Comportamento

Ciúmes entre irmãos: quando o caçula chega para completar a família

Ter irmãos em casa é uma benção! Um amor puro, verdadeiro e que vai durar para sempre! Cada vez que vejo meus filhos se abraçando, cuidando um do outro e se divertindo juntos, me dá uma alegria enorme!

Mas nada é fácil, né? Quando a Alice chegou, fiquei muito preocupada em como eu iria cuidar de uma recém-nascida e ao mesmo tempo dar atenção para o Teodoro, que ainda tinha 2 anos… era praticamente um bebê! Li bastante sobre o assunto em blogs de maternidade na época (o Todas as Mães não existia) … me ajudaram bastante! E agora eu também quero ajudar outras mães que, assim como eu, procuraram ajuda na rede.

brothers-lying-in-bed

As crianças adoram ajudar e participar, elas sentem a importância da colaboração! / Photo via VisualHunt.com

Fiz uma entrevista com a psicóloga Francys De Thommazo sobre ciúme entre irmãos, em especial com a chegada da(o) irmã(o) mais nova(o). Ela diz que esse sentimento acontece, principalmente, entre os pequenos de três a seis anos. “É natural que o filho mais velho apresente demonstrações de ciúme, ressentimento, raiva e sentir-se ameaçado e até ter comportamentos de regressão como fazer xixi na cama para chamar atenção dos pais”, explica.

2014-04-16 10.31.47

O filho mais velho sempre ao lado da irmã

Aqui em casa não tivemos raiva nem regressões (ufa). Inclusive passamos por duas provas de fogo: a Alice nasceu em fevereiro, exatamente na semana de volta às aulas do Teodoro (tenso). E dois meses depois, começamos, junto com a escola, o desfralde dele. Foram meses de adaptação a uma nova família que estava se formando. Nos finais de semana o marido saía bastante com o mais velho para brincar na rua, em parquinhos e praças. Aquele momento era dele! Em casa eu sempre o chamava para participar das atividades da Alice: desde trocar a fralda até amamentar – ele estava sempre do lado! Pedia ajuda sempre que possível, respeitando as limitações da idade (“filho, me ajuda aqui, por favor, me traga o shampoo para lavar o cabelinho da sua irmã” ou “filho, por favor, jogue a fralda no lixo”). As crianças adoram ajudar e participar, elas sentem a importância da colaboração! Portanto, pedir ajuda ao filho mais velho não será um problema.

Segundo a psicóloga Francys De Thommazo, o filho mais velho pode começar a participar da vida do irmão antes mesmo do nascimento: “Pedir a ajuda e a participação do filho mais velho para a decoração do quartinho da criança, participar da compra do enxoval e tudo que tem relação com a chegada do irmão. Assim, quando tiver o encontro não será tanta novidade e ocorrerá normalmente sem ansiedade”, afirma.

Photo via VisualHunt

“Antes do encontro entre os irmãos é preciso uma preparação emocional com o filho mais velho” – Francys De Thommazo. / Photo via VisualHunt

Confiram a entrevista com a psicóloga Francys De Thommazo:

O que a mãe, que vai ganhar o(a) segundo(a) filho(a), deve preparar para o encontro dos irmãos? 
Antes do encontro entre os irmãos é preciso uma preparação emocional com o filho mais velho. Primeiro explicar como será a rotina da casa, o cuidado com o bebê e, principalmente, que este cuidado é necessário devido às limitações do bebê. Explicar de forma lúdica e muito clara, para que o filho mais velho não entenda como estar sendo deixado de lado e perdeu a importância. Pedir a ajuda e a participação do filho mais velho para a decoração do quartinho da criança, participar da compra do enxoval e tudo que tem relação com a chegada do irmão. Assim, quando tiver o encontro não será tanta novidade e ocorrerá normalmente sem ansiedade.

No meu caso, quando minha caçula nasceu, comprei um presente para o mais velho, de 2 anos, e disse que a irmã que tinha trazido do papai do céu. Só que essa história para crianças mais velhas não cola mais. O que fazer para o irmão mais velho sentir-se especial também neste momento?
Neste momento é muito importante explicar para a criança, para não gerar frustrações, que ela também é especial e que quando as pessoas visitam o bebê recém-nascido é normal trazer um presente ao bebê, porque o bebezinho acabou de nascer e as pessoas ainda não o conhecem. Antes da primeira visita é muito importante os pais darem um presente simbólico ao filho mais velho dizendo que é a comemoração da chegada do irmão, e falar sobre a felicidade de ter dois filhos. Esta dica não é uma receita a ser seguida à risca. Mas usar a criatividade para o filho mais velho se sentir especial é muito importante.

E na nova rotina, com o bebezinho em casa, que precisa de muitos cuidados e atenção, o que fazer para o primogênito não ficar enciumado e nem se sentir de escanteio?
Deixar que o filho mais velho participe das atividades diárias para se sentirem importantes. E é importante o pai e a mãe arrumarem um tempo somente com o filho mais velho, para, por exemplo, realizar alguma brincadeira, assistir um desenho juntos.

Outras dicas da psicóloga para lidar com o ciúme entre irmãos:

  • Maneirar nos castigos – pois fazer coisas erradas pode ser uma forma de chamar a atenção, e colocar de castigo de imediato pode reforçar o problema. O Ideal é conversar e explicar o porquê das coisas;
  • Reservar um momento somente com o mais velho tanto o pai quanto a mãe para alguma atividade, seja uma brincadeira específica que a criança goste, para sentir-se amada e ver que a família também lhe dá atenção;
  • Dê responsabilidades para que a criança sinta-se importante, mas sem exagero. Converse muito – Explicar, explicar e explicar;
  • Enxergar tudo como algo natural – dizer que ama os dois e sempre frisar que os dois são amigos.

E você, tem alguma dica para controlar o ciúme dos irmãos? Compartilhe com a gente, me conte como você fez para driblar o ciúme e ajude outras mães também! 😉

Comportamento

Micaela Góes, do canal GNT, ensina a organizar os brinquedos das crianças

Micaela Góes, apresentadora do programa Santa Ajuda, fala sobre como inserir a organização na rotina dos filhos.

Micaela Goes

“Se organizamos um pouco por dia e mantermos a ordem, a bagunça não engole a casa”

Que mãe nunca se descabelou com a bagunça das crianças em casa? A cena se repete em muitos lares: a gente passa hooooras arrumando os brinquedos e, de repente, a sala volta ao estado caótico em menos de 5 minutos! Isso quando não é tudo junto: sala, quarto, cozinha e até banheiro com bagunça! Parece que nossas crianças são como furacões!!

Mas saibam que, com rotina e algumas estratégias, é possível ter uma casa organizada, sim! Fiz uma entrevista muito bacana com a atriz, apresentadora e consultora em organização Micaela Góes, à frente do programa Santa Ajuda, do canal GNT. No programa, Micaela ensina aos bagunceiros como colocar a casa em ordem.

Micaela Góes é mãe – de gêmeas – e sabe muito bem do que estamos falando! Bagunça de criança não é mole não! Mas ela estabeleceu rotinas com as filhas desde cedo e, hoje, a organização já faz parte dos hábitos das meninas. Vamos aprender com quem sabe?

Leiam a entrevista, anotem as dicas e vamos botar ordem nessa bagunça!

Micaela e as filhas

Micaela, você é atriz e já participou de diversas novelas na TV. Como foi essa transição de atriz para apresentadora de um programa sobre organização de casa? Você sempre teve essa facilidade de organização?
Costumo dizer que a organização me escolheu. Eu cresci numa casa organizada e isso pra mim sempre foi natural. Tanto que eu nunca tinha pensado que minha habilidade para organizar poderia virar um serviço. Comecei minha vida como organizadora ajudando informalmente as amigas. Uma foi indicando para outra e quando percebi já tinha virado meu trabalho. Até que o GNT me convidou para apresentar o Santa Ajuda.

Uma das grandes dificuldades dos pais é deixar a casa arrumada em meio a tantos brinquedos espalhados. Qual o segredo para começarmos a organizar a bagunça?
Em primeiro lugar é importante delimitar as áreas em que a bagunça é permitida. A casa não precisa ficar inteiramente tomada de brinquedos. Restrinja os brinquedos e as brincadeiras para algumas áreas: quarto das crianças e algum outro espaço da casa como uma varanda ou um canto da sala. Organize os brinquedos em prateleiras, nichos ou armários em que as crianças possam pegar sozinhas e guarde-os SEMPRE no mesmo lugar para indicar pra criança que ali é o lugar daquele brinquedo. Crie o hábito de guardar tudo em seus lugares assim que acabar a brincadeira. Faça isso junto com a criança desde cedo.

micaela goes_

“Organize os brinquedos em prateleiras, nichos ou armários em que as crianças possam pegar sozinhas e guarde-os SEMPRE no mesmo lugar”

Você tem duas filhas pequenas. Qual a idade delas e desde quando elas estão inseridas na rotina de organização de brinquedos e pertences? 
Minhas filhas têm 6 anos e desde pequenas estabelecemos rotinas de organização e assim elas foram se acostumando. Elas sabem onde encontrar suas roupas e brinquedos, pois estão sempre nos mesmos lugares. A organização é natural para elas. Faz parte da rotina como tantos outros hábitos cotidianos.

É legal incluir os próprios brinquedos na decoração da casa? Como dá para fazer isso sem parecer bagunça? 
Claro! Você pode assumir um canto de brinquedos na sala por exemplo. Como os imóveis são cada vez menores isso é bastante comum. Para isso, invista em móveis planejados que acomodem bem os brinquedos e não briguem com a decoração da sua sala.

Em quais tipos de móveis e acessórios de organização vale à pena investir para a nossa casa?
Com prateleiras e caixas se organiza quase tudo!

Você acha que a profissão de personal organizer está ganhando cada vez mais força no Brasil?
O mercado de organização está em franco crescimento no Brasil. É um mercado novo e cheio de oportunidades.

E para finalizar: por que é tão difícil manter uma casa com filhos pequenos arrumada?
A dificuldade está em conseguir manter espaços preservados das crianças e da bagunça. É importante inserir rotinas de organização para toda a família, porque se organizamos um pouco por dia e mantermos a ordem, a bagunça não engole a casa.

 

Confira aqui o que já foi publicado sobre organização em casa!

Comportamento

E o sono das crianças, não vai bem? Cuidado, isso merece sua atenção!

Sei que esse post não servirá para todas as mães (e sorte a sua caso não sirva)… quero falar aqui com pais e mães de crianças que ainda não têm uma noite de sono tranquila. Bom, antes de mais nada: #tamojunto

crianças que não dormem direito

Crianças que não dormem direito têm mais propensão à hiperatividade. Photo via VisualHunt.com

Meu filho tem 4 anos e conto nos dedos as vezes que ele dormiu a noite inteira. É muito comum ele acordar de madrugada e me chamar ou ficar muito agitado se remexendo na cama, e até ranger os dentes enquanto dorme. Dá uma aflição horrível, parece que ele está quebrando seus dentinhos. Ainda não procurei um dentista para conversar sobre isso, mas já está na minha listinha de preocupações (rs).

Um parêntese: já tentei diversos florais e nada! Quando o Teodoro era bebê, estava passeando com ele na rua e sem querer ouvi uma outra mãe contando para uma amiga sobre a maravilha de um floral que ela tinha descoberto e que seu filho agora dormia a noite inteira. Não pensei 2 vezes: interrompi a conversa, me desculpei pela intromissão e pedi o nome do tal floral. Fui atrás, mas obviamente não adiantou nada :/

Mas voltando aos dias atuais: quando ele tem essas noites mal dormidas, fico morrendo de dó, pois sempre pensei que durante o dia ele poderia ficar cansado exatamente por não ter recarregado suas energias durante a noite. E sabe o pior? Eu sempre estive certa!

“Crianças que não dormem direito tem mais propensão à hiperatividade, obesidade infantil, dificuldade nos relacionamentos, dificuldade de foco e de memória. Além disso o sono de qualidade deixa o sistema imunológico mais forte o que é essencial na idade escolar”, Maternity Coach.

Entrevistei as consultoras da Maternity Coach, serviço de consultoria do sono infantil, para falar sobre as crianças na idade pré-escolar que ainda têm problemas para dormir. As consultoras são certificadas pelo IMPI (Internacional Maternity and Parenting Institute) e pela IABPP (Internacional Academy of Baby Planner Professionals).

Se você está passando por esse momento difícil (porque sei que é difícil mesmo e chato), sinta-se abraçada por mim. Leia essa entrevista que está bem legal! Dá para pegar algumas dicas e aplicar em casa!

Você sabia, por exemplo, que uma alimentação inadequada pode estar atrapalhando o sono do seu filho? E que até falta de sono diurno pode prejudicar o sono da noite? Leiam a entrevista abaixo!

Alguns bebês demoram meses para terem uma noite inteira de sono. Mas algumas crianças demoram anos… é normal uma criança na idade pré-escolar ter sono agitado e ainda acordar durante a noite?
Geralmente a criança tem condições de dormir a noite toda depois dos 6 meses, quando aceitam a alimentação sólida. Em alguns casos como de baixo peso, a criança precisa mamar ainda de madrugada, mas na maioria das vezes, já pode dormir a noite toda. Não é normal uma criança não dormir, aliás, é prejudicial, por isso é necessário descobrir as causas dos despertares. Pode ser stress, muito cansaço, associações erradas de sono, falta ou excesso de sono diurno ou mesmo algum distúrbio de sono, onde a orientação médica é necessária.

rotina para crianças dormirem

Rotina é a palavra chave para um sono tranquilo das crianças. Photo credit: clement127 via Visual Hunt / CC BY-NC-ND

O que podemos fazer para tentar uma noite inteira de sono? O que pode afetar o sono dessas crianças?
A primeira providência é ter rotina. Respeitar os horários da criança e seu sono diurno. É necessária também uma atenção especial para a alimentação. Uma criança que não tem qualidade na alimentação pode despertar mais de noite. Outro aspecto é perceber como esta criança dorme, quais são as associações de sono que ela tem. Ela precisa de ajuda para adormecer ou faz isso sozinha? Se precisar de ajuda, a criança pode necessitar da mesma ajuda de madrugada, quando despertar entre um ciclo de sono e outro e não voltar a dormir.

Essa falta de um sono tranquilo em crianças que não dormem a noite inteira, que acordam chorando ou que rangem os dentes podem ser prejudicadas durante o dia?
A falta de sono pode ser bem prejudicial. Crianças que não dormem direito têm mais propensão à hiperatividade, obesidade infantil, dificuldade nos relacionamentos, dificuldade de foco e de memória. Além disso o sono de qualidade deixa o sistema imunológico mais forte o que é essencial na idade escolar.

sono dos bebês

O ideal é ensinar as crianças a dormirem no primeiro ano de vida. Photo via VisualHunt.com

Em que momento devemos nos preocupar e procurar ajuda?
Com carinho, paciência e persistência, conseguimos ajudar as crianças a terem um sono de qualidade antes dos 12 meses. Sobre a preocupação, se a criança não dorme depois dos 12 meses ou mesmo antes, o ideal é entender a causa da falta de qualidade do sono. Se a criança passar por exames e não for diagnosticado nada de errado com a saúde dela e os despertares forem decorrentes de problemas comportamentais, o ideal é procurar uma consultoria de sono para resolver estes problemas através de algum método de aprendizagem.

O que o exame de polissonografia detecta? É só um médico que pode solicitar?
Sim, só um médico pode solicitar. É um exame que vai diagnosticar possíveis distúrbios de sono. Neste caso, a polissonografia vai ajudar as famílias a saberem se o problema de sono da criança é físico ou comportamental.

Para quem se interessou mais sobre a consultoria do sono infantil, seguem todos os contatos da Maternity Coach. Espero que essas dicas tenham te ajudado a mudar alguns hábitos e prestar atenção no que pode estar prejudicando o sono da criança!

Serviço

Maternity Coach
maternitycoach@maternitycoach. com.br
Skype: maternity coach
Facebook: https://www.facebook.com/ MaternityCoach/
Instagram: @maternitycoach