Casa e decoração

Adeus inverno: como guardar roupas de frio, mantas e cobertores

Foto: pexels

Foto: pexels

O inverno foi embora, dando lugar à amada primavera. E o calorzinho (que logo mais será calorão) já está dando as caras, pelo menos aqui em São Paulo.

Oba, então sabe o que já podemos fazer? Tirar de circulação as mantas, os cobertores e as roupas de frio! Vamos guardar tudo, gente! E que venham os tecidos leves, os vestidinhos e os biquinis! Eu sempre faço esse rodízio de roupas na troca de estação porque não tenho muito espaço no meu guarda-roupa e nem no das crianças. E vamos combinar que roupa de frio ocupa muuuito espaço, né?

Mas antes de tudo, LAVE todas as roupas que irá guardar. Por que?

Conversei com Ricardo Monteiro, Gerente Operacional da Quality Lavanderia e ele explicou tudo:

Porque ao utilizar as roupas durante o inverno, elas adquirirem vários tipos de sujeiras (pó, poeira, poluição, migalhas de alimentos, açúcares, etc) que atraem traças e acabam também tendo uma proliferação acentuada de ácaros, os quais vão se multiplicar ainda mais se não lavarmos”.

lavar roupas

Também conversei com a Carla Picoli, personal organizer, que deu várias dicas de quais as melhores formas de armazenar esse monte de roupa! “Na hora de guardar, vá para a parte mais alta dos seus armários, em maleiros ou em espaços sem uso. O importante é abrir espaço nas partes mais baixas para peças em uso na atual estação”, afirma.

1.    Categorize as peças como, casados de lã grossos, os mais finos, moletons, jaquetas, cobertores, mantas e edredons. Uma dica é deixar para fora algumas blusas de meia estação, para uma leve mudança de tempo ou mesmo algum imprevisto.

roupas de la

2.    Guarde em bags de TNT, organza ou a vácuo. Nunca em plásticos, eles abafam e danificam suas peças. As roupas precisam respirar, por isso é importante ser de tecido e não só plástico.

3.    Os sacos a vácuo são ótimos para quem quer mais espaços, é só seguir as instruções corretas de uso do fabricante e você terá mais espaços pois o volume é bem menor depois de comprimido. Esses sacos você encontra em hipermercados e em vários tamanhos.

4.    Use anti-mofos dentro das embalagens (você encontra em supermercados) ou você pode usar os cuidados caseiros: coloque em saquinhos de organza “giz” branco, aquele de quadro negro. Ele absorve a umidade dentro das embalagens.

5.    Folhas de louro dentro das embalagens afastam aqueles indesejáveis bichinhos. Os ácaros, os fungos, os mofos e as traças gostam de lugares abafados, escuros e úmidos.

6.    No final identifique com adesivos cada embalagem para, caso precisar de alguma peça, já saber em qual pegar. Caso você queira guardar por pessoa coloque o nome, fica bacana também. As peças delicadas, mais finas ou com aplicações e bordados você pode usar um pedaço de TNT entre as peças, evitando contato entre elas.

7.     Falando das jaquetas, principalmente as de couro e sintéticos, jamais guarde-os dobrados e embalados, mantenha-os sempre pendurados em cabides, se possível use capas em TNT para protegê-los da poeira.

Saúde & Alimentação

Crises alérgicas e resfriados nas crianças: dicas para enfrentar o inverno com saúde

O inverno acabou de começar e eu já estou por aqui com ele! Aqui em casa as gripes e os resfriados estão de marcação cerrada com meus filhos e meu nível de estresse está lá no alto.

A minha filha de 2 anos tem rinite e, por conta dessa alergia, qualquer resfriadinho pode virar uma dor de cabeça! Para terem ideia, ela pegou uma gripinha que foi piorando aos poucos, chegou numa tosse braba, com peito chiando, até que a pediatra achou melhor fazer o tratamento com antibiótico, antes que virasse uma infecção respiratória mais séria. No penúltimo dia de antibiótico, depois de quase 10 dias, o que acontece? A filhota me volta pra casa com o nariz escorrendo, espirrando e saindo secreção pelo nariz. What??????? Tipo…mal guardei o inalador e já terei que tirar da caixa de novo!

Por trás de uma criança resfriada há sempre uma mãe cansada

Outono e inverno são as estações-pesadelo das mães! E dos pediatras! Hoje estava falando com a pediatra pelo WhatsApp e comentei: “não vejo a hora de terminar o inverno”. E ela: “nem me fale!” :/

Bom, paciência, agora é esperar a primavera chegar (isso só acontecerá em setembro affff) e tomar algumas atitudes que minimizem as crises alérgicas.

O Dr. Lucio Colamarino Cury, pediatra, alergista e imunologista, diretor da Clínica Pediátrica Santa Isabella, explica que a mudança de tempo pode causar inflamação na mucosa e em seus vasos sanguíneos, criando um edema que congestiona e acumula secreção, podendo levar à crise. “Com a oscilação de temperatura, qualquer pessoa pode apresentar sintomas respiratórios, mas são pacientes alérgicos os que mais sofrem. Por vezes, mesmo com a asma controlada, tomando todos os remédios corretamente e ficando longe de ácaro e pó, o peito pode chiar, por exemplo”.

© Mzagajewska | Dreamstime.com - Catarrh

© Mzagajewska | Dreamstime.com – Catarrh

Por isso, vale ficar atenta a algumas dicas do Dr. Lucio Colamarino Cury e da Dra. Sonia Liston, pediatra do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos:

>> Limpeza e ambientes arejados

Mesmo com esse frio, é importante arejar os cômodos da casa, deixando as janelas abertas para circulação de ar. Troque a roupa de cama 1 vez por semana e use capas de travesseiros antiácaros.

Na faxina, é recomendado utilizar aspirador de pó com filtro H.E.P.A., que filtra ácaros.

Aquele cobertor que estava guardado desde o inverno passado, assim como os casacos, devem ser lavados antes de usados.

>> Ar condicionado e aquecedor: evite

O ar condicionado é outro vilão, como afirma o alergista: “ele diminui a umidade do ar e, concomitantemente, resseca e inflama a mucosa da via aérea, assim como a secreção, que fica mais espessa e receptiva a vírus e bactérias, tornando-se um ótimo meio de cultura para predispor infecções”.

>> Não tomar friagem

Não é só papo de mãe, não. É importante tentar evitar as mudanças de temperaturas – principalmente aquelas que sofremos quando saímos de um ambiente quente para um frio, ou vice-versa.

>> Higiene

A Dra. Sonia Liston, pediatra do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, lembra de procedimentos simples do dia a dia, mas que fazem toda a diferença: “É fundamental a hidratação das mucosas nasais com soro fisiológico e a limpeza das mãos com álcool gel, água e sabão depois de tossir ou espirrar, após usar o banheiro, antes de comer e de tocar os olhos, boca e nariz”.

>> Evitar aglomerações

De acordo com Sonia Liston, os vilões da saúde muitas vezes são os lugares mais frequentados pela população, de uma maneira geral, como shoppings centers e supermercados. Além dos transportes públicos e outros locais onde há um grande aglomerado de pessoas

Viagens

Férias de inverno: neve com as crianças no Chile

Uma dica para quem está planejando as férias de inverno: que tal levar as crianças para conhecer a neve?

Farellones Chile

Já li em grupos do Facebook algumas mães perguntando se vale à pena viajar com criança pequena para a neve. Antes de decidir ir para o Chile também fiquei encucada. E agora posso responder: sim, sim, sim! Na verdade eu acho que viajar com os filhos sempre vale à pena, independente da idade e do destino (já me aventurei em um vôo de 13 horas para Dubai, com filha de 9 meses e outro com quase 3 anos e foi maravilhoso. Mas isso é assunto para outro post). O que muda é o modo com que a criança vai aproveitar, de acordo com a sua fase. Mas que aproveita, sempre aproveita!

Fomos para o Chile em 2013, para o centro de esqui Farellones, próximo a El Colorado e ao Valle Nevado. Meu filho mais velho tinha 1,8 ano e eu estava grávida da segundinha de quase 3 meses. A estrada que leva até Farellones exige atenção e possui muuuuitas curvas (são 40!!). Sabendo disso, conversei antes com a pediatra, que receitou um remédio para evitar enjoo no meu filho. Eu também tomei um remédio contra enjoo receitado pela obstetra. A estrada também pode estar escorregadia por conta do gelo e algumas vezes é necessário colocar correntes nas rodas dos carros para não escorregar. Por isso descartamos a hipótese de alugar um carro no Chile e irmos por conta própria… é melhor fazer essa viagem com quem tem experiência nesta estrada. Contratamos uma agência especializada nesses passeios, que nos levou de van até Farellones, junto com outros viajantes.

Todas as roupas de neve, como calça, casaco, botas e luvas impermeáveis – inclusive do meu filho – foram alugadas em uma loja em Santiago, antes de pegarmos a estradinha. Essa parada na loja de aluguel de roupas de neve foi proporcionada pela própria agência que nos levou para o passeio.

Chegamos no hotel em Farellones, nos familiarizamos e já fomos conhecer a região. Só um detalhe: para chegar até a estação de esqui, tínhamos que subir mais algumas curvas na estrada à pé mesmo (uns 10 minutos de caminhada). Não sei se de repente outros hotéis oferecem o transporte até lá…Teria nos ajudado bastante (rs).

Na estação em Farellones tem pista de esqui, snowboard, tubing e tirolesa. Só que meu filho não tinha alcançado a altura mínima para entrar, que era 1 metro (ok, já sabíamos dessa restrição) e eu, obviamente, não queria me arriscar a levar um tombo (marcamos a viagem antes de descobrir a minha gravidez). Por isso, o único que usufruiu de fato a estação de esqui foi o meu marido.

Dentro da estação de esqui tem um restaurante com uma vista linda para a pista. Um ambiente super agradável! O único problema é que não era muito baby friendly, pois não havia um trocador quando precisei trocar a fralda do meu pequeno. Espero que isso tenha mudado!

No segundo dia de hospedagem em Farellones a gente acordou, abriu a janela e se deparou com a neve caindo. Só faltava tocar os sinos de Natal para completar a cena hahah (a viagem foi em agosto rs). Meu filho ficou encantado em perceber a mudança da paisagem do dia anterior!

Mas essa neve caindo se transformou em uma nevasca mais forte e por isso poucos se aventuraram nas pistas. Ficamos entocados no hotel neste dia (é um risco que se corre indo para uma região de neve).

No dia seguinte, quando a nevasca parou, o cenário era maravilhoso: fazia um dia lindo, ensolarado e havia neve por toda a parte… era tudo branquinho e fofo!

Fomos para a rua brincar, com direito a fazer boneco de neve, se jogar no chão, e foi delicioso, muito divertido mesmo. Meu filho se jogava na neve fofa, tentava andar, ficava desconfiado daquela textura rs.

No outro dia voltamos para Santiago e continuamos nossa viagem na capital. Resumo da viagem na neve: mesmo não esquiando e com filho bem pequeno, conseguimos curtir bastante! Porém, se o seu objetivo é esquiar, sugiro esperar até a criança atingir a idade/ altura mínima para entrar na estação de esqui, senão vocês podem acabar se frustrando.

Tenho uma irmã de 5 anos que já foi para o Valle Nevado, 13 km distante de Farellones. Com 3 anos ela já conseguiu aproveitar de outra forma: além de brincar na neve, teve aulas de esqui e curtiu o Riglet Park, um espaço projetado para facilitar o aprendizado infantil. Sem dúvida, para crianças maiores existe uma variedade maior de entretenimento! E me parece que o Valle Nevado tem uma estrutura melhor para receber crianças pequenas. A dica que posso deixar foi dada pelo meu pai: apenas tenha os devidos cuidados com o frio. O resto é relaxar e aproveitar!

Mas insisto em dizer que viajar com os filhos vale à pena em qualquer idade e para qualquer destino, desde que os pais sintam-se seguros.

Para as crianças, o fato de estar com a família em uma rotina diferente será sempre uma diversão e uma experiência especial!

Confiram algumas fotos desta viagem:

Primeiro dia em Farellones

Hotel La Cornisa Farellones Farellones Chile

Na estação de esqui:

Farellones Chile Farellones Chile Farellones Chile

Segundo dia em Farellones: a nevasca!Farellones Chile

Farellones Chile

Farellones Chile

Quem se arrisca? É a mesma pista de esqui da foto lá de cima…Farellones Chile

Terceiro dia em Farellones: dia lindo, sol e muita neve fofa. Vamos para a rua brincar!Farellones Chile
Farellones Chile

Passamos mais dois dias em Santiago, e fizemos alguns passeios, como visitar a casa de Pablo Neruda chamada “La Chascona”, o Parque Bicentenario de La Infancia, o Mercado Central (para experimentar os ceviches, claro!) e o centro histórico da cidade.

Nos locomovemos de metrô pela cidade e foi super ok! Ah, em uma das feirinhas que passamos, comprei um casaquinho de lã para o meu filho e foi super útil, pois os casacos de lá são bem grossos, para esquentar mesmo!

Adorei contar para vocês um pouco dessa minha viagem, pois foi uma forma de relembrar em detalhes tudo o que passamos! Viagem em família é sempre muito especial!


Atualização em 12/12/2017:

O complexo Valle Nevado abriu a campanha de reserva antecipada para a temporada de neve 2018, que dá descontos de até 30% nas reservas pagas até o dia 1o de abril.