Comportamento

Estudo revela que animais de estimação ajudam no desenvolvimento infantil

Os filhos andam pedindo um bichinho de estimação em casa? Quer uma dica? Pense com carinho nesta ideia! Você sabia que crianças com animais de estimação tendem a ter autoestima mais elevada, se sentem menos sozinhas e têm mais habilidades sociais? Não sou eu quem está dizendo isso… (mas até poderia, já que tenho 1 cachorro e 2 gatas em casa rs).

crianças e animais de estimação

Crianças com animais de estimação tendem a ter autoestima mais elevada

Em março deste ano a Universidade de Liverpool publicou um estudo no International Journal of Environmental Research and Public Health (Jornal Internacional de Pesquisa Ambiental e Saúde Pública), financiado pelo WALTHAM Centre for Pet Nutrition, sobre os efeitos de se ter animais de estimação no desenvolvimento emocional, educacional e comportamental de crianças e adolescentes.

“As idades críticas para o impacto da presença de animais de estimação na autoestima parecem ser mais expressivas em crianças com menos de seis anos e também em pré-adolescentes e adolescentes com mais de 10. Em geral, cães e gatos são considerados os melhores provedores de suporte social, talvez em função de um nível maior de interação e reciprocidade em comparação com outros animais de estimação”, diz a autora principal do estudo Rebecca Purewal. “Nas culturas ocidental e não-ocidental os animais de estimação podem agir como uma forma de apoio psicológico, ajudando as crianças a se sentirem melhor sobre si mesmas e criando uma autoimagem positiva”, afirma.

Aqui no blog eu já fiz dois posts bem legais sobre crianças e animais de estimação! Confiram:

>> Cães e gatos x crianças: mitos e verdades

>> Raças de cães mais adequadas para famílias com crianças

Comportamento

Raças de cães mais adequadas para famílias com crianças

Chega um momento na nossa vida que o(a) filho(a) inevitavelmente vai pedir para adotar um cachorrinho! Hahah Sério, é quase certol!

Photo credit: demandaj via Visual hunt / CC BY-NC-ND

Photo credit: demandaj via Visual hunt / CC BY-NC-ND

Aqui em casa temos cachorro e gato (só falta o papagaio), e mesmo assim meu filho outro dia veio com uma história que precisávamos adotar mais um cãozinho para ser o filhinho da Teca, a nossa cachorra! Morri de amor, ainda mais com ele falando que ia cuidar toooodos os dias do novo cachorrinho! <3 Mas não, a casa já está cheia :/

E para quem está pensando em adotar um amiguinho(a) de quatro patas, mas não sabe por onde começar, a Farmina Pet Foods, especializada no desenvolvimento de soluções nutricionais para cães e gatos, elaborou uma lista com as raças de cachorros mais indicadas para cada fase da criança. Achei a lista bem completa!

Mas saibam que a lista é só para você ter uma noção da característica de cada raça de cachorro! Conheço famílias com pastor alemão que as crianças se dão muuuuito bem. Assim como a minha filha morre de medo da lhasa apso da minha mãe hahahah (apesar de ela ser boazinha).

Para Patrícia Padovez, médica-veterinária e coordenadora técnica da Farmina Pet Foods, antes de adotar o animal, além de escolher a raça, é preciso preparar a casa e a rotina da família para receber o pet. “Cães exigem dedicação diária. Os donos precisam ter tempo para passear e brincar com o animal, além de cuidar da alimentação e higiene do pet. Sem esquecer do amor e carinho, que são fundamentais para que o pet se sinta bem-vindo”.

Vale também conversar com donos de cães para conhecer um pouco mais sobre o temperamento de cada raça. Mas, antes de tudo, é preciso ter em mente que, para adotar um caõzinho, é preciso ter muita certeza e responsabilidade. Colocar as contas da ponta do lápis também é indicado, pois os gastos tendem a aumentar e é importante a família estar preparada.

Photo credit: Rick Bolin via Visual hunt / CC BY-NC-SA

Photo credit: Rick Bolin via Visual hunt / CC BY-NC-SA

Bebês

Pug: O Pug é o cachorro perfeito para quem fica em casa. Dócil, tranquilo e brincalhão, a raça pode ficar horas descansando ao lado do dono e do neném.
Spitz Alemão: Com seu pequeno porte, o Spitz Alemão (ou Lulu da Pomerânea), o famoso ursinho em miniatura é muito alegre, expressivo e inteligente, agradando pais e bebês.
Beagle: Mesmo bastante bagunceiros, os Beagles aprendem comandos com facilidade e o melhor de tudo: sem perder a alegria! Além disso, a raça é leal e independente.
Buldogue Francês: Sociável, afetuoso e paciente. Essas são algumas características marcantes do Buldogue Francês que, por sinal, é um excelente companheiro para os bebês, já que suas atividades favoritas são brincar e dormir.
Buldogue Inglês: Assim como o Pug e o Buldogue Francês, o Buldogue Inglês não precisa de muitos exercícios para manter a forma. Conhecido como uma das raças mais amáveis do mundo canino, o grandão é uma ótima companhia para a família e pode se adaptar muito bem às crianças.

Crianças

Maltês: Conhecido pela sua agitação, o Maltês é um dos cãezinhos ideais para aquela criança que tem bastante energia. Além de ter bastante pique e disposição para brincar, a raça é gentil e fácil de lidar.
Shih Tzu: é um cãozinho extrovertido, alerta, ativo e uma ótima companhia para os pequenos.
Dachshund: Se a criança é curiosa, aventureira e brincalhona, o salsicha é o cachorro perfeito! A raça Dachshund é super popular entre a garotada e pode garantir diversão e atividade física.
Cocker: Seus charmosos cachos não deixam dúvidas: o Cocker Spaniel é uma raça adorável! Fiel, amigável e tranquilo, esse cão pode ser adestrado com facilidade.
Golden Retriever: Quem nunca esbarrou em um Golden não sabe o que é felicidade. O cão parece sorrir toda hora! Além de ser confiável e inteligente, o Golden também não perde uma oportunidade de brincar com a criançada.

Pré-adolescentes

Labrador: É inteligente, confiável e um ótimo companheiro para as atividades que gastam bastante energia.
Bull Terrier: Se o adolescente tem costume de praticar esportes, o Bull Terrier vai se encaixar perfeitamente na rotina dele. Forte, resistente e bem esperto, a raça preenche todos os requisitos de um bom atleta.
Border Collie: O Border Collie, conhecido como a raça mais inteligente do mundo, é querido por pessoas de todas as idades. É espoleta, mas obediente quando adestrado. Precisa de espaço e alguém para brincar.
Schnauzer: Além de ser sociável e amigável, o Schnauzer é bem apegado ao dono. Acompanha a família em todas as suas atividades e o melhor: é bem comportado dentro de casa! A famosa raça da barbinha comprida pode tanto viver num casarão com quintal como em um pequeno apartamento na cidade.
Vira-lata: O cão sem raça definida com certeza se encaixa em todas as famílias. Tem preto, branco, tricolor, de porte pequeno, de porte médio, enfim… das mais variadas combinações que enchem de amor o dia a dia do dono. Sua natureza desconhecida faz com que cada um seja único e com características singulares.

E mais: Confiram a entrevista que fiz com a veterinária Eliane C. K. Botti sobre os mitos e verdades na relação de cães e gatos x crianças. Cliquem aqui para ler!

Comportamento

Páscoa aumenta a procura por coelhinhos (não faça isso!)

Você sabia que nesta época do ano aumenta o número de famílias que querem levar para casa um coelhinho? Pudera, né… estamos na Páscoa e os coelhos são realmente MUITO fofos!

Mas você sabia também que algumas semanas depois da Páscoa muitos coelhos são abandonados? 🙁 Isso porque tem gente que, ao invés de presentear com lembrancinhas ou ovos de Páscoa, dá um coelho, como se fosse um objeto. E depois a pessoa se dá conta que não tem condições de cuidar de um bichinho desses. Lamentável esse tipo de atitude, né?

coelhinhos

Sei também que existe gente que respeita os animais e cuida deles como merecem. Por isso, a médica veterinária Mariana Pestelli, especialista em animais silvestres do Grupo Pet Center Marginal/Petz, alerta sobre alguns cuidados necessários. E quem não conseguir garantir essas condições ao coelhinho, por favor, não o adote. Pense SEMPRE na posse responsável.

– Os coelhos necessitam de espaço para se exercitarem. Como podem atingir 40 cm de comprimento e até 2,5kg kg, é importante que fiquem em gaiolas pelo menos 2 vezes maior que o seu tamanho e sejam soltos pelo menos uma vez por dia para se exercitarem e esticarem as patas;

– Como eles vivem até sete anos, as famílias precisam se preparar para essa convivência duradoura;

– Apesar de se adaptarem bem em todas as famílias, aquelas com crianças pequenas devem ensiná-las a carregá-los da maneira correta para evitar fraturas e quedas. Segure sempre apoiando suas patas dianteiras e traseiras;

– Sensíveis, eles se assustam facilmente e podem enfartar. É ideal que fiquem em locais calmos, sem ruídos. Vale lembrar que coelhos costumam fugir e morrem nas ruas, já que são domesticados e não sabem se proteger, nem se alimentar;

– Há rações específicas, mas é interessante que comam também alimentos frescos, como folhas, legumes e frutas;

– São mastigadores em potencial. Aliás, os dentes dos coelhos nunca param de crescer. É interessante que tenham brinquedos para roer. Evite objetos como papelão por perto, eles vão roer;

– Banhos: pode-se fazer uma limpeza com lenços umedecidos, mas também é aconselhado o banho em centros de estética com experiência em banhos de coelhos. Por serem animais altamente estressáveis, não recomendamos o banho em qualquer local.

E lembre-se: nunca compre ou adote um animal por impulso.