Desabafo

Eu sou feliz e sei

woman-girl-freedom-happy-sun-silhouette-sunrise

Photo via Visual hunt

Confesso aqui que, antes de ter os meus filhos, não era uma pessoa “kids friendly” em certas situações. Sabem aquela “tia legal”? Nunca fui! Era do tipo que bufava quando estava em um restaurante e entrava uma criança bagunceira. Que virava os olhos quando viajava de avião ao lado de uma criança chorosa. E que torcia o nariz para a mãe que não conseguia controlar o filho. hahaha Nem preciso dizer o quanto a minha vida se tornou muito melhor depois de tanto cuspe que caiu na minha cara! Hoje tudo mudou, tenho 2 crianças adoravelmente barulhentas e agitadas. E que choram, fazem birra e desobedecem também. Ou seja, crianças normais.

O mais engraçado é que ontem estávamos em um restaurante daqueles que pais não costumam levar crianças pequenas. Restaurante apertadinho, só com turma de amigos e casais nas mesas vizinhas tendo aqueles almoços despretenciosos de sábado à tarde que acabam durando 3 horas! Delícia, fazia isso todo final de semana!

Na nossa mesa tudo ia bem. O prato chegou e as crianças ainda estavam sentadas! UAU! Mas, de repente, nossa mesa vira um caos! É o filho encrencando porque quer comer todos os sachês de sal, é a filha tentando se jogar de cabeça do cadeirão, “não, meu bem, esse garfo não é pra brincar, devolve”, é a mãe que segura a filha com uma mão enquanto desfia o peixe em pedaços milimétricos em busca de uma espinha, é o filho gritando “cadê meu papáááááá?”, é o pai falando pro filho falar baixo, “meu bem, eu já pedi, devolve esse garfo!”, são os filhos brigando entre eles sabe-se lá porquê, é o pai separando a briga, “humm, me dá mais vinho?”, é a filha que começa a chorar porque o pão caiu no chão e ela não aceita outro pão senão aquele, “vou contar até três, devolve esse garfo agora!!!”, é a mesa vizinha olhando pra vocês (tá olhando por que, amiga?)… enfim, a mais completa loucura. Loucura barulhenta. Quem é mãe/ pai sabe a aventura que é sair para almoçar fora com o(s) rebento(s)

E sabe o que aconteceu? Foi neste exato momento que eu parei por alguns instantes, olhei para a cena caótica e pensei: isso pra mim é a mais pura e verdadeira felicidade.

Em tempo: minha família não é de margarina e eu sou normal. Eu surto também, me falta paciência e às vezes exagero na bronca, nunca tenho tempo pra nada, também preciso dos meus momentos me & myself, e sinto saudades dos porres que eu tomava. Mas mesmo assim, tenho certeza de que nunca falarei “eu era feliz e não sabia”…

…porque eu sou feliz e sei!

Guardei essa cena caótica de felicidade na minha caixinha de lembranças. Vou resgatá-la toda vez que estiver me sentindo triste ou desanimada. E você, qual a cena da sua vida que tem o poder de levantar o seu astral?