queixas das mulheres e dos homens após a chegada do bebê.

Será que você se identifica?

Quais são as principais queixas no consultório das mulheres após a chegada da maternidade?

Geralmente, após a maternidade, as mulheres se queixam da falta de tempo para si, ou seja, do quanto o bebê depende 100% dela, o que acaba tirando não seu sono, mas também todo o tempo da mulher. Ressalto que a perda do espaço e da liberdade do casal é uma das queixas mais frequentes apresentadas pela mulher.

Ter filhos exige bastante disponibilidade física, mental, financeira e outros adjetivos, como paciência, dedicação, disposição, doação. Sugiro que essas mudanças sejam trabalhadas psicologicamente no decorrer da gestação para que a mulher não sinta um impacto tão grande na prática.

Quem não dorme bem, passa o dia mal, em todos os sentidos mal humorado e alterado, afetando a relação.

Geralmente é a mulher quem procura uma psicóloga para fazer terapia de casal? 

Não necessariamente. Hoje em dia esse cenário mudou bastante, alguns homens preocupados em resgatar suas relações também procuram a terapia de casal, até para se sentirem mais aliviados e entenderem que a atenção maior da sua companheira, que antes só era esposa e agora também é mãe, é quase 100% para o bebê.

Atualmente estamos observando um avanço significativo na chamada paternidade ativa. Você acha que o fato dos homens estarem mais presentes na rotina e nos cuidados do bebê pode ajudar na relação entre o casal?

Sim, pois ajuda o casal a não se distanciar por conta da nova rotina que a chegada do bebê traz. Inclusive com a ampliação da licença paternidade, o vínculo entre o pai e o bebê tornou-se bem mais próximo, o que favoreceu a família como um todo, pois com essa licença o pai “ganhou” o direito de permanecer mais presente durante os 20 primeiros dias de vida do bebê, ajudando sua companheira nesta fase de adaptação bastante difícil.

É muito comum ter uma mudança na relação do casal após a chegada de um bebê, não é? Mas em que momento na vida do casal se faz necessário procurar uma psicoterapia a dois?

Sim, por mais que o casal se conheça, e estejam numa relação estável a chegada de um filho é sempre um diferencial na vida de todo casal, onde eram dois agora são três, quanto mais tarde o casal decide por ter filhos mais difícil será a adaptação, pois estão priorizando suas vidas profissionais e o “espaço” para o bebê fica cada vez menor.

Ressalto que um dos momentos importantes para buscar uma psicoterapia de casal é quando o casal começa a responsabilizar a chegada do bebê pelo desgaste da relação, o que na verdade, essa situação só intensificou problemas que já existiam e não foram resolvidos antes da chegada do filho (a).

Tem alguma dica para as mães que estão tendo alguma dificuldade no relacionamento?

A cumplicidade, o diálogo, o companheirismo entre o casal antes da chegada do bebê é fundamental para que ambos consigam passarem por esse período de adaptações de uma maneira mais tranquila.

E mesmo após o nascimento do filho (a), devem manter esta cumplicidade enquanto casal, pois não podem se esquecer que independentemente de serem pai e mãe são um casal e precisam manter o amor que os uniu.

·  Dra. Cristiane M. Maluf Martin é especialista em psicanálise, terapia de casais, psicodiagnóstico, ludoterapia e dinâmicas de grupo. Possui 19 anos de experiência profissional e, também, é palestrante. Atua ainda em hospitais públicos na área de Planejamento Familiar

 

Decoração

Adeus inverno: como guardar roupas de frio, mantas e cobertores

Foto: pexels

Foto: pexels

O inverno foi embora, dando lugar à amada primavera. E o calorzinho (que logo mais será calorão) já está dando as caras, pelo menos aqui em São Paulo.

Oba, então sabe o que já podemos fazer? Tirar de circulação as mantas, os cobertores e as roupas de frio! Vamos guardar tudo, gente! E que venham os tecidos leves, os vestidinhos e os biquinis! Eu sempre faço esse rodízio de roupas na troca de estação porque não tenho muito espaço no meu guarda-roupa e nem no das crianças. E vamos combinar que roupa de frio ocupa muuuito espaço, né?

Mas antes de tudo, LAVE todas as roupas que irá guardar. Por que?

Conversei com Ricardo Monteiro, Gerente Operacional da Quality Lavanderia e ele explicou tudo:

Porque ao utilizar as roupas durante o inverno, elas adquirirem vários tipos de sujeiras (pó, poeira, poluição, migalhas de alimentos, açúcares, etc) que atraem traças e acabam também tendo uma proliferação acentuada de ácaros, os quais vão se multiplicar ainda mais se não lavarmos”.

lavar roupas

Também conversei com a Carla Picoli, personal organizer, que deu várias dicas de quais as melhores formas de armazenar esse monte de roupa! “Na hora de guardar, vá para a parte mais alta dos seus armários, em maleiros ou em espaços sem uso. O importante é abrir espaço nas partes mais baixas para peças em uso na atual estação”, afirma.

1.    Categorize as peças como, casados de lã grossos, os mais finos, moletons, jaquetas, cobertores, mantas e edredons. Uma dica é deixar para fora algumas blusas de meia estação, para uma leve mudança de tempo ou mesmo algum imprevisto.

roupas de la

2.    Guarde em bags de TNT, organza ou a vácuo. Nunca em plásticos, eles abafam e danificam suas peças. As roupas precisam respirar, por isso é importante ser de tecido e não só plástico.

3.    Os sacos a vácuo são ótimos para quem quer mais espaços, é só seguir as instruções corretas de uso do fabricante e você terá mais espaços pois o volume é bem menor depois de comprimido. Esses sacos você encontra em hipermercados e em vários tamanhos.

4.    Use anti-mofos dentro das embalagens (você encontra em supermercados) ou você pode usar os cuidados caseiros: coloque em saquinhos de organza “giz” branco, aquele de quadro negro. Ele absorve a umidade dentro das embalagens.

5.    Folhas de louro dentro das embalagens afastam aqueles indesejáveis bichinhos. Os ácaros, os fungos, os mofos e as traças gostam de lugares abafados, escuros e úmidos.

6.    No final identifique com adesivos cada embalagem para, caso precisar de alguma peça, já saber em qual pegar. Caso você queira guardar por pessoa coloque o nome, fica bacana também. As peças delicadas, mais finas ou com aplicações e bordados você pode usar um pedaço de TNT entre as peças, evitando contato entre elas.

7.     Falando das jaquetas, principalmente as de couro e sintéticos, jamais guarde-os dobrados e embalados, mantenha-os sempre pendurados em cabides, se possível use capas em TNT para protegê-los da poeira.

Decoração & Festas

Festa infantil em casa: tema princesas

festa princesas disney

Tenho mais uma festinha caseira e simples para mostrar para vocês! Essa foi a festa de 3 anos da Alice, realizado em fevereiro de 2017! Mesmo sendo uma festinha pequena, somente para familiares, desta vez o aniver foi comemorado em um salão de festas, com espaço bem maior do que em casa. Ou seja, mais lugares para decorar!

Em todos os aniversários, uma vez definido o tema, eu começo a comprar os itens de decoração aos poucos, com uns 2 meses de antecedência, para não ficar pesado depois.

CONVITE

O convite foi feito pela minha irmã usando uma máquina de corte Scanncut. Na verdade esse convite foi para a festinha da escola, mas mesmo assim serve de referência para quem quer fazer uma festa de princesa. A ideia de fechar o convite com uma chave de papel foi nossa.

convite festa princesas

convite festa princesas

COMES E BEBES

Desde a comemoração de 1 aninho deles, gosto de fazer uma mesinha baixa para as crianças comerem à vontade. Não dá para ser cheia dos enfeites porque vocês sabem bem a delicadeza que as crianças se servem né (rs)?

Então tem que ser uma mesinha simples, com bandejas de papelão. As bandejas decoradas de papelão da Cromus são maravilhosas, amo! O tema da festa era princesas, mas eu não precisava comprar absolutamente toda a parte de descartáveis de “princesas da Disney”. É legal também misturar com outras estampas (desde que siga o padrão de cores) e lisos. Já fiz um post com a inauguração da loja conceito Cromus Experience, vale a pena dar uma olhada!

mesa salgado crianças

Deixei já prontos copos de plástico com tampa e canudo com suco para as crianças. Os copinhos de papel são mais bonitinhos – e mais caros também. Por isso não usei para os líquidos e deixei com batatinha para eles pegarem e irem comendo enquanto brincavam.

copo de papel festa infantil copo de plastico festa infantil

Na mesa dos salgados dos adultos, alternei entre bandejas de papelão descartáveis (na cor dourada) e louças da família. Usei plaquinhas para diferenciar os sanduichinhos. Além de sanduiches, tinha salgadinhos tradicionais, como coxinha, bolinha de queijo e kibe. Nada fit hahaha

mesa de salgados

O BOLO

O bolo, assim como na festa Dinossauros e Peppa, foi da Confeitaria da Luana Davidsohn. Pedi esse degradê na cobertura de chocolate com as cores rosa e amarela e ficou maravilhoso (o bolo não é de pasta americana)! A mesa do bolo era super bonita, de madeira, e portanto não precisava usar uma toalha. Achei ótimo, pois foi um item a menos para me preocupar (e gastar)!

bolo princesas confeitaria da luana

ENFEITES E DECORAÇÃO

Forminhas de princesa, mini bandejinhas de alumínio, mini cúpulas de plástico e coroas de plástico ajudaram a compor o visual da mesa. As princesas espalhadas pela mesa são de E.V.A. Todos esses itens fui comprando aos poucos. Conforme eu via nas lojas de festas e gostava, comprava e guardava.

Recentemente conheci o showrrom do Ella Arts, em Pinheiros. É a primeira locadora especializada em temas infantis. São mais de 70 temas com peças lindíssimas para decoração de festas! É uma ótima alternativa para produzir uma mesa bem bonita!

festa princesas decoração

Amo o efeito de bexigas com gás hélio nas mesas, mas ficaria muito fora de mão para eu encher os balões no dia. Além do mais, não é muito baratinho encher nas lojas especializadas. Então optei por comprar dois suportes para balões de mesa (existe a opção de suportes para o chão), feitos para usar com bexigas normais. Assim, posso usar essa opção em todas as próximas festinhas… Foi um investimento. Para disfarçar o pé do suporte, usei um pompom de papel seda que eu já tinha. Para os balões, segui as cores que já tinham no bolo: rosa e amarelo.

O painel atrás da mesa era de papelão, da Regina Festas. Poderia ser mais criativo sim, mas eu fazia questão que as princesas que minha filha tanto ama estivessem lá.

FESTA princesas_detalhe

 

Pirulitos de chocolate e biscoitos decorados sempre dão um charme na mesa decorada e as crianças amam. Mas pesam no orçamento! Então fiz espetinhos de marshmellow que fizeram o maior sucesso (eu achava que ninguém ia pegar rs). Usei espetinhos de madeira, tomando o cuidado para cortar a ponta para as crianças não se machucarem. Espetei dois marshmellows, embrulhei em saquinho celofane e fechei com fitinha. Dispus os espetinhos em um potinho bonitinho e pronto!

espetinho de marshmellow

LEMBRANCINHAS

As lembrancinhas poderiam ter sido mais originais, mas confesso que não havia mais tempo hábil para pensar em algo. Era um saquinho de tule contendo um livrinho com história de princesa (compra-se o pacote, cada livrinho tem a história de uma princesa), 1 pirulito de bala iogurte, 1 saquinho de bala de goma e tubetes. Ahhh, detalhe: os tubetes, que decorei com adesivos de coroa, continham massinha no formato de rolinho (couberam exatamente!). Mas para criança nenhuma se confundir (ai sei lá, vai saber, né?), fazia questão de avisar os pais que tinha massinha no tubete e não bala!!

mesa lembrancinha

lembrancinha festa princesas

P.S. Acho que no quesito lembrancinha, a mais legal que já dei foi na festa de 2 anos do Teodoro, no tema verão. Eram baldinhos de praia embalados com um balão de gás hélio na ponta (o balão também era a lembrancinha). E todas estavam dispostas em uma piscininha de plástico! Ficou demais mesmo!

Bom, gente, essa foi a festa da minha princesinha Alice. Espero que vocês consigam aproveitar alguma ideia para a festinha aí na sua casa.

Festa boa é aquela feita com amor! <3