Saúde & Alimentação

Ministério da Saúde esclarece sobre antecipação da campanha de vacinação contra a gripe

Nos últimos dias só se fala no surto da gripe H1N1. Nos grupos de mães no Facebook foram relatados filas de espera de 2 a 3 horas nos grandes centros de vacinação particulares, que já possuem a vacina nas versões trivalente e tetravalente. Sem contar com as clínicas que já estão com a vacina contra a gripe H1N1 esgotada! E então surgiram rumores que o Ministério da Saúde iria adiantar a vacinação.

Mais uma vez procurei a assessoria de imprensa do Ministério da Saúde para esclarecer essa dúvida sobre a campanha de vacinação.

A campanha de vacinação 2016 conta a gripe continua prevista para começar somente no dia 30 de abril. O Ministério da Saúde não irá adiantar a campanha e explica o motivo em nota:

“A antecipação da vacina contra influenza 2016 não é possível porque o imunobiológico só é entregue pelo laboratório produtor nos meses que antecedem o inverno. Os laboratórios produtores de vacina contra influenza só começam a produzi-la a partir do mês de setembro, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) dá autorização para a produção. Isto acontece porque todos os anos é necessário avaliar quais são as cepas que mais circularam no hemisfério sul, no ano anterior. Após a autorização da OMS, é de cerca de seis meses o tempo necessário para que os laboratórios produzam a vacina e ela esteja pronta para ser utilizada pela população”.

Mas devido a esse grande surto de H1N1, principalmente na região sudeste do país, o que o governo fez foi liberar as vacinas do ano passado que ainda estão no prazo de validade para que as pessoas se protejam da gripe H1N1, cujo vírus não sofreu mutação em relação ao ano passado.

É que a vacina oferecida pelo governo é a trivalente, que protege contra 3 cepas, sendo uma delas a H1N1. Porém, as duas outras cepas sofreram mutação neste ano. Sendo assim, somente a vacina de 2016 terá eficácia contra os três tipos de vírus da gripe. “É importante esclarecer que, apesar da vacina influenza 2015 estar dentro do prazo de validade, houve uma mudança, pela OMS, de duas das cepas circulantes.  Assim, para garantir proteção aos três tipos de vírus circulantes deste ano, os grupos prioritários devem ser imunizados com a vacina de 2016”, alerta o Ministério da Saúde.

Ou seja, se você tomar a vacina de 2015, estará protegido apenas contra a H1N1. O Ministério da Saúde ressalta: “Se uma pessoa tomar a vacina do ano passado (2015), tem que tomar novamente durante a campanha de 2016, com um intervalo mínimo de 30 dias”.

Até o momento, somente São Paulo solicitou doses da vacina do ano passado, num total de 400 mil doses.

Em 2016 já foram registrados* 305 casos de H1N1, sendo 260 no estado de São Paulo, de acordo com o Ministério da Saúde (*até 19 de março).

Vale reforçar que além da vacinação, pode-se evitar a infecção por influenza com medidas de higiene como lavar sempre as mãos e evitar locais com aglomeração de pessoas que facilitam a transmissão de doenças respiratórias.

Atualização 29 de março – 15h45

O Ministério da Saúde esclarece que, a partir do dia 1º de abril, inicia o envio da vacina contra a influenza de 2016. A entrega aos municípios, por sua vez, é responsabilidade dos estados.

A partir do recebimento das vacinas, os estados podem definir estratégias de contenção, conforme suas análises de risco, para a vacinação da população-alvo, observando a reserva adequada do produto para a campanha nacional. A Campanha acontece em todo o país do dia 30 de abril a 20 de maio, sendo o dia 30 de mobilização em todo o país.

O cronograma de distribuição aos estados é elaborado de acordo com a entrega da vacina pelo laboratório produtor. As vacinas serão enviadas em seis remessas.

** Atualização: Governo de São Paulo adianta vacina contra a gripe: dia 11 de abril para as nossas crianças

Deixe seu comentário!