Comportamento

Entrevista Jiang Pu do Masterchef: maternidade e empreendedorismo

Jiang Pu foi a terceira colocada da segunda edição do MasterChef e se tornou uma querida do público. Alguns meses depois de terminado o programa da Band, anunciou sua gravidez. Depois do nascimento de sua filha, apostou no empreendedorismo. Abriu um restaurante em Pinheiros e, com apenas 5 meses de funcionamento, ficou em 3º lugar no Prêmio Veja Comer e Beber 2017. Como era de se esperar, afirma que mesmo com a pressão dos jurados Jacquin, Paola e Fogaça, a maternidade é muito mais desafiante que o programa MasterChef.

Confiram a entrevista que fiz com Jiang, mãe da Cecília e proprietária do restaurante Chi Culinária Oriental. Ah, no final ainda tem receitinha para fazer em casa para as crianças!

entrevista Jiang Masterchef
O que a maternidade fez mudar em você?

Acho que a responsabilidade. Antes de ter filha, fazia o que eu quisess, agora tenho que planejar tudo com antecedência.

Você abriu o restaurante Chi Culinária Oriental há menos de 1 ano. Qual foi a maior dificuldade que você sentiu como empreendedora? 

No começo do projeto Chi, era uma cozinha, servindo comida está ok! Mas com avanço da execução, tive que decidir sobre arquitetura, engenharia, ceramista, agrícola, pecuária, mixologia, administração, economia, contabilidade, advocacia… Era um complexo que nunca imaginei!!!
entrevista Jiang Masterchef

Como foi ser indicada para a 21a edição do Veja Comer e Beber? 

A casa só abriu há 5 meses, ainda está lutando com a melhoramento, foi com muita surpresa que recebemos a notícia. E nesse ano ficamos em 3º lugar.

O que é mais desafiador? Participar do Master Chef ou ser mãe (risos)?

Ser mãe, rsrsr, pois não tem fim!

Como consegue conciliar a sua vida profissional com a vida de mãe? Tem horas que você “enlouquece” também (como qualquer outra mãe)?

Na verdade sempre achei fui ‘premiada’, por que minha filha não deixa sossego em nenhum momento. Ela é toda o contrário que eu queria, rsrsrs, muito teimosa e elétrica, acho que qualquer um fica estressada depois de ouvir 10h de choro por dia. Por isso existe o pai, nessas horas eu deixo Cecilia por conta dele.

Você pode dar alguma receita de um prato oriental para fazermos em casa para as crianças? 

Tenho uma bem fácil, um ovo batido, adicione 2x de água do ovo, pouco óleo de gergelim, pouquinho sal, mistura bem, papel insulfilme, 1min no microondas e pronto! Tipo um suflê de ovo salgado!

Chi Culinária Oriental

Rua Cônego Eugênio Leite, 448, Pinheiros

Telefone: (11) 30627350

Comportamento

Coaching de mães: descubra como ele pode te ajudar!

Desorganização, inquietamento, insatisfação, vontade de mudar … Quem nunca se sentiu assim depois que tornou-se mãe? Sabe aquela vontade de pedir ajuda, mas sem saber para quem? Talvez a solução seja procurar uma coach de mães!

A tradução de coaching é “treinamento”. O Instituto Brasileiro de Coaching define como “uma metodologia nova que busca atender as seguintes necessidades humanas: atingir metas, solucionar problemas e desenvolver novas habilidades no ambiente pessoal ou profissional”. O termo vem sendo bastante utilizado para segmentos diversos, inclusive a maternidade. “Coach” é o profissional que exerce a profissão.

Foto: dreamstime free

Foto: dreamstime free

Mas o que faz exatamente uma coach de mães?

De acordo com Vanessa Ribeiro, administradora de empresas especializada em Gestão de Projetos e coach há 2 anos, o coaching é um processo de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal que ajuda as mães a tomarem decisões mais assertivas e reorganizarem a vida após a maternidade. Ela explica que o coaching pode ser útil em uma transição de carreira, no empreendedorismo materno, nas dúvidas e dificuldades na criação dos filhos, nos problemas de relacionamentos e até mesmo nos problemas com a autoestima. “Não é possível separar vida profissional e vida pessoal, porque quando uma área não vai bem automaticamente outras áreas acabam sendo afetadas”, alerta.

Evelyse Modesto, que atua como coach de mães há um ano, formada em Coaching Integral Sistêmico, aponta que é muito comum as mães perderem o controle do tempo, da saúde, da alimentação e da rotina após a chegada dos filhos. “Todas as mães precisam. É sempre possível ser melhor. Tudo que está bom pode melhorar. E tudo que está ruim, pode piorar. No coaching é sempre buscado o estado desejado, sempre resultados melhores”, completa.

Qual o perfil das mulheres que procuram por uma coach?

“Mulheres que buscam sua melhor versão. Que buscam melhor performance profissional, sem abandonar a família. Mulheres que buscam mais disciplina, organização, conhecimento e inteligência emocional para lidar com trabalho, marido, filhos”, afirma Evelyse Modesto.

Vanessa Ribeiro, que também é mentora do projeto online Mamãe de Sucesso (voltado para as mães com menos tempo e menor potencial de investimento), afirma que as mulheres que a procuram são, em sua maioria, mães que buscam uma forma de empreender seus conhecimentos e habilidades para ter maior flexibilidade de tempo com os filhos. “Muitas mães que já empreendem também me procuram por se sentirem improdutivas e não conseguirem alavancar os negócios”, diz.

coaching_vanessa ribeiro

“Além da carreira, trabalhamos a família e a saúde como um todo”, diz a coach Vanessa Ribeiro.

Foi o caso da professora de inglês Aline Fonseca, mãe de Gael, de 10 meses. Aline não estava satisfeita com os resultados financeiros de sua carreira dos últimos 4 anos em que atuava em regime de ME (Micro Empresa). “Me esgotou monetária, física e mentalmente”, diz. Quando o filho estava com 4 meses, no final da licença maternidade, Aline foi atrás da coach Vanessa Ribeiro no intuito de clarear as ideias em relação ao desenvolvimento pessoal e ao empreendedorismo materno. “Percebi possibilidades onde antes eu não havia visto”.

Patricia Alves, de 38 anos, com filhas de 21, 18 e 8 anos procurou a coach Evelyse Modesto para as sessões de coaching no início desse ano para se organizar e descobrir formas de voltar a trabalhar fora sem culpa, sem deixar a família de lado. “O sonho de me realizar profissionalmente é enorme, mas para a realização dele eu precisei de ajuda, dicas e orientação de como aproveitar o meu tempo da melhor forma possível”, revela. “O que mudou foi que minha coach me fez dar o primeiro passo, me fez ver que eu cumpro meu papel de mãe e sou muito feliz por isso, mas que agora chegou a hora de conciliar meu mundo mãe com meu mundo profissional, mulher”.

Evelyse Modesto

“O coaching está ligado a todas as áreas da vida”, afirma a coach Evelyse Modesto.

Pode ser comum algumas pessoas confundirem o coaching com sessões de psicoterapia, uma vez que em ambas as atividades existe o processo de autoconhecimento. A psicóloga e palestrante Mariana Bonnás passou recentemente pelo processo de coaching com Vanessa Ribeiro. Ela explica que psicoterapia e coaching são bem diferentes e que, inclusive, uma mesma pessoa pode passar por ambos, caso veja esta necessidade. “A psicoterapia trata de transtornos psicológicos, visando a melhora e/ou cura do indivíduo. Ela se baseia no passado e presente para que seja possível um trabalho profundo. A psicoterapia também não tem prazo, em alguns casos pode ser rápido e em outros ser necessária por toda vida. Já o coaching é um processo breve e com foco nas metas e desejos da pessoa. Ela busca conhecer melhor suas habilidades e dificuldades para aprender como trabalha-las da melhor forma”, esclarece Mariana Bonnás, que também é autora do blog Vida de Gestante e Mãe e dá dicas de maternidade em seu canal do Youtube.

Mais sobre as coaches da reportagem:

Leia também:

>> Você já se sentiu perdida após a maternidade?